Onesíforo, o amigo de todas as horas

Você sabe quem foi Onesíforo? Onde ele morava? Qual foi o destaque que recebeu como crente? Há muitos servos de Deus que passarão quase despercebidos nos anais da história, porém, tiveram uma contribuição decisiva na igreja e uma ação corajosa em favor do povo de Deus. Onesíforo era membro da igreja de Éfeso. Sua cidade era a capital da Ásia Menor, centro de idolatria e ocultismo. Éfeso hospedava o templo de Diana, uma das sete maravilhas do mundo antigo, um palácio de mármore, oito vezes maior que o Parthenon de Atenas. Esse homem converteu-se a Cristo com toda a sua família. Sua marca distintiva foi a misericórdia.

O apóstolo Paulo, depois do incêndio de Roma, entre os dias 17 a 24 de julho de 64 d.C., passa a ser procurado como um malfeitor. Isso, porque, o imperador Nero atribuiu o criminoso incêndio da capital aos cristãos. Paulo, sendo o maior líder do cristianismo é preso e lançado numa masmorra imunda, de onde as prisioneiros saíam leprosos ou para o martírio. Do interior dessa prisão insalubre é que Paulo escreve sua última carta, a seu filho Timóteo, e nela faz referência a Onesíforo, manifestando a ele seu preito de gratidão.

Durante os três anos que Paulo passou em Éfeso, Onesíforo prestou-lhe muitos serviços. Esse foi um tempo turbulento no ministério de Paulo, tempo em que enfrentou feras e travou lutas maiores do que suas forças (2Co 1.8). Esse valente, quase anônimo, muitas vezes encorajou Paulo e lhe deu ânimo quando esteve preso (2Tm 1.16). Ao saber da segunda prisão de Paulo em Roma, saiu de sua cidade e rumou para a capital do império à procura do apóstolo. Procurou-o diligentemente até encontrá-lo. Correu todos os ricos para prestar assistência a Paulo no final de sua vida. Confortou sua alma na sala de espera do martírio. Muitas vezes encorajou Paulo e lhe deu ânimo nas horas mais sombrias da vida. Paulo, nesta última prisão lidou com o drama da solidão, do abandono, das privações, da traição e da ingratidão (2Tm 4.9-18). Mas, Onesíforo não desistiu de Paulo, mesmo sabendo que ele estava sendo acusado de malfeitor (2Tm 2.9). Por causa disso, todos os da Ásia abandonaram o velho apóstolo (2Tm 1.15). Mas quando todos os da Ásia deram marcha ré, abandonando Paulo, Onesíforo pisou no acelerador e estendeu os braços para socorrer o apóstolo.

Você tem se esforçado para abençoar seus amigos, ainda que se aproximar deles possa causar-lhe sérios riscos? O exercício da misericórdia tem sido a marca de sua vida? Você tem feito o bem continuamente àqueles que fazem a obra de Deus, sem esmorecer? Você tem diligentemente buscado meios para encorajar os santos de Deus, que estão na linha de frente da batalha? Você tem colocado sua vida, sua casa e sua família a serviço daqueles que, injustamente sofrem acusações injustas e até arriscam sua vida pela causa do evangelho? Você persevera em socorrer os aflitos, ainda que todos estejam abandonando essa trincheira? A igreja de Deus é um corpo. Nenhum de nós vive de forma isolada e independente. Estamos ligados uns aos outros inseparavelmente e dependemos uns dos outros. Quando um membro sofre, todos devem sofrer com ele; quando um membro é honrado, todos devem se alegrar com ele. Paulo suportou muitas aflições ao longo de seu ministério, mas Deus sempre providenciou alguém para lhe socorrer. Depois, acabou preso injustamente e da prisão foi levado ao cadafalso para ser decapitado, mas não lhe faltou o conforto de Onesíforo na hora derradeira da vida. Este foi um amigo presente, um consolador compassivo, um bálsamo do céu na vida do maior bandeirante do cristianismo.

Rev. Hernandes Dias Lopes

14 comentários em “Onesíforo, o amigo de todas as horas”

  1. Verdadeiramente Onesíforo viveu o que diz as escrituras “o amigo ama em todo o tempo, e na angústia nasce um irmão” que sejamos amigos uns dos outros, amando uns aos outros, pois este é o mandamento de Jesus, Rei dos reis, Senhor dos senhores, o Salvador do mundo, que deu sua vida para que tivéssemos vida e vida em abundância. Aleluia! Louvado seja o nome do Senhor Jesus!

  2. No Velho Testamento há várias passagens de pessoas reagindo à morte de ente querido. Vejam: Gn 37: 34; Jó 1: 18-21. Os primeiros cristãos também rezavam pelos seus entes queridos já falecidos, mas até aí ficava parecendo que rezar pelos mortos, prestar-lhe luto e fazer penitência não é credível. Mas no Novo Testamento, Paulo, apóstolo, reza pelo seu amigo, já falecido, Onesíforo.

    Jesus Cristo, não somente chorou a morte de seu amigo Lázaro. O seu sentimento foi tão grande que Ele o ressuscitou.

    Não somente choremos pelos nossos mortos, mas rezemos por eles. Esta maneira é nobre e salutar.

      1. Amarillo, Paulo ora por Onesíforo em 2Timóteo 1-16:18. Quando o apóstolo diz: “O Senhor conceda misericórdia á casa de Onesíforo”, é porque ele já havia morrido, senão ele teria dito ´a Onesíforo`, e não á família de Onesíforo. No versículo 18, Paulo pede pelo espírito de Onesíforo, quando diz: ” O Senhor lhe conceda ( a Onesíforo) que naquele dia (do julgamento) ache misericórdia diante do Senhor”. A morte não destrói o amor de quem fica nem de quem vai. A morte não tem poder de matar o amor.

  3. Conceda o Senhor misericórdia à casa de Onesíforo? O apóstolo Paulo fala dele sempre no passado. E Paulo, quando faz sua saudações finais, saúda Priscila e Aquila, mas quanto a Onesíforo, cita apenas sua família? Pergunto: Onesíforo estava morto no momento que paulo escreve a Timóteo?

  4. Glórias a Deus 🙌🙌
    Como é maravilhoso lê a bíblia,e ter interesse em aprender mais do senhor JESUS.
    Vemos uma pessoa anônima,ao qual não ouvimos falar nas pregações dos últimos dias,por egos,e orgulhos nas pregações.
    E um homem anônimo ao qual hoje está muito difícil querer ser,fez algo maravilhoso.
    Hoje o povo quer ser conhecido,quer seguidores, que fama,aplausos,etc..
    DEUS abençoará mais,e mais pastor HERNANDES DIAS LOPES.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *