Igreja, um povo conhecido na terra e no céu

O apóstolo Paulo em Efésios 3.14-21 faz uma das mais ousadas orações conhecidas na história em favor da Igreja. Isso, porque a fez inspirado pelo Espírito Santo e porque ousou pedir a Deus algo que transcende o nosso próprio entendimento. Paulo se põe de joelhos, diante do Pai, que toma o nome de toda família, tanto no céu como sobre a terra. Três verdades gloriosas se destacam nesta oração:

1. A igreja é um povo fortalecido com o poder do Espírito Santo (Ef 3.14-16) – Paulo ora pela igreja pedindo a Deus que atenda sua oração segundo a riqueza da sua glória. A glória de Deus é a soma total de todos os seus atributos e a manifestação suprema de todo o esplendor de Deus. Paulo não pede prosperidade, riqueza ou saúde, muito embora essas coisas sejam boas em si mesmas. Ele pede a Deus que a igreja seja fortalecida com poder mediante o Espírito Santo. A maior necessidade da igreja não é das bênçãos de Deus, mas do próprio Deus. Somente uma igreja cheia do Espírito e fortalecida com o seu poder, pode viver neste mundo tenebroso vitoriosamente. Precisamos do poder do Espírito para vivermos em santidade, para perdoarmos uns aos outros, para pregarmos o Evangelho e para glorificarmos a Deus com o nosso viver. Esse poder opera em nosso interior e não em manifestações de autopromoção. Quanto mais cheio do Espírito estivermos mais humildes seremos; mais o nome de Cristo aparecerá e o nosso diminuirá.

2. A igreja é um povo habitado por Deus (Ef 3.17,19) – O apóstolo pede em oração para que Cristo habite no coração da igreja (Ef 3.17) e que a igreja seja tomada de toda a plenitude de Deus (Ef 3.19). Mais tarde Paulo vai ordenar a igreja a ser cheia do Espírito Santo (Ef 5.19). Desta maneira, a igreja deve ser a habitação do Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo. Quais as implicações de Cristo habitar em nós? Isso significa que ele é dono da casa e tem em suas mãos todas as chaves. Ele tem poder e liberdade para mudar o que precisa ser mudado nessa casa e até de jogar fora o que não lhe convém. casa e até de jogar fora o que não lhe convém. O que Paulo quis dizer quando orou para que sejamos tomados de toda a plenitude de Deus? Nenhum teólogo por mais profundo que seja em sua reflexão jamais pôde explicar plenamente a profundidade desse pedido do apóstolo. O nosso Deus é transcendente. Nem os céus dos céus podem contêlo. Ele é maior do que tudo quanto ele mesmo criou. Agora, porém, o velho apóstolo está pedindo que toda a plenitude de Deus possa habitar em nós. Quando pensamos que esse pedido é um arroubo utópico do apóstolo veterano, ele acrescenta: “Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós, a ele seja a glória, na Igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém” (Ef 3.20,21).

3. A igreja é um povo firmado no amor de Cristo (Ef 3.17-19) – Quando Cristo habita em nós, sua vida é demonstrada ao mundo através de nós. Paulo ora para que a  igreja seja arraigada e alicerçada em amor (Ef 3.17). Ele usa duas figuras, uma procedente da botânica e outra da construção civil. Devemos estar arraigados em amor como uma árvore é sustentada pelas suas raízes e devemos estar alicerçados em amor como um prédio está plantado sobre seus alicerces. Paulo ainda ora para que a igreja, juntamente com todos os santos, compreenda as dimensões do amor de Cristo: sua largura, comprimento, altura e profundidade (Ef 3.18). Finalmente, o apóstolo suplica a Deus para que a Igreja conheça, na prática, o amor de Cristo que excede todo entendimento (Ef 3.19). Quando a igreja está firmada no amor de Cristo, ela compreende não apenas que é receptáculo desse bendito amor, mas também, se ransforma em canal desse amor para todo o mundo. Somos uma igreja conhecida no céu por causa da graça de Cristo. Que sejamos, agora, conhecidos na terra por causa do nosso testemunho irrepreensível!

Rev. Hernandes Dias Lopes

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *