O remédio de Deus para a falta de comunhão na igreja

Referência: FILIPENSES 2.1-11

Disse certo filósofo: “Eu amo a humanidade. O que eu não consigo suportar são as pessoas.”
As pessoas podem roubar-nos a alegria. Na igreja de Filipos havia uma dupla ameaça à unidade da igreja:
1) Falsos mestres que vinham de fora – 3.1-3 e
2) Desentendimento entre os membros – 4.1-3.
Paulo não chega a dizer qual a razão do desentendimento existente entre EVÓDIA = fragrância e SÍNTIQUE = ditosa, feliz.
Paulo escreve este capítulo para corrigir este problema do desentendimento, das brigas na igreja. Como os crentes de Filipos estão em Cristo, Paulo os exorta a trabalhar pela UNIDADE E AMOR e não pela DIVISÃO E COMPETIÇÃO.
Não pode haver alegria na vida do cristão se há egoísmo e orgulho no seu coração. Se ele se põe a si mesmo acima dos outros. O segredo de ter alegria, a despeito das circunstâncias é uma MENTE INTEGRAL. O Segredo de ter alegria, a despeito das pessoas, é uma MENTE SUBMISSA. O verso chave é 2.3.
No capítulo 1 vemos CRISTO TENDO O PRIMEIRO LUGAR
No capítulo 2 vêm OS OUTROS A SEGUIR.
A pessoa humilde não é aquela que tem um baixo conceito de si mesma; simplesmente, ela não pensa em si! Humildade é aquela virtude que, quando notamos que a possuímos, já a perdemos.
Os olhos do crente estão desviados dele próprio e focados sobre as necessidades dos outros.
Porém, a MENTE SUBMISSA não significa que o crente é um capacho religioso para qualquer pessoa pisar. Somos servos uns dos outros por amor de Jesus.
Jesus neste texto ilustra as 4 características da pessoa que tem uma mente submissa:

I. ELE PENSA NOS OUTROS, NÃO EM SI MESMO – 2.5-6

Conforme o v. 5, a nossa atitude deve ser igual à de Cristo Jesus. Se agirmos com egoísmo, vamos provocar traumas, feridas, machucaduras, divisões, destruição – Tg 4.1-10.
Jesus mesmo sendo Deus bendito, adorado pelos querubins, exaltado em glória inacessível, no pleno gozo da comunhão com o Pai e com o Espírito Santo, não pensou em si mesmo.
Como Deus, Jesus não precisava de nada. Possuía toda glória e louvor do céu. Com o Pai e o Espírito Santo, Ele reinava sobre o universo. Mas o v. 6 diz que Ele não considerou sua igualdade com Deus como “algo que deveria reter egoisticamente.” Jesus não pensou em si mesmo. Pensou nos outros. Jesus não manteve seus privilégios para si próprio.
Vale a pena contrastar a atitude de Cristo com a de LÚCIFER (Is 14.12-15) e com a de ADÃO (Gn 3.1-7). Lúcifer era o mais elevado dos seres angélicos, junto ao trono de Deus (Ez 28.11-19), mas desejou sentar-se sobre o trono de Deus.
Lúcifer declarou: “Eu farei.” Mas Jesus disse: “Seja feita a Tua vontade.”
Lúcifer não se contentava em ser criatura, queria ser o criador! Jesus era o criador e, voluntariamente, se fez homem. A humildade de Cristo constitui uma repreensão ao orgulho de Satanás.
Adão foi criado como rei da criação. “Domine…”, mas quis ser igual a Deus, e precipitou toda a raça no pecado. Adão pensou só em si mesmo; Jesus Cristo pensou nos outros.
No Novo Testamento encontramos mais de 20 instruções de Deus sobre a maneira de como devemos viver uns com os outros: Preferí-vos em honra uns aos outros; edificai-vos uns aos outros; levai as cargas uns dos outros; perdoai uns aos outros… OUTROS é a palavra chave no vocabulário cristão que exercita uma mente submissa.

II. ELE SERVE – 2.7

Pensar nos OUTROS apenas de modo abstrato não basta; temos de descer aos fundamentos do verdadeiro serviço.
Ex.: JEAN-JACQUES ROUSEAU = ensinou que o homem é bom por natureza, mas abandonou seus filhos, deixando-os na miséria.
KARL MARX = pregou uma sociedade justa, mas deixou sua família passando amargas necessidades.
Um famoso filósofo escreveu palavras muito bonitas a respeito da educação dos filhos, mas abandonou os seus. Para ele era fácil amar as crianças em termos abstratos, mas quando se entra no campo da prática o assunto mudava de figura.
Jesus pensou nos outros e tornou-se SERVO.
1) Ele aniquilou-se a si mesmo, pondo de lado seus atributos.
2) Ele tornou-se permanentemente humano, num corpo físico sem pecado.
3) Ele serviu-se desse corpo para ser servo.
4) Ele levou esse corpo à cruz e morreu voluntariamente.
Do céu à terra; da glória à vergonha; de senhor a servo e da vida à morte e morte de cruz.
Ele voluntariamente se humilhou a fim de nos poder erguer. Ele se fez servo. Agiu como servo. Noite e dia serviu = pregando, ensinando, curando, perdoando, restaurando. Serviu aos aflitos, aos doentes, aos chagados, aos tristes, aos enlutados. Veja Mt 20.28 – Ele veio para servir. Jo 13 Ele usa o avental de escravo. A maneira de acabarmos com a falta de comunhão na igreja é nos humilhando e servindo uns aos outros.

III. ELE SE SACRIFICA – 2.8

Muitas pessoas estão prontas a servir os outros se isto não lhes custar nada. Mas se há um preço a pagar perdem logo o interesse. Jesus por amor foi à cruz – v. 8. A sua morte não foi a de um MÁRTIR nem a de um INDEFESO, mas a de um SALVADOR. Ele voluntariamente deu a sua vida.
O Dr. Jowett disse: “O ministério que não custa nada, não realiza nada.”
Numa certa feira estava alguns artigos religiosos à venda: Cruzes baratas = é isso que muitos cristãos procuram hoje – cruzes baratas, cruzes sem sacrifício, sem dor, sem renúncia, sem morte.
A cruz de Jesus não foi barata.
A pessoa que tem uma mente submissa não evita o sacrifício: VIVE PARA A GLÓRIA DE DEUS E PARA O BEM DOS OUTROS.
Ex.: David Brainerd = influenciou Jonathan Edwards, John Wesley, William Carey. Morreu aos 29 anos.
O apóstolo Paulo = Tudo sofro por causa do Evangelho. Sofro as dores de parto até Cristo ser formado em vós.

IV. ELE GLORIFICA A DEUS – 2.9-11

Este é o objetivo de tudo o que fazemos = a glória de Deus (I Co 10.31 e Cl 3.17). O que não é feito para a glória de Deus é VANGLÓRIA (2.3). Tudo o que é feito para se mostrar ou para competir é vão e vazio.
A exaltação de Jesus começou com a ressurreição. Os homens tinham feito o pior ao Salvador – matado e sepultado, mas Deus o exaltou e o honrou. Os homens aplicaram-lhe nomes ridículos e insultuosos, mas O PAI LHE DEU UM NOME GLORIOSO.
Quando se humilhou se fez servo, mas quando o exaltou lhe deu o nome de SENHOR.(At 2.32-36).
A sua exaltação inclui: AUTORIDADE sobre todas as criaturas no céu, na terra e no inferno. Todos se prostram diante dele.
A pessoa humilde deve esperar sacrifício e serviço enquanto vai vivendo para os outros, mas no final isso conduzirá à glória. (I Pe 5.16). Ex.: JOSÉ SOFREU E SERVIU 20 ANOS, mas depois Deus o exaltou e o tornou o segundo homem do Egito. DAVI foi ungido rei quando ainda era rapaz. Experimentou anos de dificuldades e sofrimento, mas a seu tempo Deus o exaltou como rei de Israel.

CONCLUSÃO

A vida de Jesus, o exemplo de Jesus, a morte de Jesus, a exaltação de Jesus devem ser para nós o remédio para curar os males da falta de comunhão na igreja.
Toda ambição egoísta, toda busca do prestígio pessoal, todo egocentrismo esboroa-se diante de Jesus.
A falta de unidade, de humildade e de altruísmo existem quando nossos olhos não estão fixados em Cristo.

Rev. Hernandes Dias Lopes.

1 Comentário

  • RENATO Posted 3 de outubro de 2015 10:58

    FATO.O quanto nos esquecemos de olhar para o SR: JESUS. MISERICÓRDIA .

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *