Dízimo, dai a Deus o que é de Deus

O dízimo não é invenção da igreja, é princípio perpétuo estabelecido por Deus. O dízimo não é dar dinheiro à igreja, é ato de adoração ao Senhor. O dízimo não é opcional, é mandamento; não é oferta, é dívida; não é sobra, é primícia. O dízimo é ensinado em toda a Bíblia, antes da lei (Gn 14.20), na lei (Lv 27.30), nos livros históricos (Ne 12.44), poéticos (Pv 3.9,10), proféticos (Ml 3.8-12) e também no Novo Testamento (Mt 23.23; Hb 7.8). Negligenciar a devolução dos dízimos é infidelidade a Deus. Sonegar o dízimo é roubar a Deus. Reter o dízimo, que é santo ao Senhor, é colocar-se debaixo de maldição. Entretanto, entregar o dízimo com obediência é repreender o devorador e contar com a promessa das janelas abertas do céu, de onde promanam toda sorte de bênção.

Malaquias, o último profeta do Velho Testamento, registra no capítulo 3.8-12, alguns perigos quanto ao dízimo: Primeiro, reter o dízimo – “Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais a nação toda.” Se o dízimo é santo ao Senhor, não podemos lançar mão dele, não podemos comê-lo nem usá-lo. Precisa ser criteriosamente devolvido ao Senhor. Não devolver o dízimo é roubo, assalto acintoso a Deus. Segundo, subtrair o dízimo – “Trazei TODOS os dízimos.” O dízimo é integral. Não podemos enganar a Deus. Ananias e Safira tentaram reter parte da oferta, e Pedro disse que eles não mentiram a homens, mas ao Espírito Santo. Deus não precisa do nosso dinheiro, pois dele é o ouro e a prata, os animais do campo, a terra, a sua plenitude e todos os que nela habitam. Aliás, tudo o que somos e temos pertence a Deus. Tudo que damos ao Senhor, vem das suas próprias mãos. O que Deus requer de nós é fidelidade. Terceiro, administrar o dízimo – “Trazei todos os dízimos à CASA DO TESOURO.” Deus não nos autorizou administrar o dízimo. Não podemos fazer o que bem entendemos com o que é de Deus. Ele mesmo já estabeleceu em sua Palavra que o dízimo deve ser entregue em sua casa. Deus não nos constituiu administradores do dízimo, mas nos ordenou a entregá-lo com fidelidade em sua casa.

Malaquias ainda fala sobre duas conseqüências graves para os que são infiéis na devolução dos dízimos: Primeiro, a maldição divina – “Com maldição sois amaldiçoados.” A desobediência sempre desemboca em maldição. Insurgir-se contra Deus e violar as suas leis traz maldição inevitável. Deus é santo e não premia a infidelidade. Ele vela pela sua Palavra em a cumprir. Deus é fogo consumidor e terrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo. É tempo da igreja arrepender-se do seu pecado de infidelidade quanto ao dízimo. Sonegar o dízimo é desamparar a Casa de Deus. Sonegar o dízimo é deixar de ser cooperador com Deus na implantação do seu Reino. Segundo, a devastação do devorador – “Por vossa causa repreenderei o devorador.” O profeta Ageu alertou sobre as conseqüências da infidelidade, dizendo que é o mesmo que receber salário e colocá-lo num saco furado (Ag 1.6). Quando retemos fraudulentamente o que é de Deus, o devorador come o que deveríamos entregar no altar do Senhor.

Finalmente, Malaquias fala-nos sobre as bênçãos decorrentes da fidelidade na devolução dos dízimos: Primeiro, as janelas do céus são abertas – É lá do alto que procede toda boa dádiva. Deus promete derramar sobre os fiéis, torrentes caudalosas das suas bênçãos. É bênção sem medida. É abundância. É fartura. Mais vale 90% com a bênção do Senhor do que 100% sob a sua maldição. Segundo, o devorador repreendido – Deus não apenas age ativamente derramando bênçãos extraordinárias, mas também, inibe, proíbe e impede a ação do devorador na vida daqueles que lhe são fiéis. Alguém, talvez, possa objetar dizendo que há muitos crentes não dizimistas que são prósperos financeiramente, enquanto há dizimistas que enfrentam dificuldades econômicas. Contudo, a riqueza sem fidelidade pode ser maldição e não bênção. Também, as bênçãos decorrentes da obediência não são apenas materiais, mas toda sorte de bênção espiritual em Cristo Jesus. O apóstolo Paulo diz que grande fonte de lucro é a piedade com contentamento, enquanto afirma que os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição (I Tm 6.6,9). Concluindo, o Senhor nos exorta a fazer prova dele quanto a esta matéria (Ml 3.10). Deus não quer obediência cega, mas fidelidade com entendimento. O que você vai escolher: bênção ou maldição?

Rev. Hernandes Dias Lopes.

15 Comentários

  • joao Posted 4 de fevereiro de 2011 21:10

    O senhor vive da lei Jesus morreu em vão

  • joao Posted 4 de fevereiro de 2011 21:14

    os presbiteriano devem voltar para lei e fazer tudo de novo

  • FSALES Posted 13 de fevereiro de 2011 13:51

    caro joão, principio é principio……… negligencia-lo foi pecado no antigo restamento e é pecado no novo. como rev. disse dizimo é gratidão e a falta de gratidão não é caracteristica de um remido de deus.

  • Edson Divino de Assis Posted 3 de junho de 2011 16:07

    joão, negligênciar a Biblia na sua essência, é o mesmo que pegarmos o nosso carro colocarmos em uma rodovia acelerarmos em deslocamento e fecharmos os nossos olhos e acharmos que iremos acertar com o caminho.
    Não há no NT nenhuma referência que dê margem para a revogação do dizimo. E mais o dizimo trancede a lei (antes da lei já se dizimava).

    • Fernando Marcos dos Santos Posted 22 de setembro de 2018 11:36

      Abraão e Jacó deram o dízimo numa única vez. Não havia regra. Então não podemos usar o exemplo deles para instituir uma taxa fixa.

  • Marcelo Posted 8 de junho de 2011 18:41

    Se o dizimo já era antes da lei e era dado por fé
    e não depende de lei. Então Deus aceita dizimo de sangue
    Pois o dizimo dado por Abaão era de despojo de guerra.
    E do seu próprio patrimônio era fruto de trapassa,
    Mentira dizendo q sua esposa era sua irmã.
    Entendo as igrejas precisam se manter e a obra de Deus
    Precisa crescer. Mas de uma coisa tenho certeza
    Q se os Pastores aplicassem bem o dinnheiro
    Na obra e isso de uma forma muito transparente
    Com certeza não faltariam recursos . Mas ap contrário
    Do vemos andam com carrões compram jatos

    Emquato membros da mesma igreja passam fome.

  • Adalberto Posted 19 de julho de 2011 20:22

    Vejo que a preocupação maior, não é com as verdades da biblia, pois se fosse, os defensores do tributo DIZIMO, saberiam onde está escrito na biblia a anulação deste sacrificio instituido na lei, então quem tem ouvidos para ouvir ouça, leia a biblia, porque quem desconhece a palavra infelismente não será salvo, e os pagadores de sacrificios, Jesus não pode salvar porque o fim da lei é cristo para justiça de todo aquele que cre. Mais vou ajudar leiam Hebreus capitulo 7, por favor capitulo inteiro, e verão que Deus deixou não um versículo mais um capitulo em detalhes mostrando a anulação de tal tributo, boa sorte aos que querem a verdade, conhecereis a verdade e ela os libertará

    • Pr. Rogério Menezes Posted 1 de maio de 2012 11:36

      Irmão Adalberto? bem, dizimo nunca teve haver com Lei, mas com graça. É uma forma de adorar a Deus, o mesmo principio que teve em Abel, que levou as primícias e também Caim, entretanto, surgiu um grande problema que não tinha nada haver com teologia, mas tudo haver com fé, gratidão e principalmente adoração. Sei que o amado está se referindo a forma que é imposta em certas igreja, nisto concordo, porém já que na graça, muitos estão apegados demais com seus bens, e jamais cumpririam o padrão estabelecido pela graça demonstrada em Atos dos apostolo, onde vendiam seus bens e depositavam nos pés dos apóstolos e tudo era comum a todos, cabe-nos pelo menos atender aquilo que Jesus disse: “.. tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!”. “estas coisas” são os Dízimos e ofertas Mateus 23:23. Talvez, digo talvez, como muitos voce argumente: Mas em atos todos tinham a visão da eminencia da volta de Jesus para aqueles dias. e pergunto e nós não? onde devemos juntar os tesouros? cremos em Deus somente para essa vida? realmente quem assim pensa jamais, poderá entender aquilo que a teologia nunca explicará, pois somente o Espirito revela as coisas espirituais.
      Paz e Graça.

  • neudiene Posted 28 de julho de 2011 16:25

    querido irmão adalberto procura a pregação nesse mesmo site por título A CONTRIBUIÇÃO QUE AGRADA A DEUS e medita tá.

  • neudiene Posted 28 de julho de 2011 16:33

    Querido irmão Marcelo se vc detecta falta de transparência nos investimentos e na administração por parte de alguma igreja que vc conhece esse não é o caso da Igreja Presbiteriana do Brasil, saiba que anualmente a IPB presta contas de toda a receita bem como de todos os investimentos e envia esse relatório em revista impresso e endereçado a todas as IPBs do país, não generalize se não tem conhecimento

  • Trackback: Dízimo: dai a Deus o que é de Deus | Estudos Novo Tempo
  • Antonio Paulo Alves Posted 5 de maio de 2012 23:22

    Não podemos usar a desculpa de que o dizimo serve para enriquecer os pastores enquanto há irmãos passando fome na igreja. É claro que há muita manipulação, e dízimos que são mal administrados, porem os que assim procedem vão dar conta de seus atos ao Senhor que sonda os corações. O importante é cada um ser achado fiel.

  • gilmareneide1@hotmail.com Posted 15 de dezembro de 2012 10:55

    peço ao pastor Hernades dias lopes ., estudo em relação ao dizimo em Deuterononimo., cap. 14 fico grato e tenho mim aprofundado mais e mais nas pastorais no programa verdade e vida ., Deus o abençoe .,abraços., do amigo e irmão gilmar,,, em Natal RN ., igeja presbiteriana de cidade sátelite.,

  • Amilton Posted 2 de março de 2019 15:57

    O dízimo é antes da lei, por isso está no campo da moral de Deus e a moral de Deus é imutável. Dízimo é adoração!

  • Adao Trindade assembleia de Deus Posted 4 de maio de 2019 16:32

    sempre uzei comtribuir para a igreja na pessoa do pastor,e vi a contribuicao ser mal administrada sei que ele dara contas a deus mas se eu continuar contribuindo, nao vou estar ajudando o pastor a entrar em juizo? nminha congregacao o pastor condiciona a bencao ao pagamento do dizimo e ate diz que se eu nao pagar dez por cento deus regeita enao da a becao acho que dar com alegria independe do valor eu entendo que comtribuir e importante mas nao como obrigacao deus nao negocia suas bencaos por valores monetarios o pastor diz que e pela obediecia a esta contribuicao,?????????????? adao trindade

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *