A PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO E A PREGAÇÃO

 

​Há uma estreita conexão no livro de Atos dos Apóstolos entre plenitude do Espírito Santo e pregação. Sempre que a igreja foi revestida com o poder do Espírito, ela saiu para pregar. O Espírito Santo é derramado para levar a igreja para fora dos portões. O Espírito desce sobre a igreja e a igreja sai para anunciar a palavra de Deus. O Espírito vem sobre a igreja e a igreja vai lá fora onde os pecadores estão para levá-los a Cristo.

​Em Atos 1.8 há a promessa do revestimento de poder. No Pentecostes essa promessa se cumpre e a igreja é capacitada para ser testemunha até aos confins da terra. Em Atos 2.4, os cento e vinte discípulos que estavam no cenáculo ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar as grandezas de Deus. O apóstolo Pedro, cheio do Espírito Santo, levantou-se para pregar uma mensagem Cristocêntrica e quase três mil pessoas foram salvas (At 2.14-41). Em face da prisão e da ameaça aos apóstolos, a igreja em vez de se intimidar, orou com fervor, pedindo intrepidez para pregar. O Espírito desceu sobre eles e encheu a todos e, com intrepidez, anunciaram a palavra de Deus (At 4.31). Em Atos 6.3 vemos os apóstolos escolhendo dentre os irmãos homens cheios do Espírito Santo para ocuparem a diaconia das mesas. O resultado foi o crescimento da palavra de Deus, e, em Jerusalém, se multiplicava o número dos discípulos (At 6.7). Estêvão, cheio do Espírito Santo, graça e poder fazia prodígios e grandes sinais entre o povo e ninguém podia resistir à sabedoria e ao Espírito, pelo qual ele falava (At 6.8,10). Seu sermão foi um verdadeiro passeio pela história da redenção (At 7.1-60).

​Em face da perseguição da igreja em Jerusalém, todos os crentes exceto os apóstolos foram dispersos (At 8.1), mas os que foram dispersos iam por toda parte pregando a palavra (At 8.4). Felipe, que era um homem cheio do Espírito Santo (At 6.3-5), desceu a Samaria e ali pregou aos ouvidos e aos olhos e viu grandes multidões atendendo, unânimes, às coisas que ele dizia (At 8.6). Logo que Saulo foi convertido a Cristo, depois de ser curado, batizado e cheio do Espírito Santo, passou a pregar nas sinagogas, a Jesus, afirmando ser ele o Filho de Deus e, ainda, demonstrando ser ele o Cristo, o Messias (At 9.17,18; 9.20,23).

​Uma igreja que caminha no conforto do Espírito é uma igreja que cresce em números (At 9.31). Barnabé e Saulo, enviados pelo Espírito Santo, saíram para a primeira viagem missionária. Pregaram aos ouvidos e aos olhos e igrejas foram plantadas e liderança foi estabelecida nas igrejas (At 13 e 14). A obra de Deus avançou no poder do Espírito e igrejas foram plantadas nas províncias da Galácia, Macedônia, Acaia e Ásia Menor. A igreja saiu de Jerusalém e chegou a Roma, o coração do império.

​A igreja ainda hoje precisa caminhar na força do Espírito. Antes de Jesus enviar a igreja ao mundo, enviou o Espírito à igreja. Essa ordem não pode ser invertida. A obra de Deus não pode ser feita na força do braço da carne. Não haverá pregação poderosa para o crescimento da igreja a não ser que o Espírito Santo nos capacite. A pregação deve ser lógica em fogo vinda de um pregador que está inflamado pelo fogo do Espírito. Os resultados pífios da pregação hoje devem-se à nossa fraqueza espiritual. Falta oração e poder. Falta quebrantamento e fervor. Temos luz na mente, mas não fogo no coração. Temos conhecimento, mas falta-nos o poder do Espírito. O preparo humano não pode dispensar a capacitação divina. Precisamos estudar a ponto de sermos obreiros aprovados, mas precisamos, de igual modo, dobrar os joelhos e pedirmos o revestimento do poder do Espírito. Não podemos falar ao povo apenas da plenitude da nossa cabeça e do vazio do nosso coração. Precisamos ter a mente cheia da verdade e o coração aquecido pelo fogo do céu. Precisamos de ortodoxia e piedade, conhecimento e poder. Precisamos da capacitação do céu para sermos embaixadores de Deus na terra. Precisamos do poder de Deus para pregarmos com eficácia aos homens!

 

Rev. Hernandes Dias Lopes

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *