Motivos decisivos para você vir a Jesus

Referência: Marcos 3.7-12

INTRODUÇÃO

1. Uma conspiração odiosa – (3:6)

Jesus está no auge da sua popularidade. Ele está andando por toda a parte fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo (At 10:38). Mas ao mesmo tempo, as forças hostis se mancomunam contra ele para o matar. Fariseus e Herodianos eram inimigos, mas se unem para persegui-lo (3:6). Houve um concubinato espúrio da religião com a política para matar Jesus.
Jesus, então, se retira porque ainda tinha muitas lições a ensinar aos discípulos e ao povo. E também, porque ainda não era o seu tempo de morrer.

2. Uma fuga estratégica – (3:7)

Jesus não se retirou das multidões necessitadas que o seguiam por toda a parte, mas dos inimigos. Esse episódio da perseguição leva Jesus a romper completamente com a sinagoga judaica. Dewey Mulholland diz que após o confronto em Marcos 3:1-6, Jesus retira-se do judaísmo oficial, simbolizado pela sinagoga (com exceção de 6:1-6). Jesus volta-se para as pessoas; até chegar ao templo em Jerusalém (11:11), ele conduz seu ministério em lares e ao ar livre.
Em Marcos vemos quatro tipos de retiro de Jesus: 1) Para escapar da perseguição dos seus inimigos (3:7); 2) Para descansar (6:31); 3) Para orar (6:46); 4) Para ensinar os seus discípulos (7:24). Há momentos que o confronto não é o melhor caminho. No tempo certo, Jesus enfrentou esses inimigos e marchou para Jerusalém resolutamente. Precisamos ter discernimento para saber a hora de retirar e a hora de enfrentar os inimigos.

3. Uma procura geral

Ao mesmo tempo que os poderosos rejeitam a Cristo, ele alcança grande popularidade entre o povo e este o busca de todos os lados. Até mesmo os gentios da Fenícia o buscavam: 1) Do Norte – Tiro e Sidom (gentios); 2) Do Sul – Judéia, Jerusalém e Iduméia (descendentes de Esaú, os edomitas); 3) Do Leste – Além do Jordão e 4) Do Oeste – Galiléia. Enquanto alguns homens se tornam endurecidos, até mesmo os demônios se prostram e confessam que Jesus é o Filho de Deus.

4. Uma motivação variada

As motivações da multidão eram variadas: 1) Alguns foram a Cristo por curiosidade, para ver os seus milagres; 2) Outros foram atraídos por interesses imediatos (pão ou cura); 3) Outros ainda foram atraídos para ouvir seus ensinos, mas não dispostos a crer nele; 4) Outros, contudo, foram a Cristo para ouvir os seus ensinos, serem curados e crerem nele.
É verdade incontroversa que nem todos os que vêm para ouvir o Evangelho o receberão. Assim como Jesus subiu imediatamente ao monte e chamou os seus discípulos para segui-lo. Hoje, também, dessa assembléia de ouvintes Jesus chamará aqueles que nele hão de crer para serem seus discípulos.

5. Um testemunho rejeitado – v. 11,12

Os demônios demonstraram mais discernimento do que os fariseus e herodianos. Aqueles negavam a divindade de Cristo, enquanto os demônios a proclamavam. Os demônios reconheceram Jesus e o temeram (Tg 2:19). Eles conheciam seu poder e sabiam que Jesus tinham autoridade para expulsá-los (5:9,10). Ironicamente os demônios compreenderam quem era Jesus, enquanto o povo não o compreendeu. A natureza espiritual dos demônois é mais perspicaz que a razão humana.
Jesus proíbe os demônios de darem testemunho a seu respeito. Ele força o silêncio dos demônios para garantir a revelação completa e pura. Jesus deseja que os homens o conheçam pelo testemunho das Escrituras e pelo testemunho das suas palavras e obras.
Jesus rejeitou o testemunho dos demônios por duas razões. Primeiro, porque não deseja nem necessita que os demônios o credenciem. Segundo, porque não aceita ser desviado do foco de sua missão. Ao proclamarem sua verdadeira identidade, os demônios procuram excitar a multidão para que Jesus fosse tentado a deixar de cumprir o propósito de Deus. Jesus veio não para ser um líder político ou milagreiro, mas o redentor da humanidade. A multidão oprimida por Roma esperava um Messias político que viesse quebrar o jugo da escravidão e colocar a nação judaica no topo do governo mundial. Bruce Barton diz que o Reino de Cristo é espiritual. Ele começa não com o destronamento dos governos humanos, mas com a destronamento do pecado no coração dos homens.
Charles Haddon Spurgeon auxilia-nos a entender esse texto, em sua exposição de Marcos 3:7-12. Vejamos, então, as principais lições do texto:

I. O ECO DAS AÇÕES DE JESUS ATRAI OS PECADORES EM GRANDE NÚMERO – V. 8-10

Aquela multidão que veio a Jesus é um espelho dessa assembléia hoje. Vocês vieram aqui porque já ouviram quantas coisas Jesus já fez, está fazendo e fará.

1. Essas pessoas tinham ouvido testemunhos de alguns que haviam sido curadas

Histórias se multiplicavam daqueles que eram cegos e agora viam; daqueles que eram surdos e agora ouviam; daqueles que eram leprosos e agora estavam limpos; daqueles que eram paralíticos e agora andavam. Essas pessoas ouviram esses poderosos testemunhos e aceitaram-nos como verdadeiros. Um homem paralítico contou como fora curado. Um cego contou como Jesus tocou em seus olhos. E assim, essas maravilhas foram passando de pessoa para pessoa.
Você tem ouvido também muitos testemunhos de pessoas que foram libertas, de pessoas que foram salvas e transformadas pelo evangelho. Talvez você tenha exemplos na sua própria família: bêbados que se tornaram sóbrios; viciados que foram libertos; pessoas que viviam uma vida desregrada e que agora vivem uma vida de testemunho irrepreensível.
Oh! que Deus desperte você hoje, para você não apenas saber desses testemunhos, mas também arrojar-se aos pés do Senhor e tocá-lo pela fé (3:10).

2. Essas pessoas tiraram do que tinham ouvido um argumento de esperança

Eles pensaram: Se Cristo fez grandes coisas por aquelas pessoas, ele pode fazer em nossa vida também. Vamos até ele. Se ele fez os paralíticos andarem, se ele fez os cegos verem, se ele purificou os leprosos, então, ele pode nos curar, libertar e salvar também.
Esse foi o raciocínio de Bartimeu em Jericó. Ele ouviu falar de quantas coisas Jesus fazia. Ele aguardou o dia do seu encontro com Cristo. Ele gritou, insistiu e foi chamado, curado e salvo por Cristo.
Aquelas pessoas foram informadas não apenas dos grandes milagres de Cristo, mas de que ele também se alegrava em ser misericordioso. Que ele se deleitava em socorrer, curar, perdoar e salvar as pessoas. Assim, elas vieram a Cristo por causa da sua fama. Elas ouviram que ele não esmaga a cana quebrasda nem apaga a torcida que fumega. Ele não condena aquele que já está quebrantado.

3. Essas pessoas vieram a Cristo com urgência por causa de seus próprios sofrimentos

Algumas delas estavam cheias de dor e sofrimento: Havia cegos, paralíticos, surdos: gente ferida, sem esperança, sem recursos, sem socorro humano. Eram pessoas aflitas e ansiosas para serem curadas e libertas. Sendo convencidas de que seus casos eram semelhantes àqueles que Jesus já havia atendido, elas vieram a Cristo para também serem curadas.
Agora eu posso clamar a vocês para virem a Cristo até perder minha voz, contudo, ninguém virá senão aqueles que sentirem necessidade de Jesus. Mas você precisa dele tendo consciência disso ou não. Você tem uma doença mortal. Uma doença crônica que nenhum médico da terra pode curar. Essa doença é o pecado. Por mais religioso e moralista que você seja, você está contaminado por essa doença mortal. A menos que Jesus o perdoe, o liberte e o salve você está condenado. Não há nenhuma esperança para você a não ser que você venha a Cristo.

4. Essas pessoas vieram a Cristo não apenas por causa de seus sofrimentos, mas porque sabiam que Jesus podia curá-las e salvá-las

Meu caro leitor, venha a Cristo sem demora. Somente ele pode perdoar os seus pecados, preencher o vazio da sua alma e satisfazer os anseios do seu coração. Ele pode tirar o seu coração endurecido e dar-lhe um coração sensível. Ele pode abrir os seus olhos para que você veja a glória de Deus. Ele pode tirar você do poço profundo em que você se encontra. Ele pode dar a você um novo nome, um novo coração, uma nova mente, uma nova esperança, uma nova vida.
Jesus já tem transformado vidas que estavam na sua mesma condição. Ele ele é o mesmo sempre. Seus braços não estão encolhidos para que não possam salvar nem seus ouvidos surdos que não possam ouvir o seu clamor. Portanto, venha a Jesus. Toque-o pela fé.

II. AS NECESSIDADES HUMANAS LEVAM AS MULTIDÕES A JESUS – V. 8,10

1. Aquelas pessoas não se contentaram apenas em ouvir testemunhos dos outros, elas mesmas foram a Jesus

Eu gostaria que essa fosse a realidade de todos os nossos leitores. Essas pessoas ouviram as histórias do que Cristo tinha feito. Elas certarmente disseram: Isso representa grandes notícias, fala-nos de novo sobre esses milagres. Mas elas não se contentaram apenas em ficar ouvindo o que Cristo havia feito na vida dos outros. Elas mesmas quiseram ter um encontro com Cristo. Elas seriam tolas se apenas se contentassem em ouvir os grandes feitos de Cristo. Os cegos que ouviram que Jesus abrira os olhos daqueles que estavam nas trevas, desejaram ir a Jesus. Os paralíticos desejaram ser lançados aos pés de Jesus. Os leprosos desejaram ser tocados por Jesus.
Eu me preocupo pensando que alguns de vocês se contentem em apenas ouvir as boas novas do evangelho. Alguns de vocês se contentam em apenas vir à igreja pensando que isso é o bastante. Não basta você ser um ouvinte regular da Palavra de Deus. Não basta você estar todos os domingos na Casa de Deus. Você precisa pessoalmente ter um encontro com Cristo.
Uma pessoa faminta contentar-se-ia em apenas ouvir falar sobre o lugar que tem pão com fartura? Uma pessoa doente, se contentaria apenas em ouvir testemunhos de cura enquanto ela perece? Não seja descuidado com a sua própria alma. Não seja apenas um ouvinte. Venha a Jesus. O tempo urge, hoje é o dia oportuno. Agora é o tempo da salvação.

2. Aquelas pessoas não esperaram Cristo vir até elas, elas foram a Jesus

Muitas pessoas usam a ortodoxia reformada de forma equivocada. A visão hipercalvinista matou o ardor evangelístico da igreja. As pessoas pensam: Deus já tem os seus escolhidos. Eu não preciso evangelizar. Os eleitos virão. Eu não preciso pregar, os eleitos crerão. Eu não preciso me preocupar em salvar minha alma, se eu for um eleito, jamais vou me perder. A soberania de Deus não anula a responsabilidade humana. A bíblia diz que você deve ter pressa. Há um abismo. Há um perigo. Há um tempo oportuno.
O evangelho é uma mensagem urgente: Amanhã pode ser tarde. Hoje é o tempo de Deus. O evangelho que você está ouvindo é a voz de Jesus. Venha a Jesus. Aquelas pessoas não ficaram esperando até Jesus ir às suas cidades. Elas vieram a Jesus. Elas tinham pressa. Elas se arrojavam aos seus pés para o tocar.

3. Aquelas pessoas não pararam nos discípulos de Cristo

Satanás tenta manter os homens longe de Cristo, fazendo-os parar nos ministros, evangelístas e outros eminentes crentes. Nenhum homem, nenhuma igreja, nenhuma denominação, nenhuma doutrina pode salvar você. Só Jesus! Não há salvação em nenhum outro nome dado entre os homens pelo qual importa que sejamos salvos.
O ministério dos pregadores não é exaltar a si mesmos, mas gritar: Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

4. Aquelas pessoas para virem a Cristo tiveram que deixar seus negócios

Muitas daquelas pessoas tiveram que deixar suas propriedades, suas lavouras, seu gado, seus olivais, suas lojas para ir a Jesus. Muitas pessoas deixam de vir a Cristo por causa do trabalho, do sucesso, do dinheiro, dos negócios. Mas o que adianta você ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?
O jovem rico perdeu a oferta da salvação pelo seu amor ao dinheiro. Outros deixam o banquete da salvação por causa do bens, do trabalho, do lucro, do sucesso, do casamento, dos amigos, dos prazeres.
Que a sua primeira preocupação seja com a salvação da sua alma e não com as coisas que perecem.

6. Muitas daquelas pessoas vieram de grandes distâncias

Embora rejeitado pelos líderes religiosos e políticos, as multidões vinham de toda a Palestina e também da Fenícia para serem curadas por Jesus. Algumas pessoas vieram do Sul: Judéia e Jerusalém. Outras vieram do Norte: Tiro e Sidom. Outras vieram do Leste: Dalém do Jordão e outras vieram da Oeste: Galiléia. Estradas empoeiradas, desertos e rios profundos não mantiveram aquelas pessoas longe de Cristo. Nenhuma dificuldade manteve aquelas pessoas longe de Cristo. Nenhum obstáculo impediu aquelas multidões de virem a Cristo.
Não deixe que nenhuma dificuldade impeça você de vir a Cristo: família, amigos, prazeres, dinheiro, preconceito.

7. Aquelas pobres pessoas vieram a Cristo com todas as suas carências e necessidades

J. Vernon McGee diz que a família humana é uma família carente e necessitada e nós pertencemos a essa família. Elas se lançavam aos pés de Cristo. Eles queriam tocar em Cristo. Eles queriam ser pessoas curadas, inteiras, salvas. Imagine se elas pensassem: “Não, nós só iremos a Cristo quando nossa vida estiver certa. Vamos dar mais um tempo.” Se assim fosse, elas não precisariam de Cristo e Cristo não seria necessário para elas.
Não, mas deixe o cego vir enquanto é cego. Deixe o paralítico vir mesmo se arrastando. Deixe o leproso vir coberto de sua lepra. As pessoas devem vir como estão. Cristo veio chamar pecadores. O médico veio para os doentes. Venha como você está: endividado, desonesto, bêbado, drogado, impuro. É Jesus quem vai curá-lo, perdoá-lo e salvá-lo. Você não pode fazer nada para a sua salvação. Jesus o recebe como você está. “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.” Cante: “Eu venho como estou/eu venho como estou/Porque Jesus por mim morreu/eu venho como estou.

III. COMO AS MULTIDÕES NECESSITADAS FORAM TRATADAS POR JESUS – V. 10-12

1. De todos os que vieram a Cristo nenhum foi mandado embora

Desde que o mundo começou nenhum pecador se chegou a Deus, nenhum alma foi a Cristo sem ser recebida. Jesus disse: “O que vem a mim, jamais lançarei fora”. Jesus Cristo jamais quebrou sua promessa. Desafiamos o céu, a terra e o inferno para levantar uma prova sequer de uma pessoa que tenha vindo a Cristo com seu coração quebrantado que tenha sido rejeitada por ele. É ele mesmo quem convida: “Vinde a mim, todos vós que estais cansados e sebrecarregados…”. “Se alguém tem sede venha a mim e beba.”

2. Todas as pessoas que vieram a Cristo foram atendidas por Cristo

Os enfermos foram curados. Os possessos foram libertos. Os perdidos foram encontrados. Os que estavam em trevas viram a luz. Os que estavam aflitos foram consolados. Os que estavam sem esperança receberam uma nova razão para viver.
As pessoas vieram a Cristo não apenas para ouvir os seus ensinos, serem curadas e libertas. Elas se lançaram aos pés de Jesus, tocaram nele e se derramaram diante dele. Hoje eu convido você e vir a Jesus. Só ele pode curar, libertar, perdoar e salvar você.
Mateus 12:15-21, o texto paralelo, afirma que Jesus não esmaga a cana quebrada nem apaga a torcida que fumega. Jesus alivia as pessoas do fardo que as oprime. Ele não esmaga aquele que já está caído. Foi assim que Jesus fez com a mulher apanhada em flagrante adultério. Ele não a apedrejou, antes, perdoou-a, restaurando-lhe a dignidade da vida.

3. Cada pessoa tocada, curada e salva por Jesus era mais uma testemunha de Jesus

Imagine que estava no meio daquela multidão duzentas pessoas que foram curadas. Eram mais duzentas testemunhas de Jesus a testemunhar do seu poder. O círculo daqueles que eram salvos aumentava. O número daqueles que testemunhavam crescia. Cada nova pessoa curada e salva era uma voz a mais a chamar as outras pessoas a virem a Jesus.
Hoje, depois de dois mil anos, milhões e milhões de vidas já foram tocadas, curadas e transformadas por Jesus. Você não pode desculpar-se. Cada nova vida salva por Jesus é um forte argumento para você de que ele é suficiente para ser o seu salvador. Oh! amigo, há uma nuvem de testemunha ao seu redor proclamando para você que Jesus é o único salvador, a única esperança para a sua alma. Venha a ele agora mesmo.

4. Jesus não apenas cura os enfermos, mas prioriza o ensino – v. 9

Este anseio descontrolado por cura (3:8,10), principalmente ou exclusivamente por cura, Jesus corrige com sua atitude (1:37s, Jo 6:26). Ele não quer ser apenas um curandeiro, por isso cria espaço para o ensino da verdade (4:1). Esse barco usado por Jesus tinha duas finalidades: proteção e maior alcance. Jesus tem para você palavras de vida eterna que satisfazem a sua mente, aquietam o seu coração e lhe darão segurança eterna.

5. Por que você deve vir a Cristo agora mesmo?

a) Primeiro, porque o próprio nome de Jesus convida você. Seu nome é Jesus, que significa Salvador. Você é pecador, mas ele é o Salvador. Você tem sede, mas ele é a água da vida. Você tem fome, mas ele é o pão da vida. Você está perdido, mas ele é o caminho. Você está morto, mas ele é a ressurreição e a vida.

b) Segundo, porque o poder de Jesus encoraja você a vir a ele. Jesus tem todo o poder no céu e na terra. Os astros lhe obedecem. O vento escuta a sua voz. As ondas do mar se acalmam diante da sua palavra. A doença atende a sua ordem. Os demônios se rendem à sua autoridade. Os inimigos se prostram diante dos seus pés. Ele tem poder para libertar e salvar você. Portanto, venha a ele agora mesmo.

c) Terceiro, porque o amor de Jesus encoraja você a vir a ele. Ele ama você e importa-se com você. Ele foi à cruz por você. Suas mãos foram rasgadas, seus pés foram pregados na cruz e ele foi transpassado no madeiro por amor a você. Ele ama você com amor eterno. Por isso, venha a ele.

d) Quarto, porque o banquete da salvação já está preparado para receber você. Deus já fez tudo. A mesa já está preparada. Os céus estão prontos para festejar a sua volta para Deus. Os anjos se alegram com a sua salvação. A noiva de Cristo, a igreja: convida você: Vem. O Espírito do Deus eterno, diz a você: Vem! Se você tem sede, venha e beba de graça da água da vida.

CONCLUSÃO

Nada neste mundo pode impactar e transformar tanto a sua vida como o evangelho. Você não pode ficar indiferente ao evangelho. Os fariseus e os herodianos se posicionaram contra Jesus para matá-los. Mas, ao mesmo tempo multidões de todos os lados vieram a Jesus e ele recebeu as pessoas, curou os enfermos e libertou os endemoninhados.
De que lado você está? Do lado daqueles que rejeitam a Cristo ou do lado daqueles que vêm a Cristo para serem curados, libertos e salvos?

Rev. Hernandes Dias Lopes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *