Uma igreja determinada a ganhar o mundo

INTRODUÇÃO

• “Há uma coisa mais forte que todos os exércitos do mundo”, escreveu Vitor Hugo, “uma idéia cuja hora é chegada”. O evangelho de Jesus Cristo é muito mais do que uma idéia. O evangelho é o poder de Deus para todo o que crê. É a dinamite de Deus para derrubar as barreiras do pecado. Sua hora havia chegado, e a Igreja estava em movimento.
• Em Atos 1.8 Jesus diz que a igreja precisa testemunhar além fronteira.
• Até o capítulo 7, a igreja é judaica.
• O capítulo 8 é uma dobradiça: o evangelho alcança Samaria: um povo meio judaico e meio gentílico. No capítulo 9, a igreja é gentílica.
• Neste texto aprendemos algumas lições:

I. A PERSEGUIÇÃO EM VEZ DE PARALIZAR A AÇÃO DA IGREJA, A PROMOVEU (8.1-4)

1. A morte de Estevão provocou uma grande perseguição sobre a igreja – v. 1-3

• Com a morte de ESTEVÃO um vento forte de perseguição soprou sobre a igreja. Mas a perseguição é como o vento em relação à semente, apenas a espalha.
• Diz o verso 3 que Saulo assolava a igreja. O verso “assolar” descreve um animal selvagem despedaçando a vítima. O verbo lumaino expressa uma crueldade sádica e violenta. Saulo não poupava nem as mulheres e ele buscava a prisão e a morte de suas vítimas em Jerusalém e fora dela.

2. A perseguição levou a uma grande dispersão – v. 4

• A comissão foi cumprida através da perseguição. Mesmo quando a igreja é perseguida, Deus continua no controle da sua agenda. A perseguição nunca destruiu a igreja, ao contrário, a espalha.

3. A dispersão produziu poderosa evangelização – v. 4

• Bengel afirmou que o vento aumenta a chama. A perseguição nunca destruiu a igreja. Deus transforma o agente da perseguição em arauto da missão.
a) O Sinédrio tentou prender os apóstolos. Paulo prendia os crentes – mas a igreja continuou crescendo.
b) O império romano – os imperadores não conseguiram deter a igreja queimando os crentes e jogando-os nas arenas.
c) Maria Tudor não conseguiu deter o avanço da Igreja na Inglaterra em 1553.
d) A perseguição japonesa e comunista na Coréia do Sul não conseguiu destruir a igreja.
e) Em 1949 o governo chinês foi derrotado pelos comunistas e nessa época 637 missionários da Missão para o Interior da China foram obrigados a deixar o país. Anos depois, os cristãos na igreja eram 40 vezes mais numerosos.

II. A OBRA MISSIONÁRIA SÓ PODE ATINGIR O MUNDO QUANDO ELA FOR UMA GRANDE FORÇA LEIGA (8.4,5)

• A evangelização não é um programa, mas um estilo de vida.
• O projeto de Deus é o evangelho TODO, por TODA a igreja, a TODO o mundo, a CADA criatura, em CADA geração.
• Os apóstolos sozinhos não podiam ganhar o mundo. Cada crente é um missionário.
• Jesus disse para o gadareno: “Vai para os teus e conta a eles tudo quanto o Senhor fez por ti e como teve misericórdia de ti”.
• “ENTREMENTES, OS QUE FORAM DISPERSOS IAM POR TODA PARTE PREGANDO A PALAVRA”.
• Filipe não era apóstolo, era diácono, mas era um ganhador de almas. Era um homem cheio do Espírito Santo, de fé e sabedoria.
• A evangelização exige INVESTIMENTO DO DINHEIRO, DO TEMPO E DA VIDA.
• Carlos Studd disse: “Se Jesus Cristo é Deus e ele deu sua vida por mim, nada é sacrificial demais que eu possa fazer por ele”.
• Quem não é um agente missionário é um campo missionário. A igreja que não evangeliza precisa ser evangelizada.

III. A OBRA MISSIONÁRIA SÓ PODE ATINGIR O MUNDO QUANDO A NOSSA MENSAGEM FOR PREGADA AOS OUVIDOS E AOS OLHOS (8.5-8)

1. O Evangelho rompeu a barreira do preconceito

• Os samaritanos eram um povo mestiço, meio judeu e meio gentio. Eles foram produto de uma mistura com os povos pagãos. Eles começaram a falar uma língua mistura.
• Eles se opuseram à reconstrução do templo em Jerusalém.
• Eles construíram um novo templo no Monte Gerism. Eles instituíram novos sacerdotes. Eles rejeitaram o VT e só aceitavam o Pentateuco.
• Eles não se davam.
• Mas o evangelho rompeu barreiras. O evangelho desfaz mágoas.

2. Houve impacto, prodígios e alegria

• As pessoas ouviam e viam. Filipe pregou aos ouvidos e aos olhos.
• Hoje as pessoas escutam belos sermões, mas não vêem vida. A igreja é mais conhecida pelos seus escândalos do que pelos seus milagres. A igreja divorciou a pregação da vida.
• Antonio Vieira. Hoje a semente não produz nem a 1%.

3. Precisamos pregar aos ouvidos e aos olhos

• Jesus manda dizer a João Batista que ele fala e faz. Ele prega aos ouvidos e aos olhos.
• Hoje há gigantes do saber e anões do poder. Hoje gastamos 100 membros para ganhar 1 membro por ano.
• Os samaritanos foram libertos de aflições físicas, controle demoníaco e sobretudo, de seus pecados. O evangelho produziu salvação, libertação, e alegria.

IV. ONDE O EVANGELHO PREVALECE, O MISTICISMO É DESMASCARADO (8.9-25)

• Hoje, o evangelho dá as mãos ao misticismo.
• Hoje se vende a fé.
• Hoje os próprios pregadores fazem malabarismo em nome de Deus para ganharem dinheiro.
• Satanás agora tenta atacar a igreja não pela perseguição, mas pela dissimulação, por falsas conversões e falsos obreiros.
• Em tempos de despertamento, onde quer que Deus semeia a verdadeira semente, o diabo semeia o seu joio.
• Simão era popular, mas não convertido. Ele era um show-man.
• Simão era extraordinário, mas não autêntico. Ele amava os holofotes.
• Vemos neste texto:

1. O orgulho de Simão (v. 9) – Ele alega ser grande.
2. A popularidade de Simão (v. 10,11) – Várias pessoas crêem nele.
3. A dissimulação de Simão (v. 12-13) – Ele se torna membro da igreja e é batizado.
4. A perversão de Simão (v. 18,19) – Ele tenta comprar o poder do Espírito Santo e aí começa o pecado da SIMONIA.
5. A punição de Simão (v. 20-23) – Pedro o desmascara e lhe diz que ele está sendo inspirado por Satanás.
6. A Súplica de Simão (v. 22,23) – Ele não demonstra sincero arrependimento. Ele quer se livrar das conseqüências.

V. A OBRA MISSIONÁRIA PASSA PELA DIREÇÃO DO ESPÍRITO SANTO À IGREJA (8.26-40)

1. Uma vida vale todo o investimento do mundo – v. 26-30

• Filipe sai de um avivamento e vai para o deserto
• A lista de Shindler.
• Aquele etíope foi missionário em sua Pátria, o primeiro africano a ser salvo e enviado como embaixador de Cristo.
• Você precisa estar disposto a pregar para uma multidão e também para uma única pessoa.

2. É preciso ir lá fora onde os pecadores estão para levá-los a Jesus – v. 29

• Filipe obedeceu prontamente – v. 26
• “Ajunta-te a esta carruagem” = Ação fora do santuário – Lá fora onde está o movimento, nas estradas e alamedas da humanidade. Lá fora nos lugares públicos.
• Trata-se de colocar o evangelho sobre rodas, em práticas – Ligando-o ao sistema de transportes, dando-lhe velocidade, tecnologia moderna, na imprensa com folhetos policromados, nos rolos e bobinas, vídeos e projetores cinematográficos.
• Trata-se de colocar o evangelho dentro do alcance das massas, onde pobres e ricos possam ouvi-lo.
• Ligue o testemunho a todo veículo – Vá lá fora e testemunhe!
• CORRA! (V. 29,30) – Missões é obra urgente!
• Ilutração : Hudson Taylor começou o seu ministério em 1857 em Ningpo na China e levou a Cristo o Sr. Nyi. Certo dia ele perguntou a Hudson Taylor: Há quanto vocês conhecem o evangelho na Inglaterra? Meu pai morreu sem conhecer o evangelho. Por que vocês não vieram antes?

3. É preciso explicar as Escrituras e levar as pessoas a Cristos – v. 30-35

• Hoje temos visto experiência ocupando o lugar das Escrituras.
• Hoje temos visto ênfase em homens poderosos em vez de Cristo crucificado.
• Filipe explica as Escrituras. Apresenta a Jesus. Não religião, rito, cultura religiosa.
• Filipe batiza o eunuco. O batismo não é precipitado nem demorado. Não batiza o inconverso nem adia o batismo do salvo. Uma única condição é exigida: crer de todo o coração.

4. É preciso estar sempre aberto à nova direção do Espírito – v. 39,40

• Filipe podia pensar: Agora vou ser o evangelista do deserto, da estrada. Ele não engessou o método.
• Ele se abriu para a nova agenda do Espírito.
• O que Deus quer que eu faça agora? ÀS vezes estamos fazendo a mesma coisa na igreja há décadas, quando o vento do ES está nos conduzindo para outros campos, outras áreas, outras frentes e novos horizontes.

CONCLUSÃO

• O método da igreja não era apenas trazer pessoas ao templo para evangelizá-los, mas ir lá fora e ganhar os pecadores onde eles estavam.
• O método missionário é ir além das nossas fronteiras. Temos que ser luz nas nações e investir nosso tempo, nosso dinheiro e nossa vida na obra – Alexandre Duff.
1. Filipe usou a mesma mensagem tanto em Samaria como no evangelismo pessoal com o eunuco (v. 12,35). Em ambos os casos houve a mesma resposta: creram e foram batizados (12, 36-38) e houve a mesma alegria (8,39).
2. As pessoas era diferentes em raça, posição social e religião. Os samaritanos eram uma raça mista, eram cidadãos comuns e reverenciavam Moisés, mas rejeitavam os profetas. Tinham sido iludidos por um mágico. O etíope era africano, rico e prosélito que lia os profetas que os samaritanos rejeitavam. Apesar das diferenças Filipe apresentou a ambos a mesma mensagem.
3. Filipe usou o evangelismo de massa em Samaria e o evangelismo pessoal com o eunuco. Mas a mensagem foi a mesma e o resultado o mesmo.

Rev. Hernandes Dias Lopes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *