A graça de Deus nos capacita a lidar com o sofrimento

A vida não é indolor. Nossa jornada neste mundo não é feita por caminhos atapetados, mas por estradas juncadas de espinhos. Palmilhamos desertos tórridos, descemos a vales escuros e atravessamos pinguelas estreitas, sobre pântanos perigosos. Aqui, muitas vezes, alimentamo-nos de nossas próprias lágrimas. A dor cruel nos açoita com rigor desmesurado. A dor das perdas, do luto e da saudade dói mais do que a dor que fustiga nosso corpo. A dor das lembranças amargas, das doenças crônicas e do pecado que tenazmente nos assediam, acicatam nossa mente, nosso corpo e nossa alma.

O sofrimento mostrou sua carranca de forma dolorosa no segundo mais trágico incêndio ocorrido no Brasil. Nos albores do dia 28 de janeiro de 2013, uma tragédia aconteceu em Santa Maria, cidade universitária do próspero estado do Rio Grande do Sul. A boate Kiss pegou fogo e mais de duzentos e trinta jovens e adolescentes pereceram, asfixiados pela fumaça tóxica. Sonhos foram interrompidos. Carreiras brilhantes terminaram abruptamente. Casamentos marcados não puderam se concretizar. Pais que esperavam seus filhos voltar ao lar, acordaram sobressaltados pela amarga notícia, de que seus filhos haviam morrido naquela fatídica noite. O sofrimento foi tão grande que a nação inteira chorou diante dessa tragédia. Ninguém, por mais forte, consegue lidar com esse sofrimento, estribado em suas próprias forças. Somente a graça de Deus pode nos assistir nessas horas. Somente a graça de Deus pode nos dar ânimo para prosseguir.

O apóstolo Paulo, depois de um passado sombrio, quando perseguiu, prendeu e deu seu voto para matar muitos discípulos de Cristo, foi convertido no caminho de Damasco. Tornou-se o maior missionário e plantador de igrejas da história do Cristianismo. Sua vida, porém, foi timbrada pelo sofrimento. Foi perseguido, preso, açoitado, apedrejado e fustigado com varas. Por onde passou, enfrentou pressões e ameaças. O fato de ser um homem cheio do Espírito não o isentou de sofrer. Em sua última carta, despedindo-se de seu filho Timóteo, preso numa masmorra romana, cônscio de que enfrentaria o martírio, abriu seu coração para dizer que estava enfrentando solidão, abandono, privações, traição e ingratidão. Apesar de tão severo sofrimento, sabia que não caminhava para um fim trágico, mas avançava rumo à glória para receber do reto Juiz, sua recompensa. Foi a graça de Deus que o manteve de pé nas renhidas batalhas da vida. Foi a graça de Deus que o capacitou a cantar na prisão. Foi a graça de Deus que o consolou nas amargas provações da vida. Foi a graça de Deus que o revestiu de forças para cumprir cabalmente seu ministério. Foi a graça de Deus que o encheu de doçura e esperança mesmo em face da morte.

Nenhum homem tem capacidade de lidar com o sofrimento à parte da graça de Deus. Somos frágeis vasos de barro. Não podemos ficar de pé escorados no bordão da autoconfiança. Sem a graça a Deus e sem o Deus de toda a graça sucumbimos à dor. Mas, pela graça somos consolados no sofrimento para sermos consoladores. Tornamo-nos receptáculos do conforto divino para sermos canais dessas ternas consolações. Nem sempre, porém, Deus nos poupa do sofrimento. Nem sempre temos alívio da dor. Nem sempre a cura se torna uma realidade. Mas a graça de Deus jamais nos falta. A graça de Deus é melhor do que a vida. A graça de Deus nos basta. Nessas horas, o poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza. Como Jó, podemos gritar, mesmo no torvelinho da nossa dor: “Eu sei que o meu Redentor vive e por fim se levantará. Vê-lo-ei por mim mesmo”. Podemos dizer como Pedro: “Ora, o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de terdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar”. Podemos, dizer como Paulo: “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação”. Oh, bendita graça! Graça sublime! Graça que nos salva, nos fortalece e nos capacita e lidar vitoriosamente com o sofrimento.

6 Comentários

  • Jessé Santanna Posted 12 de fevereiro de 2013 12:54

    Obrigado,

    por ser uma benção nos momentos mais difíceis de nossa Vida, que Deus te abençoe.

  • Edson JF Ázara Posted 13 de fevereiro de 2013 22:05

    O triste é que por semanas a tragédia do RS chamou a atenção de todos os brasileiros, mas a tristeza neste último fim de semana foi substituída pela euforia do carnaval. Sem a atenção das pessoas, só mesmo o amor e as consolações do Espírito Santo para fortalecerem as famílias enlutadas.

  • Dária Oliveira Posted 4 de março de 2013 14:51

    O presente artigo veio consolar o meu coração, pois estamos passando momentos bem difíceis com a “perda” de uma sobrinha ontem.A JESUS TODA HONRA E GLÓRIA..

  • Marcelo Tavares Posted 8 de março de 2013 12:33

    Bendito seja Deus, que nos tem dado a sua graça, pois em muitos momentos é ela que nos dá força para seguirmos em frente. Que Deus possa continuar a derramar de sua graça sobre estes familiares, para serem amparados neste momento tão difícil. Graça e paz da parte de Deus Pai e do nosso Senhor Jesus Cristo (Gal.1.3).

  • Dária Oliveira Posted 9 de março de 2013 10:37

    Hoje, quem está lendo essa mensagem tão oportuna, para a minha vida, é Celita Trigo, irmã de Dária. Perdemos uma sobrinha, que eu considerava filha, a dor
    continua, só a misericórdia de Deus, através do Espírito Santo, para aguentar tamanha dor.

  • Débora Aparecida B. D. Posted 4 de julho de 2014 10:10

    Obrigado Pr. Hernandes,por nos fazer lembrar que somos meros mortais itotalmente incapaz.Por um momento parece que os crentes são super-heróis proíbidos de manifestar qualquer dor ou sofrimento,pois assim sendo somos tidos como fracos,sem fé,vazios de Deus.

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *