Não se desespere, na crise olhe para Jesus

INTRODUÇÃO

1. O livro de Apocalipse é temido por muitos e evitado pela maioria dos cristãos. Isso, por causa de dois equívocos: 1) A idéia de que o Apocalipse é um livro selado, que trata de coisas encobertas, veladas, secretas, difíceis de serem entendidas. Mas isso não é verdade: o Apocalipse significa exatamente o contrário. É revelar o que estava escondido. É trazer à luz o que estava oculto. O livro do Apocalipse é um livro aberto e não selado. 2) A idéia de que o Apocalipse fala de catástrofe, tragédia e caos. Esse é o significado da palavra hoje. Mas Apocalipse não fala de caos nem de catástrofe, mas do plano, propósitos e da vitória gloriosa de Cristo e da sua igreja.

2. A. W. Pink em seu livro “Deus é Soberano” pergunta: Quem controla o mundo hoje: Deus ou o diabo? Agora o mal parece prevalecer. Agora o diabo parece estar controlando a política, a economia, as estruturas educacionais, a comunicação e o lazer. Agora as forças malignas parecem agir com toda fúria. Os ímpios parecem prevalecer. Agora a grande Babilônia sufoca a Jerusalém Celeste. Mas, o juízo está próximo: o diabo, o anticristo, o falso profeta, a babilônia, os ímpios serão lançados no lago do fogo e Cristo reinará com a sua igreja pelos séculos dos séculos.

I. NUM TEMPO DE CRISE, JESUS MOSTRA SEUS PLANOS GLORIOSOS

1. O Apocalipse não é simplesmente o mapa dos acontecimentos futuros, mas a revelação de Jesus Cristo – v. 1
• O Apocalise não fala tanto de fatos, mas de uma Pessoa. O futuro está atrelado à pessoa de Jesus Cristo. É ele quem tem as chaves da história nas mãos. Foi ele que foi encontrado digno de abrir o livro e desatar-lhe os selos. As coisas que em breve vão acontecer, vão acontecer debaixo do domínio de Cristo. A história não é cíclica. Ela não está fora de controle. Jesus está no comando.

2. O Apocalipse é a revelação de Jesus dada pelo próprio Deus triúno – v. 4-5
• O Pai, o Filho e o Espírito é Deus vivo e verdadeiro que fala, que se comunica, que se revela num tempo de crise, de dor, de perseguição, de aperto. A terra está sendo assolada, a igreja perseguida, mas quando os ímpios pensam que estão no controle, o Deus tríuno rompe do silêncio e envia para a sua igreja uma mensagem de graça e paz.

3. O Apocalipse mostra que no meio da tormenta Deus sempre traz uma palavra de esperança – v. 9-10
a) As perseguições eram sistemáticas

• Os imperadores romanos estavam começando a usar o título de Deus: Júlio César, Augusto, Cláudio, Vespasiano e Tito tinham sido declados divinos pelo senado romano.
• Domiciano (81-96) tinha avançado mais nesta tendência, exigindo que o chamassem de DOMINUS ET DEUS (Senhor e Deus).
• Domiciano foi chamado o segundo Nero. Nero pôs fogo em Roma. Tito pôs fogo em Jerusalém. Agora Domiciano põe fogo nos cristãos: os cristãos eram queimados, crucificados, jogados às feras, pisoteados. As perseguições de Domiciano eram mais sistemáticas e abrangentes que as de Nero. Ávido por honras divinas, a perseguição espalhou-se pela Ásia. Os cristãos estavam sendo forçados a adorá-lo como Senhor e Deus. Esse era o sinal de lealdade política, de submissão a Roma. Os cristãos estão sofrendo ameaças, prisões e morte.
• É nesse contexto que João é preso, banido para a ilha de Patmos (14Km x 7 Km). Mas ao mesmo tempo que ele está geograficamente em Patmos, ele também se acha em espírito. Em Patmos sofremos, em espírito reinamos. Roma quer torturar o apóstolo por causa da Palavra, mas Deus usa o seu sofrimento para abrir-lhe a porta do céu, levantando a ponta do véu e revelando a ele a vitória triunfal de Cristo e da sua igreja.
b) Os desvios doutrinários eram constantes
• A igreja estava sofrendo não apenas perseguição física, mas também espiritual. As heresias urdidas nas mentes pervertidas estavam atacando a igreja: Em Pérgamo, um dos centros do culto do imperador na Ásia estava o trono de Satanás. Em Tiatira a doutrina imoral de Jezabel estava entrando na igreja. Em Pérgamo sustentavam a doutrina de Balaão, aqueles que vendem a consciência por dinheiro.
• Hoje a igreja enfrenta també muitas heresias: misticismo, liberalismo, mercadejamento da fé e ortodoxia morta.
c) Imoralidade era ameaçadora
• Gibbon, historiador antigo, disse que dos 15 imperadores, 14 eram homossexuais, apenas Cláudio não o era, mas sua mulher era prostituta.
• O espírito da grande Babilônia era o espírito da prostituição. A imoralidade estava entrando dentro das igrejas de Ásia Menor.
• Em Pérgamo (capital da Ásia, centro do culto ao imperador) onde estava o trono de Satanás, a imoralidade tinha ganhado defesa e apologia dentro da igreja.
• Ém Tiatira a prostituição era ensinada dentro da igreja.
• Hoje, também, o padrão de pureza tem caído dentro das próprias igrejas.
d) As tensões eram chocantes
• O livro de Apocalipse mostra a tensão entre Cristo e o Anticristo; entre o Cordeiro e o Dragão; entre a Cidade Santa (Jerusalém) e a Grande Babilônia.
• O diabo ataca a igreja de várias direções: PERSEGUIÇÃO, HERESIA, IMORALIDADE. 1) Ora o ataque é físico – perseguição; 2) Ora o ataque é espiritual – falsos ensinos; 3) Ora o ataque é moral – imoralidade.
• Estas foram as 3 estratégias do diabo representados no Apocalipse como os 3 aliados do Dragão: 1) A Besta do Mar – O Anticristo – perseguição; 2) A Besta da Terra – O falso profeta – Heresia; 3) A Grande Babilônia – A prostituta – A imoralidade.
• Em cada época, a igreja tem enfrentando os mesmos problemas: o diabo ataca em um lugar hostilizando, fechando portas, perseguindo. Ataca com ideologias e doutrinas falsas e ataca seduzindo as pessoas ao pecado e imoralidade.
• Nesse tempo Deus encoraja a igreja a suportar a tribulação, apegar-se à verdade e resistir à sedução do pecado.

II. NUM TEMPO DE CRISE JESUS MOSTRA A SUA MAJESTADE EXPLENDOROSA

A. Quem Cristo é? – v. 5,13-18
a. Seus títulos gloriosos
1. Ele é o Supremo Profeta – v. 5 – Cristo é a Testemunha Fiel, o mensageiro e a mensagem. Ele é a verdade. Jesus é a mensagem de Deus para o mundo. O mundo precisa de Jesus.
2. Ele é o Supremo Sacerdote – v. 5 – Ele é o Primogênito dentre os mortos. Ele é o sacerdote e o sacrifício, o ofertante e a oferta. Ele ofereceu o sacrifício perfeito. Ele matou a morte. Venceu a morte. Uma igreja que está enfrentando o martírio precisa ouvir que o seu Deus venceu o poder da morte.
3. Ele é o Reis dos reis – v. 5 – Jesus está acima de Roma, dos imperadores. Ele está acima dos impérios, das nações sobertas, dos reis da terra, dos presidentes que ostentam o seu poder. Diante dele todo joelho precisa se dobrar.

b. Seus atributos gloriosos
1. Ele é eterno – v. 14, 17 – cabelos brancos como a lã, o primeiro e o último.
2. Ele é onisciente – v. 14 – os olhos como chama de fogo.
3. Ele é onipotente – v. 15 – Os pés de bronze e a voz como de muitas águas.
4. Ele é onipresente – v. 12-13 – ele está no meio dos candeeiros.
5. Ele é guerreiro vitorioso – v. 16 – a sua única arma é a espada do Espírito que sai da sua boca. E o seu rosto brilhava como o sol na sua força.
6. Ele é o vencedor da morte – v. 18 – Esteve morto, mas está vivo.
7. Ele é aquele que tem autoridade suprema – v. 18 – ele tem as chaves da morte e do inferno.

III. NUM TEMPO DE CRISE JESUS MOSTRA SUAS OBRAS PORTENTOSAS

A. O que Cristo fez por nós
1. Ele morreu por nós e nos libertou dos nossos pecados – v. 6
2. Ele nos deu livre acesso à presença de Deus – v. 6
3. Ele nos guindou à posição de príncipes – v. 6
4. Ele nos garante vitória sobre a morte – v. 18

B. O que Cristo faz por nós
1. Ele nos ama – v. 5 – Os primeiros cristãos estavam enfrentando o martírio e saber que Cristo os ama e deu sua vida por eles, era um profundo encorajamento para eles enfrentarem os tempos tenebrosos.
2. Ele anda no meio da igreja
a) Para conhecer
• Conheço as tuas obras (2:2) – Éfeso
• Conheço a tua tribulação (2:9) – Esmirna
• Conheço o lugar onde habitas (2:13) – Pérgamo
• Conheço as tuas obras, amor,fé, perseverança (2:19) – Tiatira
• Conheço as tuas obras qwue tens nome de que vives, mas estás morto (3:1) – Sardes
• Conheço as tuas obras – eis que tenho posto uma porta aberta diante de ti (3:8) – Filadélfia
• Conheço as tuas obras – que nem és frio nem quente. Quem dera fosses frio ou quente (3:15) – Laodicéia.
b) Para exortar
• Tenho porém contra ti que abandonaste o teu primeiro amor – Éfeso
• Tenho contra ti algumas coisas: pois tens aí os que sustentam a doutrina de Balaão, e os que sustentam a doutrina dos nicolaítas – Pérgamo.
• Aconselho-te que mim compres ouro refinado… – Laodicéia
c) Para consolar
• Não temas as coisas que tens de sofrer – Esmirna
• Tens umas poucas pessoas que não contaminaram suas vestes – Sardes
d) Para encorajar
• Ao vencedor dar-lhe-ei que se alimenta da árvore da Vida – Éfeso
• Ao vencedor não sofrerá a segunda morte – Esmirna
• Ao vencedor dar-lhe-ei a estrela da manhã – Pérgamo
• Ao vencedor darei vestiduras brancas – Sardes
• Ao vencedor farei coluna do Santuário do meu Deus – Filadelfia.
• Ao vencedor se assentará comigo no meu trono – Laodicéia.

C. O que Cristo fará por nós
1. Ele voltará para nós – v. 7
• Voltará visivelmente
• Voltará pessoalmente
• Voltará audivelmente
• Voltará gloriosamente
• Voltará triunfantemente

CONCLUSÃO

1. Que atitudes devemos ter diante da manfestação de Deus?
a) Um assombro cheio de profunda reverência diante da sua majestade – v. 17
b) Conforto em sua presença e promessas – v. 17-18
c) Uma sede de conhecer a sua Palavra e adorar ao Senhor e obedecê-lo– v. 3.
2. Este texto nos mostra o que João ouviu (9-11), o que João viu (12-16) e o que João fez (17-18). Quando João ouviu sua voz, viu sua majestade, caiu aos seus pés. Mas Jesus o tocou e lhe disse: Não fique com medo. Não preciso ter medo da vida nem da morte, porque o nosso Deus está vivo. Ele já venceu a morte. Ele tem as chaves da morte e do inferno. Um dia ele enfiará a chave na fechadura da nossa sepultura e nos dará um corpo novo. Ele é o único que tem autoridade.
3. Não precisamos temer a eternidade, porque o nosso Deus é o Alfa e o Ômega e com ele reinaremos.
4. O que precisamos hoje é uma visão clara da majestade e da glória de Jesus. Temos essa consciência de que o Rei dos reis está passeando entre nós, nos sondando, nos conhecendo, nos exortando e nos encorajando? Precisamos vê-lo assentado no seu alto e sublime trono. Precisamos conhecer um pouco do que significa cair aos seus pés. O mesmo João que debruçava em seu peito, agora cai aos seus pés.
5. Evan Roberts: orava sempre: Dobra-me, dobra-me, dobra-me. E quando Deus o respondeu: o grande avivamento do País de Gales aconteceu!

Rev. Hernandes Dias Lopes

2 Comentários

  • AUGUSTO FERNANDO Posted 5 de setembro de 2013 18:31

    Nao é para , contrariar ,mas sim para dizer que hoje, temos pastores, pouco falam de apocalipse ,nao sei o porque. continuemos a trabalhar para o nosso Deus que é o nosso criador.orem para mim sempre que tiverem oportunidade , porque vos sois os embaixadores do senhor. Deus esteja convosco , boa noite igreja.

  • Pr.Marcos Aurelio Posted 10 de março de 2014 14:39

    Graça e paz parabenizo vcs pelo site abençoado.

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *