Os principais reformadores do século xvi

A Reforma Protestante foi um movimento que trouxe a igreja de volta ao cristianismo apostólico. Foi uma volta às Escrituras e uma rejeição total a qualquer doutrina sem base na Palavra de Deus. Vários foram os instrumentos usados por Deus na Reforma do século XVI, mas dois homens se destacaram dentre os demais:

1. Martinho Lutero (1483-1546)
Ele era alemão, filho de camponeses; tornou-se monge agostiniano e entrou para o mosteiro em Erfurt. Buscava com avidez a salvação de sua alma. Em 1512, aos 29 anos, o texto de Romanos 1:17: “O justo viverá pela fé”, explodiu como bomba em seu coração. Ali, ele descobriu a gloriosa doutrina da justificação pela fé. Mais tarde, quando o papa Leão X estava construindo a basílica de São Pedro, seu emissário Johannes Tetzel foi à Alemanha vender indulgências, que ofereciam redução das penas do purgatório. Convencido pelas Escrituras de que o tráfico de indulgências desviava o povo da verdade, oferecendo-lhe falsas esperanças, Lutero decidiu enfrentar aquele abuso e, no dia 31 de outubro de 1517, pregou nas portas da Igreja de Wittenberg as 95 teses contra as indulgências. Estava deflagrado o movimento da Reforma. Essas teses foram um golpe no poder papal e no poder da igreja que se desviara da fé apostólica. As teses combateram o pretenso poder da igreja de ser mediadora entre o homem e Deus, vendendo o perdão dos pecados.
Em 1521, em Worms, na Dieta Imperial, sob ameaça de morte, Lutero defendeu sua fé diante do imperador, clérigos, nobres, condes e embaixadores. A partir daí, o evangelho passou a ser pregado na língua do povo. Nos púlpitos e nos bancos das igrejas havia cópias da Bíblia traduzida por Lutero. Cantavam-se por toda a Alemanha hinos evangélicos e salmos, muitos dos quais escritos pelo próprio Lutero. Dentro de trinta anos, a igreja cristã na Alemanha tinha sido reformada, como ninguém jamais poderia ter sonhado.

2. João Calvino (1509-1564)
Foi o grande cérebro da Reforma e o sistematizador das doutrinas reformadas. Filho de um rico advogado francês ligado ao clero, Calvino recebeu formação humanista. Em 1533 declarou-se protestante e teve de fugir de Paris em virtude de inesperada perseguição. Calvino escreveu inúmeras obras, dentre elas comentários sobre quase todos os livros da Bíblia. Aos 26 anos, escreveu a principal obra da Reforma As Institutas da Religião Cristã. Esta obra foi dirigida a Francisco I, rei da França, numa tentativa de defender os protestantes daquele país, que acabaram sendo perseguidos, torturados e mortos por causa de sua fé em Cristo. Cerca de 200 mil huguenotes, calvinistas franceses, morreram na França, vitimados pela perseguição, especialmente sob o governo de Catarina de Médici.
Convidado por Guilherme Farel em 1536, Calvino ficou em Genebra para ajudar na implantação da Reforma naquela cidade. A cidade não madura para a Reforma, rechaçou-os e expulsou-os. Calvino passou três anos em Estrasburgo, como pastor de uma igreja de protestantes franceses. Em 1541, voltou a Genebra, a pedido do povo, pois a cidade se corrompia galopantemente. Ali Calvino realizou uma extraordinária obra de pregação, ensino, disciplina e educação do povo. A cidade de Genebra foi transformada e tornou-se um celeiro de missionários para o mundo, inclusive enviando em 1557, a pedido de Villegaignon, quatorze missionários para o Brasil, cinco dos quais foram mortos como mártires do protestantismo em terras brasileiras. A influência de Calvino como teólogo e pensador extrapolou os horizontes da igreja e tem seus reflexos até hoje na história. Ele influenciou a economia com o seu humanismo social. E influenciou a educação ao criar um sistema educacional de primeira ordem; seus planos resultaram no estabelecimento de um sistema escolar livre e completo, culminando na academia, instituição de grau universitário, no qual não faltava o curso de teologia.

Rev. Hernandes Dias Lopes.

3 comentários em “Os principais reformadores do século xvi”

  1. Estava procurando quem foi o principal reformador, e encontrei essa exposoçâo pelo Pastor Hernandes Dias sobre dois dos principas reformadores, meus parabens pelo resumo que Deus te abençoe.

  2. Excelente ensinamento e, um verdadeiro patrimônio cultural evangélico e inesquecível – A Reforma Protestante. Vale à pena, protestar o paganismo e a idolotria e todo o sistema pecaminoso de Satanás – O Arquiinimigo de Deus e de todos os protestantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *