Comemoramos esta semana o Dia da Criança. As crianças têm lugar de destaque no Reino de Deus. Em Marcos 10.13-16 vemos três maneiras de se lidar com as crianças. Há aqueles que trazem as crianças a Jesus (Mc 10.13). As crianças não vieram; elas foram trazidas. Devemos ser facilitadores e não obstáculo para as crianças virem a Cristo. Há também aqueles que impedem as crianças de virem a Cristo (Mc 10.13). Os discípulos de Cristo demonstraram dureza de coração e falta de visão ao tentarem impedir as crianças de chegarem a Cristo, mesmo depois de Jesus ter ensinado claramente sobre o assunto (Mc 9.36,37). Os discípulos em vez de ajudar as pessoas trazerem as crianças a Cristo, repreendiam-nas. Eles agiram com preconceito. Finalmente, há aqueles que abençoam as crianças (Mc 10.16). Jesus demonstra amor, cuidado e atenção especial com todos aqueles que eram marginalizados na sociedade. Ele dava valor aos leprosos, aos enfermos, aos publicanos, às prostitutas, aos gentios e agora, às crianças. O texto de Marcos 10.13-16 ensina-nos quatro grandes verdades.

1. Um encorajamento para levarmos as crianças a Jesus - Jesus disse: “Deixai vir a mim os pequeninos, não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus” (Mc 10.14). Jesus demonstra afeição às crianças. Ele diz que quem recebe uma criança em seu nome é o mesmo que receber a ele próprio (Mc 9.36,37). Jesus afirma, por outro lado, que fazer uma criança tropeçar é uma atitude gravíssima (Mc 9.42). Agora, Jesus acolhe as crianças, toma-as em seus braços, impõe as mãos sobre elas e as abençoa (Mc 10.16). Devemos trazer os nossos filhos a Cristo. Os braços de Jesus estão sempre abertos para acolher as crianças. A igreja deve estar sempre de portas abertas para receber as crianças. Devemos ser facilitadores para as crianças chegarem aos pés do Salvador.

2. Uma reprovação de Jesus aos que estorvam as crianças de virem a ele – Jesus
ficou indignado com seus discípulos quando estes passaram a repreender aqueles que traziam as crianças (Mc 10.14). Jesus ficou indignado quando viu que os discípulos afastaram as pessoas em vez de introduzi-las a ele. Este é o único lugar nos evangelhos onde Jesus dirige sua indignação aos discípulos, exatamente quando eles demonstram preconceito com as crianças. Jesus fica indignado quando identifica o pecado do preconceito na igreja. As crianças não apenas podiam e deviam vir a Cristo, mas elas eram exemplo para as demais pessoas que vinham. Jesus disse: “Em verdade vos digo: Quem não receber o reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele” (Mc 10.15).

3. Uma revelação maravilhosa acerca das crianças – Jesus é enfático, quando afirma: “… porque dos tais é o reino de Deus” (Mc 10.14). Com isso, Jesus não quis dizer que as crianças são inocentes. O pecado original atingiu toda a raça. As crianças nascem em pecado e têm um coração inclinado para o mal. Jesus também não quis dizer que as crianças estão salvas pelo simples fato de serem crianças. O que Jesus quis dizer é que as crianças vêm a ele com total confiança. Elas crêem e confiam. Elas se entregam e descansam. Jesus está dizendo que o reino de Deus não pertence aos que se acham dignos, mas é um presente aos que são tais como crianças, isto é, humildes e dependentes.

4. Uma atitude abençoadora dirigida às crianças – Jesus não apenas acolhe as crianças e repreende os discípulos, mas toma as crianças em seus braços, impõe sobre elas as suas mãos e as abençoa. Jesus via as crianças como filhas da promessa, como herança de Deus, como alvos do seu amor e como exemplo para todos os que desejam entrar no seu reino. Jesus indignou-se com a atitude preconceituosa dos discípulos, acolheu as crianças, e disse que elas são modelos para os adultos.

Rev. Hernandes Dias Lopes
Print Friendly