A suficiência das Escrituras

A Reforma do século dezesseis foi um divisor de águas na vida da igreja e também na história da humanidade. A Reforma não foi uma inovação, mas uma restauração. Não foi a abertura de um novo caminho, mas uma volta às veredas antigas. Não foi a introdução de um novo evangelho, mas uma volta ao antigo evangelho. A Reforma foi uma volta à doutrina dos apóstolos, um retorno ao Cristianismo puro e simples. As verdades enfatizadas na Reforma podem ser sintetizadas em cinco “solas”: Sola Scriptura, Sola Fide, Sola Gratia, Solu Christu e Soli Deo Gloria. Vamos destacar agora o Sola Scriptura.

Todas as igrejas cristãs creem nas Escrituras e aproximam-se dela como Palavra de Deus. Porém, nem todas têm o mesmo conceito das Escrituras. A Bíblia não apenas contém a Palavra de Deus, a Bíblia é a Palavra de Deus. A Bíblia não é uma dentre as regras de fé e prática, mas nossa única regra de fé e prática. Destacaremos, aqui, três pontos importantes para a nossa reflexão.

Em primeiro lugar, as Escrituras são inerrantes. Jesus Cristo foi enfático em dizer que as Escrituras não podem falhar. Ele disse, também, que a Palavra de Deus é a verdade. Não há erros nas Escrituras. Não há contradição nos seus registros. Seus relatos não são mitológicos. A Palavra de Deus é fiel e verdadeira e digna de inteira aceitação. Nem uma das palavras de Deus pode cair por terra. Nenhuma de suas promessas pode fracassar. Pode passar o céu e a terra, mas a Palavra de Deus não vai passar. Ela permanece para sempre. Suas profecias se cumpriram, estão se cumprindo e cumprir-se-ão à risca. Deus conhece a história antes de ela acontecer. O próprio Deus que inspirou as Escrituras é quem dirige os destinos da história.

Em segundo lugar, as Escrituras são suficientes. Nada pode ser acrescentado às Escrituras. Ainda que um anjo venha do céu e pregue outro evangelho, além do que está registrado nas Escrituras, deve ser decisivamente rejeitado. Há dois desvios perigosos com respeito às Escrituras atualmente. O primeiro deles é o liberalismo teológico. Os teólogos liberais não creem na infalibilidade nem na suficiência das Escrituras. Aproximam-se dela não com fé, mas com suspeitas; não com humildade, mas com insolência; não com submissão, mas com rebeldia. Atribuem às Escrituras muitos erros. Afirmam que ela está cheia de falhas e que seus relatos históricos estão repletos de contradição. Afirmam que seus milagres não passam de mitos. Esses paladinos do engano e arautos da incredulidade retiram das Escrituras o que está nas Escrituras, atraindo sobre si mesmos a merecida punição de seu erro. O segundo desvio é o sincretismo religioso. Há muitos crentes que olham para as Escrituras como um livro mágico, usando-a apenas como uma espécie de amuleto religioso. Não a estudam com profundidade nem a aceitam como a única regra de fé e prática. Estão sempre buscando novas revelações e correndo atrás de novos sonhos e visões para nortear-lhes os passos. Se os liberais removem das Escrituras seu conteúdo, os adeptos do sincretismo acrescentam às Escrituras suas novas visões e revelações. Desta maneira, ambas as posições são um sinal de rebeldia contra Deus e uma evidência de insolente apostasia. Não precisamos de novas revelações. Tudo que precisamos saber para a nossa salvação, santificação e serviço está contido nas Escrituras. Devemos conhecê-la, obedecê-la e proclamá-la com fidelidade e senso de urgência.

Em terceiro lugar, as Escrituras são eficientes. As Escrituras não são apenas inerrantes e suficientes, elas são também eficientes. Elas realizam todo o propósito de Deus. Elas não voltam para Deus vazia. Elas são mais preciosas do que o ouro e mais doces do que mel. Elas são não apenas inspiradas, mas também úteis para toda a correção, repreensão e ensino. É por meio delas que Deus chama seus eleitos. É por meio delas que Deus santifica seu povo. É por meio delas que Deus consola seus filhos. É por meio delas que Deus fortalece a sua igreja e a equipada para cumprir sua missão.

5 Comentários

  • vasni de souza Posted 7 de outubro de 2011 8:00

    os que acham que as Escrituras não são suficientes são aqueles que a Biblia chama de falsos mestres, como em 2PE-2,1,3: Assim como no meio do povo, surgiram falsos profetas,assim tambem haverá entre vós falsos mestres,os quais introduzirão,dissimuladamente heresias destruidoras,até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou,trazendo sobre si mesmo repentina destruição.E muitos seguirão as suas práticas libertinas,e, por causa deles será difamado o caminho da verdade,tambem movidos por avareza,farão comercio de vós,com palavras ficticias; para eles o juizo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme.

    hoje muitas pessoas buscam não o Deus da graça, mas a graça de Deus, estão confundindo Salvação com prosperidade financeira.

    Que Deus te abençoe pr. Hernandes..

  • George Henrique Kling de Moraes Posted 16 de outubro de 2011 19:39

    Muito bom artigo. Fica bem caraterizado a Bíblia como única regra da nossa fé nos ensinamentos de Deus e seu Filho Jesus Cristo. Agora tem realatos na Bíblia que causam-me uma sensação estranha. Por exemplo: matar todos os habitantes de Jerico e outras cidades; Isaque só tinha uma benção para dar? David para casar com filha de Saul entregou-lhe 100 prepúcios de flisiteus! Etc

  • ana lina de sousa silva castro Posted 11 de novembro de 2011 10:13

    gostaria de receber materiais sobre doutrina biblica

  • Liciomar Saraiva de Sousa Posted 27 de novembro de 2011 20:49

    “Não há erros nas Escrituras. Não há contradição nos seus registros”. Essas são suas palavras. Porém você não especificou em que não há contradição, nem erro nas escrituras. Neste aspecto, não posso concordar com o caro reverendo. E dizer que a bíblia é nosso único fundamento de fé e prática é contraditório porque nosso fundamento é um pessoa, Jesus Cristo. Portanto, a bíblia deve ser entendida a luz do mistério pascal de Cristo. A bíblia não é a Palavra de Deus em si, mas contém. As escrituras são Palavra de Deus em palavras humanas, e com tudo o que isso implica. Paz e bem!!

  • Eliel cordeiro Posted 13 de janeiro de 2012 12:15

    boa a reflexão do rev. hernandes, como sempre palavra oprtuna em tempo oportuno.

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *