Igreja, uma família muito abençoada

O apóstolo Paulo, preso em Roma, escreve sua carta aos Efésios para ensinar verdades gloriosas acerca da Igreja. Em nenhuma outra carta, ele deu tanta ênfase sobre a Igreja como nesta carta aos Efésios. Ele expõe nesta epístola como Deus escolheu a Igreja na eternidade, como ele a resgatou na história e como ele a capacita e a usa ao longo dos séculos. Logo no início desta carta, Paulo fala que a greja é um povo muito abençoado, e abençoado com toda sorte de bênção espiritual, nas regiões celestes. Destacamos aqui três aspectos importantes:

1. A Igreja é uma família muito abençoada porque foi escolhida por Deus na eternidade (Ef. 1.3-6) – Deus nos amou e nos escolheu antes mesmo de lançar os fundamentos da terra. Sua eleição é soberana, livre e graciosa. Deus nos escolheu não por causa da nossa fé, mas para a fé. A fé não é a causa da eleição, mas sua conseqüência (At 13.48). Deus não nos escolheu por causa da nossa santidade, mas para sermos santos. Deus não nos escolheu por causa das nossas boas obras, mas para as boas obras. Não fomos nós que escolhemos a Deus, mas foi ele quem nos escolheu. Não fomos nós que o amamos primeiro, mas foi ele quem nos amou e nos atraiu para si com cordas de amor. Deus nos escolheu e nos adotou em sua família. Agora somos filhos de Deus, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo.

2. A Igreja é uma família muito abençoada porque foi redimida por Jesus Cristo (Ef 1.7-12) – A Igreja é muito abençoada porque foi objeto do mais sublime amor e alvo do mais alto sacrifício. Fomos remidos pelo sangue de Cristo. O bendito Filho de Deus, desceu da glória e vestiu a nossa pele. Ele se esvaziou e tornou-se servo. Ele se humilhou e morreu a dolorosa, aviltante e maldita morte de cruz. Morreu não como mártir, mas como redentor. Pela sua morte, ele nos comprou para Deus. Pela sua morte ele assumiu a nossa culpa, pagou a nossa dívida e adquiriu para nós eterna redenção. Jesus deu sua vida para sermos livres da morte. Ele morreu a nossa morte, sofreu o castigo da lei e bebeu sozinho o cálice amargo da ira de Deus contra o pecado para nos justificar, nos redimir e nos dar a vida eterna. Somos abençoados porque fomos libertos, perdoados e salvos pelo sangue de Cristo.

3. A Igreja é uma família muito abençoada porque foi selada pelo Espírito Santo (Ef 1.13,14) –
Todos aqueles que são escolhidos na eternidade pelo Pai e redimidos pelo sangue de Cristo são selados com o Espírito Santo da promessa. Todos os que crêem são batizados no corpo de Cristo pelo Espírito. O selo é um sinal de autenticidade. Não somos bastardos nem filhos ilegítimos. Pertencemos verdadeiramente à família de Deus. O selo também é um símbolo de propriedade. Nós somos propriedade exclusiva de Deus por três razões: pertencemos a ele por direito de criação; por direito de resgate; e também, por direito de possessão. Fomos selados como propriedade dele e para a habitação dele. O selo ainda é símbolo de proteção. O selo é inviolável. Assim, ninguém pode nos arrancar das mãos de Deus. Somos dele, inviolavelmente dele. Estamos seguros e protegidos. Nada pode nos separar do seu amor, por causa da obra eficaz realizada por nós e em nós pelo Pai, pelo Filho e pelo Espírito Santo. O propósito final da obra do Pai, do Filho e do Espírito Santo é a manifestação da sua própria glória, tanto no tempo quanto na eternidade (Ef 1.6,12,14). Oh! Quão abençoados nós somos!

Rev. Hernandes Dias Lopes

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *