Liderança: uma necessidade de confirmação

Michael Youssef em seu livro “O estilo de liderança de Jesus” escreve sobre a necessidade do líder ser confirmado antes de exercer a sua liderança. Para fundamentar sua tese, cita o clássico exemplo da liderança de Jesus. O evangelho de João mostra que Jesus estava sempre dando provas daquilo que afirmava de si mesmo. Podemos aplicar esse princípio à liderança espiritual na igreja. Vejamos o exemplo de Jesus:

1. O testemunho do Pai – O próprio Pai que enviou Jesus é quem deu testemunho a seu respeito: “O Pai que me enviou, esse mesmo é que tem dado testemunho de mim” (Jo 5:37). No Jordão, quando Jesus foi batizado, de forma pública o Pai deu testemunho acerca dele. O evangelista Mateus registra as palavras do Pai: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mt 3:17).

2. O testemunho do Espírito – O Espírito Santo abençoou Jesus na ocasião do seu batismo, quando desceu sobre ele. E o Espírito Santo permaneceu nele (Jo 1:32-34). A presença do Espírito Santo deu a Jesus autoridade para falar e realizar milagres (Lc 4:36).

3. O testemunho de João Batista – João Batista foi o precursor de Jesus. Ele viu o Espírito Santo descer sobre Jesus no Jordão. Vendo que Jesus se aproximava, disse: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! É este a favor de quem eu disse: Após mim vem um varão que tem a primazia, porque já existia antes de mim.” (Jo 1:29-30).

4. O testemunho das Escrituras – O Antigo Testamento confirma o ministério de Jesus. Os patriarcas falaram dele. Os profetas apontaram para ele. Seu nascimento, seu ministério, sua morte e sua ressurreição foram profetizados. Jesus mesmo disse: “Examinai as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim” (Jo 5:39).

5. O testemunho dos discípulos – Os discípulos acompanharam Jesus, ouviram seus ensinamentos, viram seus milagres, creram nele, foram transformados por ele. A seu respeito disse Pedro: “Tu tens as palavras da vida eterna” (Jo 6:68). Pedro também disse: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mt 16:16).

Os líderes de hoje, certamente não lideram com as mesmas qualificações singulares de Jesus. Mas o princípio permanece: a chamada para a liderança precisa ser confirmada. Um líder é vocacionado por Deus, escolhido pelo povo de Deus e deve contar com a simpatia dos de fora. Quando Paulo estava instruindo Timóteo sobre a ordenação dos oficiais da igreja, disse: “É necessário que ele tenha bom testemunho dos de fora, a fim de não cair no opróbrio e no laço do diabo” (1 Tm 3:7).

Embora as pessoas possam ser treinadas para a liderança, somente Deus faz a chamada. A igreja precisa confirmar essa vocação dada por Deus. O líder espiritual, portanto, é aquele que é chamado por Deus, conhece a Cristo e tem o caráter de Cristo esculpido em sua vida, o fruto do Espírito. Ele ama a Jesus, por isso, pode apascentar o rebanho de Jesus.

Que Deus nos ajude na escolha dos oficiais da igreja em nossa assembléia do dia 07 de agosto.

Rev. Hernandes Dias Lopes.

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *