Deus, sara a nossa terra!

O rei Salomão estava consagrando o templo de Jerusalém ao Senhor. Na festa de inauguração, a glória de Deus encheu o templo. O povo ao ver a gloriosa manifestação de Deus, prostrou-se e o adorou. Deus, então, apareceu a Salomão e fez-lhe uma promessa, dizendo que, em caso de crise e juízo sobre a nação, se o seu povo se voltasse para ele, então seus pecados seriam perdoados e sua terra seria curada. (2Cr 7.14). Quatro verdades devem ser destacadas à luz do texto em tela.

1. Em tempos de crise, o povo de Deus deve se humilhar perante a face do Senhor (2Cr 7.14). “Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar…”. Na mesma medida que a obediência produz bênçãos, a desobediência atrai maldição. Quando a nação vira as costas para Deus, rejeitando sua lei, escarnecendo de sua palavra, entregando-se à toda sorte de aberrações morais, promovendo o mal e refreando o bem, o juízo divino torna-se inevitável. A humilhação ante a poderosa mão de Deus é o caminho da restauração. Enquanto o povo endurecer sua cerviz, sofrerá as consequências irremediáveis de sua desobediência. O juízo deve começar pela casa de Deus. Por isso, só uma igreja quebrantada pode chamar a nação ao arrependimento. Só quando a igreja se humilha é que Deus visita a terra com cura.

2. Em tempos de crise, o povo de Deus deve orar com fervor (2Cr 7.14). “Se o meu povo, que se chama pelo nome […] orar, e me buscar…”. O pecado produz sofrimento para a nação, mas a oração abre o caminho da restauração. Quando a igreja se prostra para orar, Deus restaura a nação. Quando a igreja ora, o braço de Deus se move para restaurar o povo. A oração é a maior arma da igreja, pois Deus age por intermédio da oração. A oração é revolucionária, pois orar é conectar o altar ao trono, é unir a fraqueza humana à onipotência divina. Quando a igreja se prostra em oração diante de Deus para buscar sua face, o caminho da restauração e do avivamento é aberto.

3. Em tempos de crise, o povo de Deus deve abandonar seus maus caminhos (2Cr 7.14). “Se o meu povo […] se converter dos seus maus caminhos…”. Os pecados do povo de Deus são mais graves do que os pecados das demais pessoas. Isso, porque, o povo de Deus peca contra um maior conhecimento. O povo de Deus denuncia o pecado em público e, não poucas vezes, o pratica em secreto. Quando um cristão cai, sua queda torna-se pedra de tropeço para os incrédulos. O caminho da restauração passa pela confissão e pelo abandono do pecado. Uma igreja mundana e secularizada é sal que perdeu o sabor. É luz debaixo do alqueire. Seu testemunho é ineficaz, sua voz é confusa e sua influência é pífia. O povo de Deus é convocado pelo próprio Deus a se converter de seus maus caminhos. Quando isso acontece, então sua cura brota sem detença e a nação toda é abençoada.

4. Em tempos de crise, quando o povo de Deus se volta para Deus, ele se volta para seu povo para sarar a nação (2Cr 7.15). “… então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra”. O povo de Deus precisa passar pela porta do arrependimento para ser perdoado e curado. Nosso país está doente e caído pelos seus pecados. Desde o palácio às choupanas, desde o parlamento às cortes, desde a igreja às famílias, desde à indústria ao comércio, desde as salas das escolas às ruas, nossa nação tem multiplicado seus pecados contra Deus. O descalabro moral que feriu com golpes profundos nossa classe política e importantes setores da sociedade é consequência desse descaso com as coisas de Deus. A solução para o Brasil não está apenas nas decisões de nossas cortes nem apenas no escrutínio do voto popular. A solução para o Brasil está em Deus. Se nos voltarmos para Deus em arrependimento, ele se voltará para nós em graça e misericórdia!

3 Comentários

  • FRANCISCO JOSE GADELHA Posted 15 de março de 2016 11:26

    Pastor que palavra oportuna e desafiadora para os dias atuais.
    Que nós como igreja nos citamos, também, responsáveis pela atual situação da nossa nação e venhamos nos humilhar, confessar os nossos pecados para que as nossas orações cheguem a presença de Deus e Ele haja curando nossa amada terra do Brasil.
    ” Ainda há esperança para o Brasil”.

  • tatiana Posted 5 de maio de 2016 21:04

    a igreja,o brasil,israel.todos.as crianca,velhos,ricos,pobres,igrejas,todos.ninguem tem paz.a midia tambem.do alto da cabeca a planta dos pes

  • tatiana Posted 5 de maio de 2016 21:08

    é nessa hora que a igreja tem que tomar uma atitude.tem que se posicionar.pensando nas almas que estao com sede de deus,morrendo sem esperanca de salvacao.acho que ja passou da hora.a igreja sempre foi timida mas acho que esta na hora dela intervir nessa historia já.

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *