O perfil de um homem de Deus

O apóstolo Paulo, escrevendo sua primeira carta à igreja de Tessalônica, no capítulo 2:1-12, fala sobre o perfil de um homem de Deus. Ele abre o seu coração e dá o seu próprio testemunho, lançando luz sobre esse momentoso tema. Qual é o perfil de um homem de Deus?

UM MORDOMO FIEL(1 Ts 2:1-6)
A Paulo tinha sido confiado o Evangelho (2:4). A mensagem do evangelho é um tesouro que foi confiado a nós. A função do mordomo não é ser popular aos olhos dos homens, mas fiel aos olhos de Deus (2:4).
Paulo sofreu várias acusações dos seus opositores em Tessalônica: acusaram-no de ser ganancioso, bajulador, egoísta e ditador. Paulo faz sua defesa mostrando como foi o seu ministério entre eles. Nos versos 1-2, ele e Silas se dispõem a pregar a Palavra em Tessalônica depois de serem presos e açoitados em Filipos. No verso 3 ele revela que sua motivação em pregar o evangelho era absolutamente pura. Nos dias de Paulo a religião era um meio de fazer dinheiro (2:5). Mas Paulo dá testemunho de sua integridade nessa área financeira (2 Ts 3:8-10). Paulo era um obreiro muito atento à transparência na questão do dinheiro (1 Co 9:1-18). Nos versos 3-6 Paulo afirma que não usava artifícios humanos para atrair pessoas à igreja. Ele acreditava no poder do Evangelho para fazer isso (1:5). Diante das falsas acusações, Paulo apelou para o testemunho dos homens e de Deus. Ele responde aos seus adversários com seu testemunho pessoal diante de todos: “Assim como sabeis” (1:5;2:1,5,11;3:3-4;4:2;5:2) e seu testemunho diante de Deus (2:5). Sua consciência estava limpa diante de Deus e diante dos homens (At 24:16).

UMA MÃE AMOROSA (v. 7-8)
A ênfase do mordomo é fidelidade. A ênfase da mãe é gentileza. Como um apóstolo ele tinha autoridade, mas ele sempre a exerceu em amor. Paulo era como uma mãe afetuosa cuidando do seu bebê. Quais são as características de uma mãe afetuosa? 1) Provisão diária (2:7); 2) abnegação sacrificial (2:8); 3) afeto explícito (2:7); 4) sacrifício cabal (2:8). O papel de mãe não é fácil de ser exercido por um obreiro (Nm 11:12), mas se os obreiros não alimentarem os seus filhos na fé com o leite da Palavra, eles jamais poderão ser crentes maduros (Hb 5:10-14).

UM PAI PREOCUPADO (v. 9-12)
Paulo se considera pai espiritual dos crentes de Tessalônica (2:11) da mesma forma que dos crentes de Corinto (1 Co 4:15). O pai, entretanto, não é apenas aquele que gera, mas, sobretudo, aquele que cuida. Na sua defesa contra os acusadores, Paulo destaca três dos seus deveres como pai espiritual.
1) Seu trabalho (2:9) – O pai trabalha para sustentar a família. Embora a igreja de Filipos tivesse enviado dinheiro para ajudá-lo em Tessalônica (Fp 4:15-16), Paulo ainda tinha que trabalhar para se sustentar. Ninguém podia acusá-lo de estar no ministério por ganância financeira.
2) Seu procedimento (2:10) – Os pais devem ser bons exemplos para os seus filhos. Paulo diz que os crentes e Deus são testemunhas de como procedeu entre eles. 1) Sua vida era piedosa – Relação correta com Deus. 2) Sua vida era justa – Relação correta consigo. 3) Sua vida era irrepreensível – Relação correta com os outros. Seus inimigos podiam acusá-lo, mas nada encontravam para o envergonhar.
3) Suas palavras (2:11-12) – Um pai não apenas suporta a família trabalhando e ensinando pelo exemplo, mas também toma tempo para falar aos filhos. Paulo sabia da importância de ensinar os novos crentes. 1) Paulo ensinava não apenas coletivamente, mas a cada um individualmente (2:11); 2) Paulo encorajava os crentes como a filhos (2:12a); 3) Paulo consolava os crentes (2:12b); 4) Paulo admoestava os crentes (2:12c). Mas qual era o propósito de Paulo ao ensinar os seus filhos? É para que eles vivessem de modo digno de Deus (2:12). Que à semelhança do apóstolo Paulo, sejamos homens de Deus!

Rev. Hernandes Dias Lopes.

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *