Um grande homem que fracassou como pai

INTRODUÇÃO

1. Há sinais de desintegração da família por todos os lados:

a) O índice de divórcio chega a 50% em alguns países. De cada 100 casamentos, 50 terminam em divórcio.

b) A infidelidade conjugal está se tornando uma epidemia perigosa. Em 2001 num relatório sobre família, constatamos que 75% dos maridos e 63% das mulheres são infiéis aos seus cônjuges.

c) Uma pesquisa realizada recentemente com 3.600.000 crianças concluiu que 14% das crianças são filhos de pais solteiros e 40% viverão em um lar separado antes de atingirem a idade de 18 anos. Nos últimos 30 anos o número de pais solteiros cresceu 450%.

d) A pornografia escraviza hoje mais de 30% da população.

e) O homossexualismo está ultrapassando a fronteira dos 10% da população.

f) Os pais estão cada vez mais ocupados e os filhos cada vez distantes de um relacionamento estável com a família. Estamos assistindo a morte do diálogo na família.

2. A família de Eli é um exemplo de uma família que tinha tudo para dar certo, mas desintegrou-se. Eli era um grande homem, mas fracassou como pai. Eli era famoso fora dos portões, mas um perdedor dentro de casa. Eli cuidava dos outros, mas esqueceu a sua própria casa.

I.UM HOMEM QUE TINHA TUDO PARA SER UM GRANDE PAI


1. Ele tinha uma posição muito respeitada – 4:18

• Eli ocupava uma função que exigia muito do seu tempo. Ele era sacerdote e também juiz de Israel. Eli manteve uma posição respeitável por 40 anos. Ele era um homem muito ocupado com os negócios do povo e com as coisas de Deus.

2. Ele era um homem crente – 2:11

• Eli era um sacerdote. Ele representava o povo diante de Deus. Era um homem que instruía o povo na Palavra e intercedia pelo povo. Seu nome significa: Jeová é o meu Deus. Ele era um homem de fé. Ele era boca de Deus. Ele disse para Ana: “Vai em paz para a tua casa e o Senhor lhe conceda a petição que lhe fizeste” (1:17) e Ana concebeu e deu à luz Samuel.

3. Ele era um homem espiritualmente sensível – 3:8-9
• Quando Deus falou ao jovem Samuel, Eli sentiu que era o Senhor e disse-lhe o que fazer. Eli discerniu a presença de Deus nessa noite. Sabia que o significava contatar-se com Deus. Ele era um homem capaz de discernir a voz de Deus. Era um homem de poder espiritual.

4. Ele era um líder estável em seu trabalho – 4:18b
• Eli não foi um homem inconstante. Eli ministrou em Siló quarenta anos como sacerdote e como juiz julgou Israel durante todo esse tempo. Era um homem estável em seu trabalho, um líder entre o seu povo.

II. FILHOS QUE TINHAM TUDO PARA SER UMA BÊNÇÃO

• Eles tinham um pai crente
• Eles tinham um pai líder e experiente
• Eles nasceram numa família sacerdotal e cresceram num ambiente sagrado
• Eles mesmos eram sacerdotes do Senhor (1:3). MAS…

1. Eles eram sacerdotes, mas absolutamente profanos – 2:12
• Eles eram incrédulos, rebeldes, blasfemos e filhos de Belial. Eram sacerdotes profissionais, mas não se importavam com Deus. Conviviam com o sagrado, mas não tinham respeito com Deus, nem com a lei de Deus, nem com o povo. Eles cresceram na igreja, mas não o Senhor. Quanto mais perto da igreja, mais longe do Senhor. Eles lideravam e ensinavam o povo, mas eram ímpios.

2. Eles eram sacerdotes, mas desprezavam o culto divino – 2:17
• Eles não respeitavam a orientação da Palavra de Deus quanto as ofertas trazidas à Casa de Deus (Lv 7:30-34; 3:16; 7:23-25). Eles exerciam o sacerdócio apenas para satisfazer seus apetites. Não davam honra ao nome do Senhor. Para eles, o ritual era apenas uma tarefa pública para lhes levar comida ao estômago.
• Eles estavam na igreja, trabalhavam na igreja, mas eles não conheciam a Deus. Desrespeitar as coisas de Deus era o costume deles (2:13).

3. Eles eram sacerdotes, mas viviam escandalosamente na imoralidade – 2:22
• Eles adquiriram má fama e nem trataram de ocultar suas imoralidades. Eles pecavam contra aquelas pessoas de quem deviam cuidar e pastorear. Eles pecaram dentro da própria Casa de Deus. Eles eram homens casados, mas eram adúlteros. Eles não respeitavam a Deus, nem seus cônjuges, nem a Palavra de Deus, nem o sacerdócio nem o povo.

4. Eles eram sacerdotes, mas faziam o povo tropeçar – 2:24
• Os pecados do líder são mais grave, mais hipócritas e mais desastrosos: mais graves, porque pecam contra um maior conhecimento; mais hipócritas, porque combatem aquilo que praticam e mais danosos, porque os pecados do mestre são os mestres do pecado e assim faziam o povo tropeçar.
• Eles não era neutros. Eram uma pedra de tropeço. Charles Spurgeon diz que não há um maior instrumento do diabo dentro da igreja do que um ministro ímpio e impuro.

5. Eles eram sacerdotes, mas não ouviam conselhos nem advertências – 2:23-25
• Eles não honravam nem a Eli nem a Deus. Quem desobece aos pais, desobedece a Deus. O pecado da rebeldia é como o pecado da feitiçaria. Filhos rebeldes são a vergonha dos pais.

III. UM HOMEM QUE FRACASSOU NO MAIOR DE TODOS OS MINISTÉRIOS

1. Eli foi um pai AUSENTE, que não tinha tempo para os filhos – 4:18

• Eli era um pai que nunca estava em casa. Ele sempre esteve muito ocupado cuidando dos filhos dos outros, ouvindo, aconselhando famílias, ajudando a resolver os problemas dos outros e esqueceu-se de seus filhos.
• Os outros pais podiam sempre contar para os filhos as histórias de Abraão, Isaque e Jacó, mas Eli estava assoberbado com muitas outras coisas e não tinham tempo para os filhos.
• Hofni e Finéas não tinham um pai disponível. Eles moravam dentro da igreja, mas não tinham um pai presente.
• Quando os filhos são pequenos eles querem brincar com os pais e ficar com eles, mas quando crescem os pais querem ficar com os filhos, mas os filhos já não querem mais. Muitos pais hoje inventam ocupações desnecessárias. Os pais estão sempre dizendo para os filhos: “Um dia desses teremos mais tempo. Esse dia nunca chega.”
• O diálogo está morrendo dentro dos lares. EXEMPLO: O filho que chega e diz: tirei em segundo lugar o pai reclama. O filho que chega e diz que tirou 90 na prova de Matemática e o pai reclama. O pai que disse ao filho que o amava não pela nota, mas porque era seu filho.
• Nenhum sucesso compensa o fracasso do seu lar. O problema é que os filhos não têm o mesmo crédito que a empresa, o patrão e o telefone.
• O pai que substitui presença por presentes – Eu daria tudo para começar tudo de novo. EXEMPLO: O jornalista que os filhos se perderam.

2. Eli foi um pai OMISSO, que não abriu os olhos para ver os sinais de perigo dentro do seu lar – 2:22-24; 29-34; 3:11-12,17-18

a) A advertência veio do público em geral – 2:22-24 – Era do conhecimento popular. O povo não ocultava de Eli os pecados dos seus filhos. O dizia para Eli: “Os seus filhos são motivo de tropeço para o povo. Eles estão vivendo de forma escandalosa. O que eles fazem é mau. Você Eli fica com a imagem arranhada por causa dos seus filhos. A obra de Deus é prejudicada por causa dos seus filhos.” Mas a advertência de Eli é frouxa. Ele exorta os filhos, mas não os disciplina, nem os pune, nem os afasta do sacerdócio. Ele exortava com palavras, mas não com ação.
b) A advertência veio por um profeta anônimo – 2:27-34 – Deus denuncia a ingratidão deles. Lavra a sentença que o ministério deles iria cessar. Aponta a autoridade da sentença: “Assim diz o Senhor”. E mostra o princípio sobre o qual Deus exerce a autoridade: “Aqueles que me honram eu honrarei”. No v. 29 – O profeta fala sobre a repreensão de Deus; no v. 30 – sobre a rejeição de Deus; e nos versos 31-34 sobre o castigo de Deus.
c) A advertência do próprio Deus através de Samuel – 3:11-12, 17-18 – Para os critérios de avaliação de Deus, a prova de fogo da liderança de um pai não reside no âmbito de suas habilidades sociais, relações públicas, mas em casa (1 Tm 3:1-5). Eli foi omisso em corrigir os seus filhos diante de tantas advertências. Ele foi débil, frouxo. Faltou autoridade. Faltou pulso. Faltou firmeza. EXEMPLO: Quando alguém adverte você a respeito de sua família, de seus filhos, como você reage? Quando a professa manda um bilhete como você reage?

3. Eli foi um pai BONACHÃO – 2:29b

• Eli honrou mais aos seus filhos do que a Deus ao permitir que eles continuassem na prática de todos esses pecados no exercício do sacerdócio. Provérbios 19:18 diz: “Castiga a teu filho enquanto há esperança”.
• Davi não tinha coragem de confrontar os seus filhos e os perdeu.
• Hoje há filhos mandando nos pais. Os pais são reféns dos filhos.

4. Eli foi um pai CONIVENTE – 2:29

• Eli não apenas deixou de corrigir seus fihos, ele tornou-se participante dos pecados dos seus filhos. A Bíblia diz que ele morreu PESADO. E por que? “par tu e eles vos engordardes das melhores de todas as ofertas do meu povo Israel” (2:29).
• Eli comeu também a carne que seus filhos haviam tomado inescrupulosamente do sacrifício.
• Eli aceitou o estilo de vida que eles levavam. Eli se tornou-se parceiro dos pecados de seus filhos.

5. Eli foi um pai PASSIVO AO FATALISMO – 3:18

• Eli aceitou passivamente a decretação da derrota sobre a sua casa. Ele não reagiu. Ele não clamou por misericórdia. Ele não orou. Ele entregou os pontos. Eli não tinha forças mais para lutar pela salvação da sua casa.
• Não entregue os pontos. Não desista. Não abra mão da sua família. Você não gerou filhos para a morte. Você não gerou filhos para o cativeiro. Ore, lute, chore e jejue pela salvação dos seus filhos.

CONCLUSÃO

Lições práticas:
1. O perigo de cuidar dos outros e não cuidar da própria família.
2. O perigo de ser famoso para fora dos portões e não ter autoridade dentro de casa.
3. O perigo de nos acostumarmos com as coisas sagradas e perdermos o temor do Senhor.
4. O perigo de nos conformarmos com os pecados dos nossos filhos ao ponto de estarmos mais preocupados em agradá-los do que honrar a Deus.
5. O perigo de aceitarmos passivamente a decretação da derrota em nossa família.
6. O perigo de não estarmos atentos para o fato de que o cálice da ira de Deus pode encher-se e então não haver mais esperança para a nossa casa.

Aplicação:
1. A família de Eli acaba em tragédia porque pensou que podia fazer a obra de Deus sem santidade. Enfrentaram os Filisteus. Quatro mil homens morrem. Hofni e Finéas trazem a arca, símbolo da presença de Deus, mas a arca é roubada, eles morrem e 30.000 homens caem mortos.
2. Eli recebe a notícia da tragédia, cai da cadeira, quebra o pescoço e a nora dá à luz um filho a quem chama de ICABODE, “foi-se a glória de Israel”. Eles só reconheceram que Deus estava longe deles depois da tragédia.
3. Será que a glória de Deus está se ausentando da sua casa, da sua família? É hora de agir. Vamos fazer uma grande cruzada pela salvação da nossa família. Nenhum sucesso compensa a perda da nossa família.

Rev. Hernandes Dias Lopes

2 Comentários

  • robson Posted 20 de dezembro de 2011 23:31

    robson Seu coment�rio est� aguardando modera��o =).

    muito interesante esse estudo,sou pai de primeira viagem, vou colocar esses ensinamentos em em minha familia,precisamos estar atentos ao que a palavra de Deus nos ensina sobre a responsabilidades de um pai no lar. precisamos orar pelas familias, e nao cair nos laços do diabo. parabens, rev. Deus continui te usando para trazer mensagens abençoadas como essa.

    Responder

  • adilva Posted 29 de março de 2016 5:59

    paz e graça,muito obrigado pelo estudo estava precisar realmente de despertar não basta a minha entrega na obra e pensar que Deus vai fazer os meus deveres como mae ja que não estou conseguindo. não vou entregar os pontos vou me fortalecer no Senhor e entrar na batalha orando Jejuando e repreendendo os

Responder

Resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *