As razões dos não-dizimistas

Referência: HEBREUS 7.1-10

A doutrina do dízimo é inaceitável para aqueles que ainda não tiveram uma experiência pessoal com Jesus Cristo. Isto porque não foram ainda marcados pela consciência da causa de Deus nem pela prioridade do Seu Reino.
No Novo Testamento a palavra DÍZIMO aparece 9 vezes e ligadas a duas situações:

1) Mt 23.23 = Partindo dos lábios de Jesus em relação aos fariseus. Jesus aqui reafirma a necessidade do dízimo, ao mesmo tempo que denuncia sua prática como demonstração de piedade exterior (Lc 18.12) – “Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho.” Também Jesus denuncia a prática do dízimo como substituição de valores do Reino tais quais: justiça, misericórdia e fé (Lc 11.42).

2) Hb 7. 1-10 = Eis as lições desse texto: a) O Pai da fé deu dízimo de tudo – v. 2; b) O pai da fé deu o dízimo do melhor – v. 4; c) A entrega dos dízimos se deu não por pressão da lei, uma vez que o povo israelita ainda não existia e, portanto, muito menos a lei judaica – v. 6; d) Hebreus nos faz perceber e reconhecer a superioridade do valor do dízimo que é dado a Cristo (imortal) em relação ao dado aos sacerdotes (mortais) – v. 8; e) O autor destaca que os que administram os dízimos também devem ser dizimistas – v. 9.
Ser ou não ser dizimista é uma questão de acreditarmos na causa que abraçamos, na “pérola que encontramos.”
Hoje muitos crentes não são fiéis a Deus na entrega dos dízimos. Para justificar esta atitude criam vários justificativas e desculpas. Se dependessem deles a igreja fecharia as portas. Não existiria templos, nem pastores, nem missionários, nem bíblias distribuídas, nem assistência social.
Eis as justificativas clássicas dos não-dizimistas:

I. JUSTIFICATIVA TEOLÓGICA
Ah, eu não sou dizimista, porque DÍZIMO é da lei. E eu não estou debaixo da lei, mas sim da graça.
Sim! O dízimo é da lei, é antes da lei e é depois da lei. Ele foi sancionado por Cristo. Se é a graça que domina a nossa vida, porque ficamos sempre aquém da lei? Será que a graça não nos motiva a ir além da lei?
Veja: a lei dizia: Não matarás = EU PORÉM VOS DIGO AQUELE QUE ODIAR É RÉU DE JUÍZO
a lei dizia: Não adulterarás = EU PORÉM VOS DIGO QUALQUER QUE OLHAR COM INTENÇÃO IMPURA…
a lei dizia: Olho por olho, dente por dente = EU PORÉM VOS DIGO: SE ALGUÉM TE FERIR A FACE DIREITA, DÁ-LHE TAMBÉM A ESQUERDA.
A graça vai além da lei: porque só nesta questão do dízimo, ela ficaria aquém da lei? Esta, portanto, é uma justificativa infundada.
Mt 23.23 = justiça, misericórdia e fé também são da lei. Se você está desobrigado em relação ao dízimo por ser da lei, então você também está em relação a estas virtudes.

II. JUSTIFICATIVA SENTIMENTAL
Muitos dizem: A bíblia diz em II Co 9.7 “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria” = espontânea e com alegria.
Só que este texto não fala de dízimo e sim de oferta. Dízimo é dívida. Não pagar dízimo é roubar de Deus.
Perguntamos também: O que estará acontecendo em nosso coração que não permite que não tenhamos alegria em dizimar? Em sustentar a Causa que abraçamos e defendemos?

III. JUSTIFICATIVA FINANCEIRA
“O que eu ganho não sobra ou mal dá para o meu sustento.
1) O dízimo não é sobra = Dízimo é primícias. “Honra ao Senhor com as primícias da tua renda.” Deus não é Deus de sobras, de restos. Ele exige o primeiro e o melhor.
2) Contribua conforme a tua renda para que a tua renda não seja conforme a tua contribuição = Deus é fiel. Ele jamais fez uma exigência que não pudéssemos cumprir. Ele disse que abriria as janelas dos céus e nos daria bênçãos sem medidas se fôssemos fiéis. Ele nos ordenou a fazer prova Dele nesta área. Ele promete abrir as janelas do céu! Ele promete repreender o devorador por nossa causa.
3) Se não formos fiéis, Deus não deixa sobrar = Ageu diz que o infiel recebe salário e o coloca num saco furado. Vaza tudo. Foge entre os dedos. Quando somos infiéis fechamos as janelas dos céu com as nossas próprias mãos e espalhamos o devorador sobre os nossos próprios bens.

IV. JUSTIFICATIVA ASSISTENCIAL
“Prefiro dar meu dízimo aos pobres. Prefiro eu mesmo administrar meu dízimo.
“ A Bíblia não nos autoriza a administrar por nossa conta os dízimos que são do Senhor. O dízimo não é nosso. Ele não nos pertence. Não temos o direito nem a permissão nem para retê-lo nem para administrá-lo.
A ordem é: TRAZEI TODOS OS DÍZIMOS À CASA DO TESOURO PARA QUE HAJA MANTIMENTO NA MINHA CASA. A casa do Tesouro é a congregação onde assistimos e somos alimentados.
Mas será que damos realmente os “nossos” dízimos aos pobres? Com que regularidade? Será uma boa atitude fazer caridade com a parte que não nos pertence?

V. JUSTIFICATIVA POLÍTICA
“Eu não entrego mais os meus dízimos, porque eles não estão sendo bem administrados.”
Não cabe a nós determinar e administrar do nosso jeito o dízimo do Senhor que entregamos. Se os dízimos não estão sendo bem administrados, os administradores darão conta a Deus. Não cabe a nós julgá-los mas sim Deus é quem julga. Cabe a nós sermos fiéis.
Não será também que esta atitude seja aquela do menino briguento, dono da bola, que a coloca debaixo do braço sempre que as coisas não ocorrem do seu jeito?
Deus mandou que eu trouxesse os dízimos, mas não me nomeou fiscal do dízimo.

VI. JUSTIFICATIVA MÍOPE
“A igreja é rica e não precisa do meu dízimo.”
Temos conhecimento das necessidades da igreja? Temos visão das possibilidades de investimento em prol do avanço da obra? Estamos com essa visão míope, estrábica, amarrando o avanço da obra de Deus, limitando a expansão do Evangelho?
AINDA, não entregamos o dízimo para a igreja. O dízimo não é da igreja. É DO SENHOR. Entregamo-lo ao Deus que é dono de todo ouro e de toda prata. Ele é rico. Ele não precisa de nada, mas exige fidelidade. Essa desculpa é a máscara da infidelidade.

VII. JUSTIFICATIVA CONTÁBIL
“Não tenho salário fixo e não sei o quanto ganho.”
Será que admitimos que somos maus administradores dos nossos recursos? Como sabemos se o nosso dinheiro dará para cobrir as despesas de casa no final do mês?
Não sabendo o valor exato do salário, será que o nosso dízimo é maior ou menor do que a estimativa? Porque ficamos sempre aquém da estimativa? Será auto-proteção? Será desinteresse?

VIII. JUSTIFICATIVA ECLESIOLÓGICA
“Não sou membro da igreja”
Acreditamos mesmo que os nossos deveres de cristãos iniciam-se com o Batismo e a Profissão de Fé ou com a inclusão do nosso nome num rol de membros?
Não será incoerência defendermos que os privilégios começam quando aceitamos a Cristo: (o perdão, a vida eterna) e os deveres só depois que nos tornamos membros da igreja? Somos menos responsáveis pelo crescimento do Reino de Deus só porque não somos membros da igreja?

CONCLUSÃO
É hora de abandonarmos nossas evasivas. É hora de darmos um basta às nossas desculpas infundadas. É hora de pararmos de tentar enganar a nós mesmos e convencer a Deus com as nossas justificativas.
É hora de sermos fiéis ao Deus fiel. É hora de sabermos que tudo é de Deus: nossa casa, nosso carro, nossas roupas, nossas jóias, nossos bens, nossa vida, nossa saúde, nossa família. TUDO É DELE. Somos apenas mordomos, administradores. Mordomos e não donos. Deus quer de nós obediência e não desculpas. Fidelidade e não evasivas.
Que atitude vamos tomar? Nosso coração está onde está o nosso tesouro. Se buscarmos em primeiro lugar o Reino de Deus, não vamos ter problemas com o dízimo. Amém.

Rev. Hernandes Dias Lopes.

101 comentários em “As razões dos não-dizimistas”

  1. Dízimo é mandamento estritamente JUDAICO, porque não pegamos outras dezenas de leis dentro das 613 no judaísmo e aplicamos dentro das igrejas? Porque a organização faz o que convém! Sou a favor do membro dizimar, mas forçar na bíblia um argumento que nos convém, não!

    1. Pr. Flávio Ataliba

      O cristão não é judaizante. O cristianismo tem um corpo doutrinário próprio. Você deve saber que algumas práticas judaicas foram, claramente, abolidas no novo testamento. A circuncisão foi substituída pelo batismo e a Páscoa pela Santa Ceia. Não há registro neotestamentário algum de que o dízimo foi prescrito, como foram a circuncisão e a Páscoa. Faço coro ao Pr. Hernandes do fato de que o dízimo é ordenança bíblica antes da sistematização da lei e que não caducou.

  2. É LÓGICO QUE O AUTOR DO TEXTO TEM QUE DIZER QUE O DÍZIMO É CERTO, SABE PQ? PQ É COM OS DÍZIMOS Q ELES CONSEGUEM LUXAR EM TODAS AS FORMAS.
    TEM QUE SER MUITO ANALFABETO OU ALIENADO OU BAJULADORES DESSES MERCENÁRIOS PRA CONCORDAR.
    DÍZIMO Ñ É PRA NÓS. DÍZIMO ERA SOMENTE PRA AQUELA NAÇÃO. FUJAM DO ENGANO DOS MERCENÁRIOS CHARLATÕES MENTIROSOS

  3. ROBSON VALERIANO

    Tenho uma dúvida, se as pessoas não dizimam porque não tiveram um encontro com Deus.
    O que dizer,dos pastores que recolhem esse dízimo e não o depositam ou levam a casa do tesouro?
    Lembrando, onde ficava a casa do tesouro?
    Sempre fui dizimista,mais ouvi pastores falando pra ajuda só quem é da igreja ou passar pra igreja dele,vi pessoas precisando e o pastor recolher ajuda de quem já dizima e oferta.E quanto ao para que aja mantimento em minha casa?
    Examinem toada a palavra mantimento nos textos bíblicos e veja o significado.

    1. Pr. Flávio Ataliba

      A entrega do dízimo é um ato individual de culto que honra a DEUS. Não é razoável considerar a atitude do outro para determinar como devo agir. Quem define as atitudes de um cristão é a observância dele às sagradas letras. Faça porque a bíblia manda e obedecer à Palavra de DEUS o honra, e por Ele é honrado. Apenas obedeça sem nenhuma motivação externa, sabendo que obedecer é melhor que estar no templo para cultuar.

  4. Eduardo Batista da Silva

    Dízimar não é uma obrigação, é um princípio!

    Abraão e Jacó dizimaram muito antes da Lei judaica! (Gênesis 14:18-20)
    (Genesis 28:20 -22E

    1. O que tenho observado Eduardo, que geralmente boa parte das pessoas que são contra o dizimar, já o fizeram e passaram por algum tipo de decepção por parte da entidade religiosa, a qual pode ter administrado o mesmo de maneira indevida. O inimigo tem atacado muito nesta área com o objetivo de impedir o avanço da obra, mas ele não vai conseguir, pois ainda existem muitos que não se curvam os joelhos ao dinheiro. O nosso Deus é único. Oremos pelas igrejas que não tem administrado de maneira devida o que pertence ao nosso Deus. Respeito o ponto de vista de quem discorda, não me percebo como uma pessoa alienada, mas eu sinto prazer, satisfação em poder dizimar. Louvado seja o Deus das riquezas, dono do ouro , da prata, do bronze e das pedras preciosas, que nos ensina a dizimar; para que sejamos libertos da possibilidade de um culto estranho.

  5. JOANE FARIAS NOGUEIRA

    “”justiça, misericórdia e fé também são da lei. Se você está desobrigado em relação ao dízimo por ser da lei, então você também está em relação a estas virtudes.””

    É o oposto. Para cuidar de tudo isso eu teria que cumprir a lei. Pois Cristo diz que é a justiça da lei. Já que o testador estava vivo e a graça ainda não havia chegado. E ele mesmo cumpria toda a lei. Não a anulou. A cumpriu. E já trocentos outros princípios me mandando ser justa. Não somente esse. Que distorção nojenta.
    Jesus era judeu e falava para escribas e fariseus, não para cristãos. E quanto ao Abraão,ele deu dízimo de despojo de guerra. Não de seus bens. Não ficou com 1 centavo a menos.
    O sábado, a circuncisão e o sacrifício de animais são antes da lei.

    1. Pr. Flávio Ataliba

      A turma judaica, para quem Jesus falava, era dizimista da hortelã, do endro e do cominho, mas eram negligentes na prática da misericórdia, da justiça e da fé. Jesus diz a eles que continuem dizimando, sem esquecer das demais práticas da lei que eles estavam negligenciando. Nesse sentido, se eu abolir a prática de prestar culto com a entrega do dízimo, sob o pretexto de ser algo da lei, devo abolir as demais coisas da lei sob o mesmo pretexto? Claro que não. Entreguemos o dízimo, ao mesmo tempo que exercitamos a justiça, misericórdia e a fé.

  6. Eu quero ser dizimista, mas com um salário pra fazer tudo não sobra :( aluguel 500 + compras 700 + luz 170,00 + água dependendo já é incluído no aluguel + internet 100 + cartão 400 (pq se quebrar alguma coisa tem que comprar
    E aí como vc consegue dá 10%?
    As coisas tão cara demais, tá um absurdo :( corre o risco de você dar o dízimo e ainda ficar devendo os outros

      1. Pr. Flávio Ataliba

        André, essa orientação não é para a entrega do dízimo, mas para um momento difícil que a igreja de Jerusalém estava passando devido a uma terrível seca que ocorrera naquele tempo. Paulo, então, faz uma peregrinação por várias igrejas que ele plantou PEDINDO UMA OFERTA específica para os crentes daquela igreja que passavam por dificuldades. Não observar o contexto pode nos levar a pretextos que podem se tornar ensinos falsos ou heresias.

    1. JADISON OLIVEIRA DA MATTA

      Amada Carla, dízimo não é sobra. Ele é a primícia, a primeira parte a ser tirada de sua renda. É uma questão de fé (Leia Malaquias 3.10-12). O Senhor é quem provê os recursos, não o mundo. Eu conheci uma senhora que pensava como você. Um dia eu a desafiei a tirar primeiro o que era de Deus. Naquele mês, ela foi chamada para trabalhar na casa de uma antiga patroa (era cozinheira), que muito agradecida pelo tempo que ela serviu decidiu lhe dar um salário a mais até o fim de sua vida. A senhora, então, me procurou dizendo: “Antes, eu achava que não daria para dizimar, agora, darei em dobro”. Deus é assim, ele só precisa de um coração. O resto é com ele. Desafie sua fé e seja fiel ao Senhor, e veja o amor de Deus sobre sua vida!

    2. Pr. Flávio Ataliba

      Carla, se você começar o seu orçamento priorizando o dízimo, se prepare para vivenciar o agir sobrenatural de DEUS em provisão sobre você e sua casa. Minha sugestão é que você comece sua vida financeira pela entrega do dízimo e, depois, encaixe as demais despesas. DEUS honra àqueles que o honram.

  7. Eu năo trabalho por falta de oportunidade tenho 59 anos de idade estou fora do mercado de trabalho por também năo ter experiência năo tenho renda, como devolver o dízimo se vivo de favores,alguém que estuda a bíblia me dá uma luz??

    1. JADISON OLIVEIRA DA MATTA

      O dízimo é para quem recebe uma renda (Provérbios 3.9). Deus não é extorsivo. Ele é um Deus generoso, e somente pede que sejamos generosos, dentro daquilo que, antes, Ele nos dá. Se não há renda, não há dízimo.

  8. Desculpe amigo mas vc não pode generalizar todos os Pastores e Igrejas porque existem pastores honestos e fiéis a Deus que deixaram tudo pra abraçar uma obra tão espinhosa se vc não acredita na palavra de Deus e nem ao menos Nele fique calado não julgue as vezes prestamos conta de coisas que falamos sem saber e com A palavra de Deus não há argumentos. só um concelho .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *