Os céus celebram o casamento e a vitória do cordeiro de Deus

Referência: Apocalipse 19.1-21

INTRODUÇÃO

1. Estamos chegando ao momento culminante da história da humanidade. Nos capítulos 1-11 vimos a perseguição do mundo sobre a igreja e como Deus enviou seus juízos sobre ele. Nos capítulos 12-22, estamos vendo como esta batalha se torna mais reihida e agora o dragão, o anticristo, o falso profeta e a grande meretriz se ajuntam para perseguiu o Cordeiro e a sua igreja.
2. Nos capítulos 17 e 18 vimos como o sistema do mundo, representado pela religião falsa e os sistemas político e econômico entram em colapso.
3. Agora João tem a visão da alegria do céu pela queda da Babilônia, a alegria do céu pelas bodas do Cordeiro e a visão da gloriosa vinda de Cristo e sua vitória retumbante sobre seus inimigos.

I. OS CÉUS CELEBRAM O TRIUNFO FINAL DE DEUS SOBRE A GRANDE MERETRIZ – V. 1-6

1. A meretriz que corrompia a terra e matava os servos de Deus está sendo julgada – v. 2
• A condenação eterna do mal e dos malfeitores é um julgamento justo e verdadeiro. Deus não pode premiar o mal. Ele é ético.
• Quando a Babilônia caiu, a ordem foi dada no céu: “Exultai sobre ela ó céus, e vós, santos, apóstolos e profetas, porque contra ela julgou a vossa causa” (Ap 18:20). Jesus está julgando a meretriz, a falsa igreja, e casando-se com sua noiva, a verdadeira igreja. Ao mesmo tempo que a religião prostituída diz: Ai, Ai, a noiva do Cordeiro, a igreja, diz: Aleluia!

2. O poder do mundo que é transitório está caindo – v. 1
• A grande meretriz, o sistema religioso, político e econômico que dominou o mundo e ostentou sua riqueza, poder e luxúria, entra em colapso. O mundo passa. Na segunda vinda de Cristo esse sistema estará completamente destruído.
• Os céus se regozijam porque Deue está julgando os seus inimigos. Deus está no trono. Dele é a salvação, a glória e o poder. O poder da falsa religião caiu. As máscaras da falsa religião caíram.
• O falso sistema religioso é condenado por dois motivos: a) Ela corrompeu a terra com a sua prostituição (v. 2) – Ela levou as nações a se curvarem diante de ídolos. Ela desviou as pessoas do Deus verdadeiro. Ela ensinou falsas doutrinas. Ela se esforçou para produzir apóstatas em vez de discípulos de Cristo; b) Ela matou os servos de Deus (v. 2) – A falsa religião sempre se opôs à verdade e perseguiu os arautos da verdade. Ela matou os santos, os profetas, os apóstolos e tantos mártires ao longo da história.

3. A condenação desse sistema do mundo é eterna – v. 3
• Não apenas o mal será vencido, mas os malfeitores serão atormentados eternamente. A Bíblia fala sobre penalidades eternas. Não existe nada de aniquilação, mas de tormento sem fim.

4. A igreja e os anjos adoram a Deus porque ele está reinando – v. 4-6
• Deus sempre esteve no trono. O inimigo sempre esteve no cabresto de Deus. Mas agora chegou a hora de colocar todos os inimigos debaixo dos seus pés. Agora chegou o dia do julgamento do Deus Todo-poderoso. Todos os inimigos serão lançados no lago do fogo.
• O livro do Apocalipse é o livro dos Tronos. Deus agora conquista os tronos da terra. O trono do diabo, do anticristo, do falso profeta, da Babilônia, dos poderosos do mundo. Todos estarão debaixo dos pés de Jesus. Os impérios poderosos cairão. As superpotências econômicas cairão. Os déspotas cairão. Todo joelho vai se dobrar diante do Senhor. Aleluia porque só o Senhor reina!
• O coro celestial é unânime: “Aleluia! Pois reina o Senhor, nosso Deus, o todo-poderoso” (Ap 19:6).

II. OS CÉUS CELEBRAM O CASAMENTO DA NOIVA COM O SEU NOIVO, O CORDEIRO DE DEUS – V. 6-10

1. Enquanto a meretriz é julgada, a noiva é honrada – v. 7-8
• Enquanto a meretriz, a falsa igreja é julgada; a verdadeira igreja, a noiva do Cordeiro é honrada. Enquanto a meretriz tem suas vestes manchadas de prostituição e violência, as vestes da noiva do Cordeiro são o mais limpo, o mais puro e o mais fino dos linhos.
• A noiva se atavia, mas as vestes lhe são dadas – A igreja se santifica, mas essa santificação vem do Senhor. A igreja desenvolve a sua salvação, mas é Deus quem opera em nós tanto o querer como o realizar.

2. Os bem-aventurados convidados para as bodas e a noiva são as mesmas pessoas – v. 9

• Essa é uma subreposição de imagens. A noiva é a igreja e os convidados para as bodas são todos aqueles que fazem parte da igreja. Os convidados e a noiva são uma e a mesma coisa. A igreja é o povo mais feliz do universo. A eternidade será uma festa que nunca acaba.

3. O noivo é descrito como Cordeiro – v. 7
• Ele quer ser lembrado pelo seu sacrifício pelo pecado. Como noivo da igreja ele quer ser amado e lembrado como aquele que deu sua vida pela sua amada.

4. As bodas falam da consumação glorioso do relacionamento de Cristo com sua igreja – v. 7
• O casamento de Cristo com sua igreja será um casamento perfeito, sem crise, sem divórcio. Ilustração: O casamento de Charles e Diana – o casamento do século XX que acabou em tragédia.
• O costume matrimonial dos hebreus – 1) Noivado – era algo mais profundo do que um compromisso significa para nós. A obrigação do matrimônio era aceita na presença de testemunhas e a bênção de Deus era pronunciada sobre a união. Desde esse dia o noivo e a noiva estavam legalmente casados (2 Co 11:2). 2) O intervalo – Durante o intervalo o esposo paga ao pai da noiva um dote. 3) A procissão para a casa da noiva – Ao final do intervalo o noivo sai em procissão para a casa da noiva. A noiva se prepara e se atavia. O noivo em seu melhor traje é acompanhado de seus amigos que cantam e levam tochas e seguem em direção à casa da noiva. O noivo recebe a noiva e a leva em procissão ao seu próprio lar. 4) Finalmente, as bodas – AS bodas incluem a festa das bodas que duravam sete ou quatorze dias. Agora a igreja está desposada com Cristo. Ele já pagou o dote por ela. Ele comprou a sua esposa com seu sangue. O intervalo é o período que a noiva tem para se preparar. Ao final desse tempo, o noivo vem acompanhado dos anjos para receber a sua noiva, a igreja. Agora começa as bodas. O texto registra esse glorioso encontro: “Alegremo-nos e exultemos e demos-lhe glória, porque são chegadas as bodas do Cordeiro, cuja esposa a si mesma já se ataviou” (Ap 19:7). As bodas continuem não por uma semana, mas por toda a eternidade. Oh dia glorioso será aquele!

III. OS CÉUS SE ABREM PARA A VINDA TRIUNFAL DO NOIVO, O REI DOS REIS – V. 11-21

1. A aparição do Noivo, o Rei dos reis – v. 11
• João vê Jesus vindo vitoriosamente do céu. O céu se abre. Desta vez o céu está aberto não para João entrar (Ap 4:1), mas para Jesus e seus exércitos sairem (Ap 19:11). A última cena da história está para acontecer. Jesus virá para a última batalha. É o tempo da grande tribulação. Satanás estará dando suas últimas cartadas. O anticristo e o falso profeta estarão seduzindo o mundo e perseguindo a igreja. Mas Jesus aparece como o supremo conquistador. Ele aparece repentinamente em majestade e glória!

2. A descrição do Noivo, o Rei dos reis – v. 11-13,15-16
2.1. Ele é Fiel e Verdadeiro (v. 11) – Em contraste com o anticristo que é falso e enganador.
2.2. Ele é aquele que a tudo perscruta (v. 12) – Seus olhos são como chama de fogo. Nada ficará oculto do seu profundo julgamento. Ele vai julgar suas palavras, obras e os segredos do seu coração. Aqueles que escaparam do juízo dos homens não escaparão do juízo de Deus.
2.3. Ele é o vencedor supremo (v. 12b) – “Na sua cabeça há muitos diademas” – Ele tem na sua cabeça a coroa do vencedor e do conquistador. Quando ele entrou em Jerusalém, ele cavalgou um jumentinho. Ele encontrou como servo. Mas agora ele cavalga um cavalo branco. Ele tem na sua cabeça muitas coroas, símbolo da sua suprema vitória.
2.4. Ele é insondável em seu ser (12c) – Isso revela que nós jamais vamos esgotar completamente o seu conhecimento.
2.5. Ele é a Palavra de Deus em ação (v. 13) – Deus criou o universo através da sua Palavra. Agora Deus vai julgar o mundo através da sua Palavra. Jesus é o grande juíz de toda a terra.
2.6. Ele é o amado da igreja e o vingador de seus inimigos (v. 13,15) – Seu manto está manchado de sangue, não o sangue da cruz, mas o sangue dos seus inimigosm (Is 63:2-3). Ele vem para o julgamento. Ele vem para colocar os seus inimigos debaixo dos seus pés. Ele vem para recolher os eleitos na ceifa e pisar os ímpios como numa lagaragem (Ap 14:17-20). Ele vem para julgar as nações (Mt 25:31-46).
2.7. Ele é o Rei dos reis e o Senhor dos senhores (v. 16) – Deus o exaltou sobremaneira. Deu-lhe o nome que está acima de todo nome. Diante dele todo joelho deve se dobrar: o diabo, o anticristo, o falso profeta, os reis da terra, os ímpios.

3. Os exércitos ou acompanhantes do Noivo, o Rei dos reis – v. 14
• O rei virá em glória. Ao clangor da trombeta de Deus. Ao som do trombeta do arcanjo. Cristo descerá do céu. Todo o olho o verá. Ele virá pessoalmente, fisicamente, visivelmente, audivelmente, poderosamente, triunfantemente.
• O rei virá com o seu séquito: os anjos e os remidos (Mt 24:31; Mc 13:27; Lc 9:26; 1 Ts 4:13-18; 2 Ts 1:7-10). Um exército de anjos descerá com Cristo. Os salvos que estiverem na glória virão com ele entre nuvens. Todos como vencedores, mantados em cavalos brancos. Todos com vestiduras brancas. Outrora, a nossa justiça era como trapos de imundícia, mas agora, vamos vestir vestiduras brancas. Somos justos e vencedores.

4. A derrota dos inimigos pelo Rei dos reis é descrita em toda a sua hediondez – v. 17-18

• Enquanto os remidos são convidados para entrar no banquete das bodas do Cordeiro, as aves são convidas a se banquetearem com as carnes dos reis, poderosos, comandantes, cavalos e cavaleiros.
• Há um contraste entre esses dois banquetes: O primeiro é o banquete da ceia nupcial do Cordeiro, ao qual todos os santos são convidados (Ap 19:7-9). O segundo, o banquete dos vencidos, ao qual todas as aves de rapina são convocadas. Isso indica que todo o poder terreno chegou ao fim. A vitória de Cristo é completa!

5. O Rei dos reis triunfa sobre seus inimgos na batalha final, o Armagedom – v. 19-21
• Essa será a peleja do Grande Dia do Deus Todo-poderoso (Ap 16:14). Os exércitos que acompanham a Cristo não lutam. Mas, Jeus Cristo destruirá o anticristo com o sopro da sua boca pela manifestação da sua vinda (2 Ts 2:8). Todas as nações da terra o verão e o lamentarão (Ap 1:7). Quando os inimigos do Cordeiro se reunirem, então, sua derrota será total e final (Ap 19:19-21). Esta batalha Jesus a vence não com armas, mas com a sua Palavra, a espada afiada que sai da sua boca (Ap 19:15).
• Aquele dia será dia de trevas e não de luz para os inimigos de Deus. Ninguém poderá escapar. Aquele será o grande dia da ira do Cordeiro e do juízo de Deus.
• O anticristo e o falso profeta serão lançados no lago do fogo, onde a meretriz também estará queimando (Ap 19:3,20). Eles jamais sairão desse lago. Serão atormentados pelos séculos dos séculos (Ap 20:10).
• Enquanto os inimigos de Deus estarão sendo atormentados por toda a eternidade, a igreja desfrutará da intimidade de Cristo nas bodas do Cordeiro para todo o sempre.

CONCLUSÃO

1. Em breve Cristo voltará como o Rei dos reis e Senhor dos senhores. É Cristo o senhor da sua vida hoje?
2. Você está preparado para se encontrar com Cristo? Vigie para que aquele grande dia não o apanhe de surpresa.

Rev. Hernandes Dias Lopes

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *