O QUE PODEMOS APRENDER COM A PALMEIRA, O SÍMBOLO DO JUSTO?

“O justo florescerá como a palmeira…” (Sl 92.12).

 

A Bíblia está cheia de metáforas. São figuras e imagens que nos apresentam lições morais e espirituais. Aqui, no texto em tela, o justo é comparado com a palmeira. É claro que, no caso de Israel, o escritor está falando da tamareira, pois é a árvore mais conhecida na região e uma das primeiras fontes de renda na agricultura. Que lições podemos aprender?

Em primeiro lugar, o justo cresce verticalmente. A tamareira cresce para cima, para o alto, para o céu. Assim é o justo. Sua vida é reta e cresce verticalmente. Isso fala de sua retidão e integridade. O justo não tem em seu caráter sinuosidades. Sua vida é reta. Sua conduta é ilibada. Seu testemunho é irrepreensível. Seu crescimento é para o alto!

Em segundo lugar, o justo tem uma vida útil. Tudo na tamareira é útil. Suas raízes, seu caule, suas folhas e seus frutos. Assim é o justo. Sua vida é uma bênção para a família e para a sociedade. Sua presença no mundo é abençoadora. Suas palavras são terapêuticas e suas obras são marcadas pela bondade. Seus frutos são doces e nutritivos.

Em terceiro lugar, o justo tem uma vida bela aos olhos de Deus e dos homens. A palmeira ou a tamareira enfeita o ambiente hostil onde cresce. No meio do deserto ela desfralda suas folhas robustas. No meio da seca severa, ela mantem seu verdor. Sua folhagem não murcha nem perde a sua beleza. Assim é o justo. Ele é belo aos olhos de Deus e seu testemunho é reconhecido na terra.

Em quarto lugar, o justo mantém-se firme mesmo em tempos de duras provas. A tamareira cresce no deserto, floresce em lugares áridos, frutifica em ambientes hostis. Suas raízes são castigadas pelo tropel de camelos e feras. Seu caule e suas folhas são surradas por rajadas dos ventos quentes do deserto. Seus frutos suculentos são amadurecidos sob o calor implacável, imposto pelo sol causticante. Assim é o justo, mesmo sendo duramente provado, permanece firme, pois está plantado em Deus, é sustentado por Deus e frutifica para a glória de Deus.

Em quinto lugar, o justo produz frutos que exaltam a Deus e abençoam o próximo. As tâmaras são apreciadas no mundo inteiro. É um fruto doce, nutritivo e nobre. É o mais importante produto da agricultura de Israel. É um importante fator da economia da região árida do deserto da Judeia. O justo produz, também, frutos dignos de arrependimento. O fruto do Espírito pode ser encontrado em sua vida. Não tem apenas folhas, mas frutos, muitos frutos que glorificam a Deus e abençoam o próximo.

Em sexto lugar, o justo aponta para a verdadeira fonte da vida. Onde o viajor cansado, pelos desertos áridos, vislumbra uma tamareira, sabe que ali existe um oásis, lugar de abrigo e refrigério. A tamareira é um ponto de referência no meio do deserto inóspito. Assim é o justo. Ele é plantado junto à fonte e sua vida aponta para Deus, o verdadeiro manancial da vida. Aqueles que andam errantes pelos desertos da vida, olham para ele, e podem encontrar a fonte da vida, um lugar de abrigo sob as asas do Onipotente Deus.

Em sétimo lugar, o justo é vitorioso em sua jornada. A folha da palmeira ou da tamareira é um símbolo de vitória. Quando erguida e acionada, com uma bandeira no mastro, ela proclama a vitória daqueles que a ostentam. Assim é a vida do justo. Ele é mais do que vencedor em Cristo. Sua vitória não decorre de sua beleza intrínseca nem de sua força pessoal. Sua vitória vem de Deus. Apesar de sua fraqueza, triunfa. Apesar de seu pecado, é justificado. Apesar de habitar numa tenda rota, será revestido com um corpo de glória! O justo florescerá como a palmeira!

 

Rev. Hernandes Dias Lopes

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *