Cuidado com o dinheiro!

O dinheiro é o maior causador de problemas do mundo. Nenhum assunto produz tantas brigas familiares e nenhum ocupa mais espaço nos noticiários. O dinheiro é o maior senhor de escravos do mundo, o ídolo mais adorado em nossa geração. Precisamos aprender a lidar com o dinheiro antes que ele se torne o nosso carrasco. Não se trata de ter muito ou pouco dinheiro. O que precisamos é ficar livres de sua tirania e o usarmos para a glória de Deus, para o nosso aprazimento e para o bem do nosso próximo. Vejamos alguns princípios:

1. Ganhe o seu dinheiro honestamente – A Lei de Deus é clara e categórica: “Não furtarás” (Ex 20.15). O furto é qualquer manobra para tomar o que é do outro, seja de forma ostensiva ou oculta. O furto é uma apropriação indébita do que não nos pertence. Os bens mal-adquiridos transformam-se em maldição em vez de bênção. Aqueles que se enriquecem de forma ilícita verão que o dinheiro que acumularam transforma-se em combustível para sua própria destruição (Tg 5.1-6). Deus abomina a injustiça social. Aqueles que vivem encastelados em torres de marfim, embriagados pela ganância, acumulando tesouros e mais tesouros, tirando o pão da boca do faminto para acumular suas riquezas terão que um dia comparecer perante o justo Juiz de  vivos e de mortos!

2. Gaste o seu dinheiro criteriosamente – A Bíblia nos ensina a não gastar o dinheiro naquilo que não é pão, ou seja, não gastar em coisas supérfluas (Is 55.1,2). Muitas pessoas gastam tudo que ganham, vivendo de forma ostensiva e até nababesca sem qualquer sensibilidade àqueles que estão à sua volta. São pessoas egoístas e avarentas. Jesus falou do homem rico que vivia regaladamente em seus banquetes sem compadecer-se de Lázaro, faminto e chagado à sua porta. Sua riqueza cegou-o para as suas reais necessidades bem como lhe fechou o coração para as urgentes necessidades do seu próximo. E ao morrer foi para o inferno. Também Jesus chamou de louco o homem que pensou na sua riqueza apenas como um estoque para abastecer a sua própria alma. Reter mais do que é justo é pura perda. Sonegar pão ao que tem fome e vestes ao nu é um pecado que condenará a muitos no dia do juízo (Mt 25.41-46).

3. Invista o seu dinheiro sabiamente – O dinheiro é uma semente. A semente que se multiplica não é aquela que comemos, mas a que semeamos. Quem muito semeia, com abundância ceifará (2Co 9.7). Devemos semear o dinheiro em vez de desperdiçá-lo. Como semear com sabedoria? Primeiro, honrando ao Senhor com as primícias de toda a sua renda (Pv 3.9). Segundo, cuidando da sua família com responsabilidade (1Tm 5.8). Terceiro, socorrendo a todos, especialmente os domésticos da fé (Gl 6.10). Jesus condenou o homem que enterrou o seu dinheiro com medo de perdê-lo em vez de colocá-lo no banco para render juros (Mt 25.24-30). A sábia administração financeira é um princípio divino. Devemos ser bons e fiéis mordomos dos bens que Deus nos confia. Ganhar de forma desonesta ou gastar tudo que ganhamos com futilidades e coisas supérfluas está em total desacordo com a Palavra de Deus.

4. Economize seu dinheiro cuidadosamente – Os especialistas em economia dizem que a diferença entre o rico e o pobre é que o pobre gasta o seu dinheiro em passivos e o rico em ativos. O pobre gasta seu dinheiro naquilo que lhe dá mais despesa e o rico investe o seu dinheiro naquilo que lhe trará mais dividendos. Precisamos ser cautelosos para não comprarmos por compulsão nem à prestação aquilo de que não estamos realmente precisando. Muitas pessoas ficam endividadas porque se perdem nas compras, se enrolam com os créditos e se afogam nos juros. Há pessoas que gastam compulsivamente e se tornam consumistas, comprando o que não precisam, com o dinheiro que não têm, para impressionar as pessoas que não conhecem. Em vez de administrar sabiamente o que ganham e viver contente com o que têm, vivem atormentadas pela insatisfação e desesperadas pelas dívidas.

Rev. Hernandes Dias Lopes

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *