Como viver na dimensão da eternidade

O apóstolo Paulo em sua Segunda Carta aos Coríntios, capítulo quatro, versículos dezesseis a dezoito nos ensina a viver na dimensão da eternidade. Nossos pés estão na terra, mas nosso coração está no céu. Vivemos neste mundo como peregrinos, mas estamos a caminho da nossa Pátria permanente. Três verdades saltam aos nossos olhos no texto em apreço. Essas verdades nos direcionam nessa caminhada rumo à glória.

1. Temos um corpo fraco, mas um espírito renovado.“Por isso, não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia” (2Co 4.16). Nossa fraqueza física é notória e indisfarçável. O tempo esculpe em nossa face rugas profundas. Nossas pernas ficam bambas, nossos joelhos trôpegos e nossas mãos descaídas. Cada fio de cabelo branco que surge em nossa cabeça é a morte nos chamando para um duelo. Nosso homem exterior, ou seja, nosso corpo enfraquece-se progressivamente. Mas, ao mesmo tempo, nosso homem interior, ou seja, nosso espírito renova-se de dia em dia, sendo transformado de glória em glória na imagem de Cristo. Ao mesmo tempo em que o nosso corpo se enfraquece, nosso espírito se fortalece. Na mesma proporção que o exterior se corrompe, o interior se renova. Temos um corpo fraco, mas um espírito forte.

2. Temos um presente doloroso, mas um futuro glorioso. “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação” (2Co 4.17). Aqui pisamos estradas juncadas de espinhos, cruzamos vales escuros e atravessamos desertos tórridos. Aqui nossos olhos ficam empapuçados de lágrimas e nosso corpo geme sob o látego da dor. Aqui enfrentamos ondas encapeladas, rios caudalosos e precisamos atravessar fornalhas ardentes. Aqui sofremos, choramos e sangramos. Porém, em comparação com a glória por vir a ser revelada em nós, nossas tribulações são leves e passageiras. O presente é doloroso, mas o futuro é glorioso. Nosso destino final não é um corpo caquético, mas um corpo de glória. Nossa jornada não termina num túmulo gélido, mas na Jerusalém celeste. Nosso fim não é a morte, mas a vida eterna. O nosso futuro de glória deve encorajar-nos a enfrentar com alegria a nossa presente tribulação. O que seremos deve nos encher de esperança para arrostar as limitações de quem somos. Vivemos na dimensão da eternidade!

3. Temos as coisas visíveis que são temporais, mas as coisas invisíveis que são eternas. “Não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas” (2Co 4.18). O visível e tangível que enche nossos olhos e tenta seduzir nosso coração é aquilo que não vai permanecer. Tem prazo de validade e não vai durar para sempre. Mas, as coisas que não vemos são as que têm valor e vão permanecer para sempre. Investir apenas naquilo que é terreno e temporal é fazer um investimento insensato, pois é investir naquilo que não permanece. Investir, porém, nas coisas invisíveis e espirituais, é investir para a eternidade. Jesus diz que devemos ajuntar tesouros lá no céu, pois o céu é nossa origem e nosso destino. O céu é nosso lar e nossa pátria. Nosso Senhor está no céu. Muitos dos nossos irmãos já foram para o céu e nós, que fomos remidos e lavados no sangue de Jesus estamos a caminho do céu. Lá está o nosso tesouro. Lá está a nossa herança. É lá que devemos investir o melhor do nosso tempo e dos nossos recursos. Atentar apenas nas coisas que se veem e que são temporais é viver sem esperança no mundo; mas buscar as coisas que os olhos não veem nem as mãos apalpam é viver na dimensão da eternidade, com os pés na terra, mas com o coração no céu!

4 Comentários

  • Leonardo Corrêa da Silva Posted 15 de dezembro de 2010 16:29

    Infelizmente, muitas vezes não enxergamos nem escutamos essas verdades preciosas em meio às tribulações! Que Deus nos abençoe mostrando-as aos nossos olhos e sussurrando-as aos nossos ouvidos a cada dia! Amém!

  • Pr. Oséias Santos Posted 18 de dezembro de 2010 23:50

    Sou extremamente abençoados pelas Pastorais bem como mensagens do Rev. Hernandes.

    Que Deus lhe guarde e continue lhe abençoado sobremaneira.

  • Ivarda Pereira dos Santos Posted 13 de janeiro de 2011 22:49

    Obrigada Rev. Hernandes, suas mensagens são inspiradoras. Sou pastora metodista e peço licença para citá-lo em minhas pregações, pois creio que suas mensagens são sementes a serem espalhadas. Que Deus o abençoe juntamente com seus queridos.

  • Edite soares da Silva Vieira Posted 23 de junho de 2016 19:58

    Gostei muito da pastoral e aproveitei para adaptar de Missões cujo o tema é Compartilhar o amor de Deus é viver a vida eterna. então culto ficou assim: compatilhar de de Deus é:
    …viver a vida eterna é viver sabendo que temos um corpo fraco, mas, um espirito renovado
    … Viver a vida eterna é sabendo que o nosso presente é doloroso, mas, nosso futuro é glorioso
    …viver a vida eterna é viver sabendo que as coisas visíveis são temporais, mas, as invisíveis são eternas.
    obrigada pelo texto publicado

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *