A graça da liberalidade

INTRODUÇÃO

1. Estes dois capítulos são o texto mais claro sobre contribuição ou a graça da liberalidade. Antes de ir para o campo missionário Paulo foi recomendado a lembrar-se dos pobres (Gl 2:10). Agora, os que o enviaram estão precisando de ajuda e ele levanta uma oferta para eles.

2. Paulo oferece alguns princípios sobre a contribuição:

I. A CONTRIBUIÇÃO É UMA GRAÇA MAIS DO QUE UM DEVER – 8:1-15

1. Graça é um favor que Deus nos faz e não um favor que lhe fazemos – (8:1,4,6,7,9,19;9:14).

• Paulo neste texto, diz seis vezes que a contribuição é uma graça de Deus concedida a nós. É favor divino contrário ao merecimento humano.

• A igreja de Corinto estava melhorando em várias áreas:
a) Ortoxodia – abundava em fé
b) Evangelística – abundava em palavras
c) Estudiosa – abundava em ciência
d) Bem organizada – abundava em cuidado
e) Mas precisava crescer na graça da contribuição (8:1; 8:7).

• Os Macedônios pediam para participar da graça da contribuição (8:2-4).
a) Eles tinham aflição – Mas isso não era impedimento para contribuírem (8:2)
b) Eles eram pobres – Mas isso não era impedimento para contribuírem (8:2).
c) Eles deram-se a si mesmos (8:5) – Geralmente os que mais contribuem não são os que mais têm, mas o que mais amam e os que confiam no Senhor. De um coração generoso, sempre parte uma oferta sacrificial (1 Jo 3:16-18).

II. A GRAÇA DA CONTRIBUIÇÃO É UM ATO DE AMOR MAIS DO QUE DE OBRIGAÇÃO

1. A motivação em contribuir deve ser o amor

• Eu posso dar todos os meus bens aos pobres, mas se isso não é motivado por amor, não terá nenhum valor (1 Co 13:3).
• Quem ama tem prazer em dar. Quanto maior o amor, maior a dávida – Deus nos amou e deu-nos seu Filho (Jo 3:16).
• Jesus nos amou e deu-se a si mesmo por nós (8:9).

III. A GRAÇA DA CONTRIBUIÇÃO É UMA DOAÇÃO SACRIFICIAL – 8:1-2

• A contribuição cristã não é das sobras. Devemos dar mesmo com sacrifício.
• A viúva deu mais porque deu sacrificialmente.
• Qual foi a última vez que você contribuiu de forma sacrificial?
• O mistério do pobre e o ministério do rico.
• Mais importante do que dar coisas, é dar-se a si mesmo primeiro ao Senhor, depois aos irmãos – (8:5).

IV. A GRAÇA DA CONTRIBUIÇÃO DEVE SER ESPONTÂNEA – (8:3,4,8: 9:7)

• Na vida cristã, são três as motivações:
a) Você precisa fazer – É a lei, falta de liberdade, não há escolha.
b) Você deve fazer – É a obrigação social, sentimento de dever, responsabilidade moral, compulsão.
c) Você quer fazer – é a graça, liberdade, amor, espontaneidade. Os macedônios não deram com tristeza nem por necessidade, mas com alegria.

1) A contribuição não é compulsória
2) A contribuição não é por pressão psicológica
3) A contribuição não é barganha com Deus para prosperidade
4) A contribuição não é uma espécie de indulgência
5) A contribuição não é meritória

• Maria de Betânia deu o melhor, com alegria, com sacrifício – Assim devemos dar também.

V. A GRAÇA DA CONTRIBUIÇÃO É PROPORCIONAL – 8:13-15; 1 CO 16:2

1. Um privilégio e não um peso – v. 13
2. Igualdade e não desequilíbrio – v. 14,15
3. A contribuição é segundo as posses – v. 11c
4. A contribuição é segundo a prosperidade – 1Co 16:2
5. Contribua de acordo com a tua renda, para que Deus não torne a tua renda de acordo com a tua contribuição.

VI. A GRAÇA DA CONTRIBUIÇÃO É METÓDICA – 9:1-5; 1 Co 16:1-4

1. 1 Co 16:1-4 – No primeiro dia da semana (PERIODICAMENTE), cada um de vós (PESSOALMENTE), ponha de parte (PREVIDENTEMENTE), conforme a sua prosperidade (PROPORCIONALMENTE), e vá ajuntando (FIELMENTE), para que se não façam coletas quando eu for (SEPARADAMENTE).

2. Não basta ter apenas boa intenção de contribuir, é preciso ser organizado e fiel nessa prática.

VII. A GRAÇA DA CONTRIBUIÇÃO TRAZ RICAS RECOMENSAS – 9:6-14

1. A contribuição deve ser generosa, pois a colheita é proporcional à semeadura – (9:6). Os que contribuem são abençoados (Lc 6:38; Pv 11:24-25).

2. Deus é quem nos dá para distribuímos – (9:8-9)

3. Deus multiplica a nossa sementeira quando semeamos além de comer todas as sementes (9:10-11).

4. O serviço de assistência aos santos ajuda o próxima e glorifica a Deus (9:12-15).
a) Gera glorificação ao nome de Deus – Mt 5:14-16; 2 Co 9:12,13.
b) Gera intercessão em nosso favor – 2 Co 9:14
c) Aumenta a camaragem – 2 Co 9:14.

5. Tudo quanto dermos não é ainda retribuição adequada pelo dom inefável de Deus – 2 Co 9:15; 8:9.

Rev. Hernandes Dias Lopes

2 Comentários

  • Messias da silva Posted 23 de junho de 2010 23:53

    Paz meu querido Pr Hernandes, gosto de sua palavra, amo sua vida, aprecio suas palavras , vejo -o na tv com frequencia.
    Nunca tinha visto seu site, mas sei que o sr, é mestre, passarei a ler suas materias com frequencia. um abraço Messias

  • Ivan Posted 13 de dezembro de 2011 15:05

    Graça e paz , Rev que Deus continue te abençoando cada vez mais, por favor gostaria de saber qual a posição da Igreja hj no que diz respeito a Dizimos expecificamente o texto de Malaquias,,,estamos na lei da obrigatoriedade ou na na lei da liberdade como diz Tiago e Paulo ??? por favor sei que é um homem de Deus e que posso confiar , por isso envio esta questão , desde já agradeço pela colaboração .

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *