A morte de uma igreja

As sete igrejas da Ásia Menor, conhecidas como as igrejas do Apocalipse, estão mortas. Restam apenas ruínas de um passado glorioso que se foi. As glórias daquele tempo distante estão cobertas de poeira e sepultadas debaixo de pesadas pedras. Hoje, nessa mesma região tem menos de 1% de cristãos. Diante disso, uma pergunta lateja em nossa mente: o que faz uma igreja morrer? Quais são os sintomas da morte que ameaçam as igrejas ainda hoje?

1. A morte de uma igreja acontece quando ela se aparta da verdade. Algumas igrejas da Ásia Menor foram ameaçadas pelos falsos mestres e suas heresias. Foi o caso da igreja de Pérgamo e Tiatira que deram guarida à perniciosa doutrina de Balaão e se corromperam tanto na teologia como na ética. Uma igreja não tem antídoto para resistir a apostasia e a morte quando a verdade é abandonada. Temos visto esses sinais de morte em muitas igrejas na Europa, América do Norte e também no Brasil. Algumas denominações histórias capitularam-se tanto ao liberalismo como ao misticismo e abandonaram a sã doutrina. O resultado inevitável foi o esvaziamento dessas igrejas por um lado ou o seu crescimento numérico por outro, mas um crescimento sem compromisso com a verdade e com a santidade.

2. A morte de uma igreja acontece quando ela se mistura com o mundo. A igreja de Pérgamo estava dividida entre sua fidelidade a Cristo e seu apego ao mundo. A igreja de Tiatira estava tolerando a imoralidade sexual entre seus membros. Na igreja de Sardes não havia heresia nem perseguição, mas a maioria dos crentes estava com suas vestiduras contaminadas pelo pecado. Uma igreja que flerta com o mundo para amá-lo e conformar-se com ele não permanece. Seu candeeiro é apagado e removido.

3. A morte de uma igreja acontece quando ela não discerne sua decadência espiritual. A igreja de Sardes olhava-se no espelho e dava nota máxima para si mesma, dizendo ser uma igreja viva, enquanto aos olhos de Cristo já estava morta. A igreja de Laodicéia considerava-se rica e abastada, quando na verdade era pobre e miserável. O pior doente é aquele que não tem consciência de sua enfermidade. Uma igreja nunca está tão à beira da morte como quando se vangloria diante de Deus pelas suas pretensas virtudes.

4. A morte de uma igreja acontece quando ela não associa a doutrina com a vida. A igreja de Éfeso foi elogiada por Jesus pelo seu zelo doutrinário, mas foi repreendida por ter abandonado seu primeiro amor. Tinha doutrina, mas não vida; ortodoxia, mas não ortopraxia; teologia boa, mas não vida piedosa. Jesus ordenou a igreja a lembrar-se de onde tinha caído, a arrepender-se e a voltar à prática das primeiras obras. Se a doutrina é a base da vida, a vida precisa ser a expressão da doutrina. As duas coisas não podem viver separadas. Uma igreja viva tem doutrina e vida, ortodoxia e piedade.

5. A morte de uma igreja acontece quando falta-lhe perseverança no caminho da santidade. As igrejas de Esmirna e Filadélfia foram elogiadas pelo Senhor e não receberam nenhuma censura. Mas, num dado momento, nas dobras do futuro, essas igrejas também se afastaram da verdade e perderam sua relevância. Não basta começar bem, é preciso terminar bem. Falhamos, muitas vezes, em passar o bastão da verdade para a próxima geração. Um recente estudo revela que a terceira geração de uma igreja já não tem mais o mesmo fervor da primeira geração. É preciso não apenas começar a carreira, mas terminar a carreira e guardar a fé! É tempo de pensarmos: como será nossa igreja nas próximas gerações? Que tipo de igreja deixaremos para nossos filhos e netos? Uma igreja viva ou igreja morta?

20 comentários em “A morte de uma igreja”

  1. Muito abençoador este site!
    Estamos vivendo dias difíceis,mas mesmo em pequeno número,há aqueles que buscam uma vida de intimidade com o Senhor.
    O que nos falta, é contagiarmos outros e para isso é preciso sair do ostracismo e sermos sal da terra e luz do mundo!!

  2. Meu desejo é que Deus me abençoe muito, e também a toda a igreja brasileira para que possamos ser uma igreja cheia do Espíriro Santo. Quando ainda adolescente eu lia as palavras do Pr. Hernandes. Louvo a Deus porque elas estavam fundamentadas na Bíblia e até hoje tenho sido muito bem sucedido na minha vida espiritual, a despeito das tribulaçoes e críticas que sofria na adolescência neste mundo de libertinagem. Valeu, e ainda vale a pena manter-se firme na palavra, longe do mundo e na busca por santidade. Paz!

  3. Agradeço a Deus em Cristo pela sua vida meu querido e amado pastor. Continue lutando e defendendo a verdade de Cristo, mesmo em tempos tão conturbados e de tamanha frieza espiritual. Graça e Paz!

  4. Amado pastor louvo a Deus pela sua vida, pois é preciso alertar o povo de Deus dos falsos profetas, homens que querem construir,o seu imperio atraves do evangelho,é preciso dar um basta aos marqueteiro da fé e declararmos santidade ao Senhor Deus um grande abraço

  5. O evangelho de Cristo não permaneceu estagnado como uma seita judaica em seu local de origem. Os desígnios de Deus são maiores que os nossos.
    Paulo foi enviado a Roma para cumprir a pregação do evangelho na Europa.
    Os puritanos foram “enviados” ao Novo Mundo para cumprir a pregação do evangelho na América.
    Hoje as fronteiras da propagação do evangelho estão nos cantões da Ásia, África, Amazônia e nos confins da Terra.
    O verdadeiro cristianismo está centralizado em Cristo, e não em uma instituição mundial de dois milênios.
    Desde o início igrejas nasceram e morreram, mas o alvo de nossa fé é Cristo, o autor da Vida.
    E o importante é saber que os “confins da Terra” são todos os lugares, e não percamos tempo, o nosso próximo precisa conhecer o evangelho do amor.

  6. Seria muito importante que fosse solicitado de todas as igrejas presbiterianas no Brasil, que estas mensagens fossem passadas, muitos não tem oportunidade e estão morrendo… infelizmente.
    Deus tenha misericordia das ovelhas mal alimentadas, pr. Hernandes nos visite. Maranhão.

  7. Querido Pastor Hernandes, louvo a Deus por sua vida. Infelizmente, atualmente, são poucos os pastores que nos falam o que precisamos ouvir. pois se preocupam em falar apenas o que nos agradam.Deus vai cobrá-los disso. Continue assim, Pastor.pois o nosso respeito e admiração pelo senhor só vai aumentar.

  8. Muito boa essa palavra pastor.Nós somos reflexo da Europa e Estados Unidos ,nos usos e costumes.Temos que pedir ao Senhor que tenha misericordia de nós para não enveredarmos no mesmo caminho espiritual, Que o Sr tire a trave de nossos olhos,que o Sr nos fortaleça para lutarmos contra essa armadilha do inimigo de acharmos que dá para conciliar vida cristã com costumes do mundo.Que possamos ter coragem para uma nova Reforma em nossas igrejas, acabando o com o triunfalismo nos pulpitos com o culto a personalidade,com a idolatria evangelica,com a indulgência em nome de Cristo e outas teses que cada um pode enumerar.Temos que convocar o povo a orar ,jejuar ,perdoar ,cuidar mais um do outro,enfim VEM ESPIRITO SANTO.TOCA-NOS
    Aguinaldo ???Guina
    IPB Ermelino Matarazzo SP

  9. Linda pregação Pr. Hernandes. O que é a morte? É o fim de um período de nossa existência. Durante está existência, cabe a nós tomarmos posse daquilo que vai colaborar para que vivamos de forma como agrada a Deus, pois de nada adianta termos tudo e nos faltar a maravilhosa presença de Deus, do seu espírito e de Jesus Cristo nosso salvador e remidor. Assim também é com a igreja, quando ela esqueçe que sem Deus e seus preceitos que estão contido na sua palavra, ela começa a se enveredar por caminhos própios e sem volta, segui a palavra de Deus. 1- Jo 8:3 2- Jo2:15 – 3 1 Cor 2:15 – 4 SL 34:14 – 5 Heb. 12:14. Que Deus nos abençoe.

  10. è realmente o que estamos vivendo, igrejas cheias de corações vazios. cristãos trazendo o mundo para dentro das igrejas. Inverteu-se os papeis, ao invés de transformar o mundo, não se conformar, estamos deixando brechas para o inimigo invadir nossas igrejas. Que o Senhor Deus derrame mais e mais sabedoria, visão e saude na sua vida para continuar a obra.

  11. Muito forte a mensagem.
    Lamentavelmente a igreja viva hoje uma autêntica letargia espiritual. A igreja faz muito, mas ela é muito pouco para Deus.
    Ha uma mercadorização da religiao, a igreja virou um negócio.
    Muita emoção e pouca razão.
    A igreja transformou_se em um vale de ossos secos.

  12. Ao me deparar com tanta aceitação da mensagem ministrada, fico a pensar, quantos de nos estamos empenhados realmente a nao deixar que a igreja venha a morrer, o que de concreto se tem feito para que a Igreja do Senhor permaneça viva e atuante, quantos estão dispostos a nadar contra a maré de movimentos e falar a verdade. isto me preocupa e me tem feito agir neste sentido, pois somente concordar nao muda nada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *