As razões dos não-dizimistas

Referência: HEBREUS 7.1-10

A doutrina do dízimo é inaceitável para aqueles que ainda não tiveram uma experiência pessoal com Jesus Cristo. Isto porque não foram ainda marcados pela consciência da causa de Deus nem pela prioridade do Seu Reino.
No Novo Testamento a palavra DÍZIMO aparece 9 vezes e ligadas a duas situações:

1) Mt 23.23 = Partindo dos lábios de Jesus em relação aos fariseus. Jesus aqui reafirma a necessidade do dízimo, ao mesmo tempo que denuncia sua prática como demonstração de piedade exterior (Lc 18.12) – “Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho.” Também Jesus denuncia a prática do dízimo como substituição de valores do Reino tais quais: justiça, misericórdia e fé (Lc 11.42).

2) Hb 7. 1-10 = Eis as lições desse texto: a) O Pai da fé deu dízimo de tudo – v. 2; b) O pai da fé deu o dízimo do melhor – v. 4; c) A entrega dos dízimos se deu não por pressão da lei, uma vez que o povo israelita ainda não existia e, portanto, muito menos a lei judaica – v. 6; d) Hebreus nos faz perceber e reconhecer a superioridade do valor do dízimo que é dado a Cristo (imortal) em relação ao dado aos sacerdotes (mortais) – v. 8; e) O autor destaca que os que administram os dízimos também devem ser dizimistas – v. 9.
Ser ou não ser dizimista é uma questão de acreditarmos na causa que abraçamos, na “pérola que encontramos.”
Hoje muitos crentes não são fiéis a Deus na entrega dos dízimos. Para justificar esta atitude criam vários justificativas e desculpas. Se dependessem deles a igreja fecharia as portas. Não existiria templos, nem pastores, nem missionários, nem bíblias distribuídas, nem assistência social.
Eis as justificativas clássicas dos não-dizimistas:

I. JUSTIFICATIVA TEOLÓGICA
Ah, eu não sou dizimista, porque DÍZIMO é da lei. E eu não estou debaixo da lei, mas sim da graça.
Sim! O dízimo é da lei, é antes da lei e é depois da lei. Ele foi sancionado por Cristo. Se é a graça que domina a nossa vida, porque ficamos sempre aquém da lei? Será que a graça não nos motiva a ir além da lei?
Veja: a lei dizia: Não matarás = EU PORÉM VOS DIGO AQUELE QUE ODIAR É RÉU DE JUÍZO
a lei dizia: Não adulterarás = EU PORÉM VOS DIGO QUALQUER QUE OLHAR COM INTENÇÃO IMPURA…
a lei dizia: Olho por olho, dente por dente = EU PORÉM VOS DIGO: SE ALGUÉM TE FERIR A FACE DIREITA, DÁ-LHE TAMBÉM A ESQUERDA.
A graça vai além da lei: porque só nesta questão do dízimo, ela ficaria aquém da lei? Esta, portanto, é uma justificativa infundada.
Mt 23.23 = justiça, misericórdia e fé também são da lei. Se você está desobrigado em relação ao dízimo por ser da lei, então você também está em relação a estas virtudes.

II. JUSTIFICATIVA SENTIMENTAL
Muitos dizem: A bíblia diz em II Co 9.7 “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria” = espontânea e com alegria.
Só que este texto não fala de dízimo e sim de oferta. Dízimo é dívida. Não pagar dízimo é roubar de Deus.
Perguntamos também: O que estará acontecendo em nosso coração que não permite que não tenhamos alegria em dizimar? Em sustentar a Causa que abraçamos e defendemos?

III. JUSTIFICATIVA FINANCEIRA
“O que eu ganho não sobra ou mal dá para o meu sustento.
1) O dízimo não é sobra = Dízimo é primícias. “Honra ao Senhor com as primícias da tua renda.” Deus não é Deus de sobras, de restos. Ele exige o primeiro e o melhor.
2) Contribua conforme a tua renda para que a tua renda não seja conforme a tua contribuição = Deus é fiel. Ele jamais fez uma exigência que não pudéssemos cumprir. Ele disse que abriria as janelas dos céus e nos daria bênçãos sem medidas se fôssemos fiéis. Ele nos ordenou a fazer prova Dele nesta área. Ele promete abrir as janelas do céu! Ele promete repreender o devorador por nossa causa.
3) Se não formos fiéis, Deus não deixa sobrar = Ageu diz que o infiel recebe salário e o coloca num saco furado. Vaza tudo. Foge entre os dedos. Quando somos infiéis fechamos as janelas dos céu com as nossas próprias mãos e espalhamos o devorador sobre os nossos próprios bens.

IV. JUSTIFICATIVA ASSISTENCIAL
“Prefiro dar meu dízimo aos pobres. Prefiro eu mesmo administrar meu dízimo.
“ A Bíblia não nos autoriza a administrar por nossa conta os dízimos que são do Senhor. O dízimo não é nosso. Ele não nos pertence. Não temos o direito nem a permissão nem para retê-lo nem para administrá-lo.
A ordem é: TRAZEI TODOS OS DÍZIMOS À CASA DO TESOURO PARA QUE HAJA MANTIMENTO NA MINHA CASA. A casa do Tesouro é a congregação onde assistimos e somos alimentados.
Mas será que damos realmente os “nossos” dízimos aos pobres? Com que regularidade? Será uma boa atitude fazer caridade com a parte que não nos pertence?

V. JUSTIFICATIVA POLÍTICA
“Eu não entrego mais os meus dízimos, porque eles não estão sendo bem administrados.”
Não cabe a nós determinar e administrar do nosso jeito o dízimo do Senhor que entregamos. Se os dízimos não estão sendo bem administrados, os administradores darão conta a Deus. Não cabe a nós julgá-los mas sim Deus é quem julga. Cabe a nós sermos fiéis.
Não será também que esta atitude seja aquela do menino briguento, dono da bola, que a coloca debaixo do braço sempre que as coisas não ocorrem do seu jeito?
Deus mandou que eu trouxesse os dízimos, mas não me nomeou fiscal do dízimo.

VI. JUSTIFICATIVA MÍOPE
“A igreja é rica e não precisa do meu dízimo.”
Temos conhecimento das necessidades da igreja? Temos visão das possibilidades de investimento em prol do avanço da obra? Estamos com essa visão míope, estrábica, amarrando o avanço da obra de Deus, limitando a expansão do Evangelho?
AINDA, não entregamos o dízimo para a igreja. O dízimo não é da igreja. É DO SENHOR. Entregamo-lo ao Deus que é dono de todo ouro e de toda prata. Ele é rico. Ele não precisa de nada, mas exige fidelidade. Essa desculpa é a máscara da infidelidade.

VII. JUSTIFICATIVA CONTÁBIL
“Não tenho salário fixo e não sei o quanto ganho.”
Será que admitimos que somos maus administradores dos nossos recursos? Como sabemos se o nosso dinheiro dará para cobrir as despesas de casa no final do mês?
Não sabendo o valor exato do salário, será que o nosso dízimo é maior ou menor do que a estimativa? Porque ficamos sempre aquém da estimativa? Será auto-proteção? Será desinteresse?

VIII. JUSTIFICATIVA ECLESIOLÓGICA
“Não sou membro da igreja”
Acreditamos mesmo que os nossos deveres de cristãos iniciam-se com o Batismo e a Profissão de Fé ou com a inclusão do nosso nome num rol de membros?
Não será incoerência defendermos que os privilégios começam quando aceitamos a Cristo: (o perdão, a vida eterna) e os deveres só depois que nos tornamos membros da igreja? Somos menos responsáveis pelo crescimento do Reino de Deus só porque não somos membros da igreja?

CONCLUSÃO
É hora de abandonarmos nossas evasivas. É hora de darmos um basta às nossas desculpas infundadas. É hora de pararmos de tentar enganar a nós mesmos e convencer a Deus com as nossas justificativas.
É hora de sermos fiéis ao Deus fiel. É hora de sabermos que tudo é de Deus: nossa casa, nosso carro, nossas roupas, nossas jóias, nossos bens, nossa vida, nossa saúde, nossa família. TUDO É DELE. Somos apenas mordomos, administradores. Mordomos e não donos. Deus quer de nós obediência e não desculpas. Fidelidade e não evasivas.
Que atitude vamos tomar? Nosso coração está onde está o nosso tesouro. Se buscarmos em primeiro lugar o Reino de Deus, não vamos ter problemas com o dízimo. Amém.

Rev. Hernandes Dias Lopes.

77 comentários em “As razões dos não-dizimistas”

    1. abraão deu o dizimo uma unica vez, e dos despojos da guerra, jacó disse, sr, se me abençoares certamente te darei o dizimo, ele nunca deu dizimo para ningue´m, os isrraelitas as tribos cada uma sustentavam os levitas, uma vez ao ano, então dezimavam uma vez ao ano, e não com dinheiro e sim com alimento.jesus enviou os doze e os 70 nunca mandou cobra dizimos e ofertas, paulo nunca pregou dz. e ofer.

    2. Sua edificação não tem que ser de Pastor e sim da Palavra de Deus, Jesus não está morto, ele vive e reina para sempre, o certo e você ser orientada adepender de Deus e não de Pastor, Deus também lhe fez sacerdote e deixou a sua palavra como orientação de vida.

  1. e paulo disse: trabalho de dia e de noite para não se pesado para os irmãos e para não envergonhar o evangelho de cristo. 2 cor 9,7 cada um contribua com o que propos no seu coração, não com trsteza e nem por necessidade, por que deus ama que da com alegria, a obra de deus necessita sim de oferta, por isso oferto muito mais que 10% dizimo é da lei sim, ñunca foi dinheiro, e sim alimento, seus mercenários, lobos devoradores

  2. Os dízimos foram impostos à igreja no Concílio de Macon (Gália), em 585, quando os padres conciliares houveram por bem impor a excomunhão a quem se furtasse a pagar sua contribuição à comunidade eclesial.
    A Igreja primitiva não praticava o dízimo obrigatório. Irineu, um dos pais da igreja, acreditava que os dízimos foram abolidos. As contribuições deveriam ser praticadas voluntariamente.
    Incrível como o tempo mudam as coisas!

    1. É isso aí pastor!
      O dízimo é uma necessidade dos pastores que gostam de trocar de carro todo ano e viver na mordomia enquanto as viúvas passam fome. O cristão deve contribuir segundo a necessidade da igreja e não para engordar pastores!

      1. quanta besteira irmãos, dizimos não engorda pastores que andam segundo a vontade de Deus, se nos anuncio vemos pastores se apoderando do que é de Deus, eles vão resolver com Deus, mas a igreja séria continua, o trabalho sério que realmente revela Deus continua e ai precisamos nos engajar neste trabalho principalmente investindo com nossos recursos.

        1. Essa ideologia de que os Pastores que se apoderam das coisas de Deus, eles vão prestar conta com Deus, é complicado, pois enquanto isso, somos conveniente as coisas erradas dentro do templo, e a quem deveriam ser beneficiados nem se quer são citados pelos membros, que são as viúvas e órfãos. Os dízimos são bíblicos, mas são anuais e não podem se direcionado a uma parte pessoal ( Pastor ), aliás quero afirmar uma coisa, ninguém hoje em pleno século 21 pregar a palavra e administrar as coisas de Deus sem ser Grato pela vida que Deus lhe deu, hoje em dia é os serviços são distribuído são vários membros que se dedicam a trabalhar sem remuneração e sobrevivem sem ajuda da congregação, e ainda dão o dízimo e ofertas. Gente vamos mudar, todos nós temos que ajudar, colaborar com as finanças da Igreja.

      2. Quem deve determinar se o dízimo é bíblico ou não é a própria Bíblia e não a história, embora é claro a história tenha a sua importância. Que o dízimo está na Bíblia, isto é fato. Foi praticado antes da Lei, no período da lei e em nenhum momento parece que Jesus a tenha revogado. A questão é, se é válido para nós hoje? Mesmo que creiamos que o dízimo não seja válido para nós hoje, claramente se vê nas Escrituras o princípio da contribuição e da proporcionalidade. Se entendo que sou mordomo e que tenho uma dívida de gratidão, logo meu coração contribuirá para além do dízimo de acordo obviamente com o que recebo. É óbvio que existem charlatões que se aproveitam da boa fé das pessoas. Mas, o Rev. Hernandes Dias é um homem de Deus. Disso eu não tenho dúvida. E dizer qualquer outra coisa dele como alguns fizeram nos comentários, é no mínimo imprudente.

  3. É interessante como os que combatem o dízimo, estão sempre rilhando os dentes com agressividade, vociferando como feras. São incapazes de perceber que pagam juros abusivos e ilegais para o governo e não reclamam, gastam dinheiro em Shoppings Centers comprando coisas que não precisam(consumismo) e pagam mais caro, mas não podem perder a pose de dizer que foi ao Shopping. Estes mesmos fazem uso irresponsável da Palavra de Deus, pois escolhem alguns textos fora do contexto, para justificar a dureza do coração.
    Se querem utilizar a Biblia Sagrada, façam com responsabilidade e justiça, sem deturpá-la usando-a como desculpas. A propósito, alguem citou o apóstolo Paulo, mas esqueceu-se de ler o que ele mesmo escreve em II Cor. 11:7-8. É só conferir, quem lê, entenda; mas por favor, leiam cuidadosamente, conferindo o contexto geral da carta e do texto em si.

  4. É incrivel que pessoas que se dizem Cristãs têm pensamentos tão icoerentes com a palavra de Deus. Como a igreja poderá ser sustentada sem os dízimos e as ofertas? as obras sociais? os pastores que tem que dedicarem ao estudo da palavra e as visitas domiciliares e assim como a administração da igreja? Sabido por todos nós que sem dinheiro não se paga a eletricidade, não se paga a água, não se paga a manutenção de ventiladores ou ar-condicionados, não se paga a manutenção dos instrumentos musicais. Você gosta de ouvir louvores na igreja? Você gosta de sentar em bancos confortáveis? Sem falar nos missionários que são enviados para pregar o evangelho, as ações sociais… Espero que Jesus ilumine o coração de vocês. Deus os abençõe ricamente.

    1. Gerson de Souza e Silva

      Isto mesmo, se quiserem mudar o nome, pode mudar, mas que é obrigação do cristão sustentar a igreja , à isto é, realmente o incrédulo não consegue desvincular deste mundo, e além de dizimista tem de ser indentificado o fulano, pois quer ser separado ou eleito para o ministério sem cumprir com sua profissão de fé, ninguém é obrigado a permanecer em um ministério que concorda com a doutrina do dízimo!!!!

      1. Não é não concordar com a doutrina do dízimo, é não concordar como o dízimo é pregado e conduzido, o dízimo e anual e as ofertas também, eles são bíblicos, mas precisamos entender que hoje em dia as ofertas ajudam muito nas finanças, por isso Paulo fala que devemos colaborar sim, mas conforme colocamos em nossos corações, ou seja sem pressão e oprimido.

  5. Pr Hernandes; sou adimirador do seu trabalho: tenho aprendido muito com você. Quanto a esse artigo, gostária que você comentasse tambem; Hebreus cap 7 versos 11 a 18, principalmente v 12. Porque so com os 10 primeiros versos; o testo fica fora do contesto e não fala o que o escritor estáva realmente ensinando.

  6. Para mim dízimo é mandamento, e as pessoas que não dizimam, tem o coração no dinheiro, nas coisas materias, quando nós não conseguimos entender a grandeza de Deus, nós nos tornamos tão pequenos. Se nós formos analisarmos, o dízimo é o mandamento mais fácil de se cumprir, é só devolver 10% para Deus. Já pensou se nós pudessemos usar apenas o dinheiro para cumprir os outros? Se amar o próximo como a nós mesmos fosse tão fácil. não é?

    1. Se o coração do cristão está no dinheiro, quem está ensinando o mesmo a isso? Claro que o próprio pregador!, Por que, fala de salvação em cima do dízimo, bençãos em cima de dízimo, prosperidade em cima de Dízimo, e todo o culto e reverenciando a bens terrestre, esquecendo que o centro do Culto e Deus pelo o que ele é, e não pelo o que ele faz.

  7. LADRÕES!!! É disso o que a Palavra de Deus chama aqueles que sonegam o dízimo, que não devolvem a Deus algo que veio das próprias mãos dele. Com maldição sois amaldiçoados! Os ladrões não entrarão no Reino dos Céus. Até os fariseus conseguem ser melhores do que vocês! Estou estupefato, pois nem com um estudo tão sério sobre o assunto, elaborado por um sério homem de Deus, ainda há pessoas incredulas que se dizem cristãs e contestam essa verdade ABSOLUTA. Isso é uma pena! Deus não depende do recurso de vocês, cambada de “pão duro”, é ELE quem sustenta a sua própria obra. Enquanto isso continuem gastando a vontade, mas um dia Deus lhes pedirá conta!

      1. O dinheiro anula o sacrificio da Cruz? Vou perder minha salvação? Nunca! Troque o São Malaquias 3.10 por Jesus Cristo e analise as escrituras, entenda o contexto. Não questiono a idôniedade do Pr. Hernandes, mas este texto ele só utiliza a parte que lhe convém defendendo a entrega do dizímo e não fala como estes recursos eram administrados pela tribo de Levi, os dias/festas estabelecidas (as) para entrega dos dizímos e etc. Eu nunca vi um niguém ensinar sobre este tema sem ocultar os detalhes.

    1. DEUS não pede àquilo que é dele, o dízimos e Ofertas não era para Deus e sim para os Levitas a tribo que não recebeu poses das mãos de Deus, e naqueles tempo se tinha um sacerdote separado para o sacrifício,e por isso ele também tinha o direito de receber contribuição para seu alimento e família, hoje Jesus é o sumo sacerdote e nosso intercessor junto a Deus Pai, sendo que seu sacrifício foi único e suficiente para isso, não nessessita mais esse tipo sacrifício.
      Como já expressei aqui, o dízimo e Ofertas são Bíblicos sim, mas conforme está escrito, não conforme alguns tem a sua interpretação.

  8. A mensagem do Rev. Hernandes nos ensina de maneira clara o que já conhecemos, o que o amado nos ensinou é Bílico é um mandamento de Deus, não é uma opção ou um sentimento humano de praticar o que Deus ordena na Sua Palavra – “Trazei todos os dízimos a casa do tesouro”. Deus nos exorta em amor a sermos “Dizimistas e ofertantes em sua casa”. Ele não aboliu tal mandamento, hoje estamos vivendo debaixo da Sua Graça Maravilhosa, e o Senhor Jesus nos ensinou a respeito desse mandamento, e Ele cumpriu toda a lei dada a Moisés e não aboliu as ordenanças a respeito dos “dizímos e ofertas”. É um mandamento Bíblico, isso é suficiente para ser obedecido.
    Agora gostaria de fazer algumas perguntas tais como:
    Voce meu caro que insiste em querer abolir esse mandamento instituido por Deus, quando você termina a sua tarefa no seu trabalho, você gostaria de receber um pacote de alimento ou dinheiro em espécie? Como você vai pagar suas contas como “luz, água, casa, seguro e fazer as suas compras” você usa o pacote de alimento para pagar suas contas?
    O “caro ministro” que se identificou falou que deve haver voluntariedade na contribuição, o apóstolo Paulo em 2Coríntios a partir dos vers 6-10, compara essa prática como alguém que semeia com alegria e abundância, ele certamente ceifará com abundância. Agora a minha pergunta para o amigo é:
    Como você tem ensinado na sua igreja essa prática; se você deixa de ensinar de maneira correta, e como o caro amigo faz quando a sua igreja não prática de maneira correta esse mandamento bíblico?
    Deus esteja abençoando com toda sorte de bênçãos a sua amada igreja fiel ao Senhor, pois Ele Fiel e cumpre com as suas promessas.
    Deus continue a usar o Rev. Hernandes como instrumento para abençoar e edificar a sua igreja.

    1. Não comoare um trabalho Natural com o espiritual, para justificar àquilo que você acha certo, Dízimo e ofertas são bíblicos, mas não são para Pastor e sim para a Obra, se Pastor é a Obra eu também sou, não tenho direto de receber, por que como Obreiro, prego a palavra, limpo a igreja, evangelizo, oriento, ajudo os irmãos, visito as pessoas e etc…., E faço isso por que Deus não morreu só por mim, sou Grato por ele morreu por todos nós,

  9. Prezado pastor Hernandes D. Lopes.
    Graça e paz!
    Sou evangelista da congregação Presbiteriana em Pedra Grande/Almenara MG.
    E tenho acompanhado pela tv, as mensagens que o Sr. tem nos ensinado. Obrigado pela orientação.
    Quanto a mensagem sobre o dízimo o senhor está correto. Infelizmente existem muitas pessoas que ainda discordam, eu também já fui assim antes de conhecer a Jesus, hoje não tenho nenhuma duvida com relação ao dizimo. A bíblia diz. “Errais por não conhecerem as escrituras” .

  10. Olá reverendo Hernandes, gostaria que me esclareça se tenho a liberade de não dar dízimo ? E porque o dizimo não se encontra “entre” os 4 ítens da LEI que os apóstolos lá em Atos 15 concordaram em que a igreja contiuasse a praticar ? E se os apostolos não doutrinaram a igreja a ser dízimista, conforme Atos 15, em que época foi que a igreja passou a adotar esta prática? Muito obrigado Revarendo Hernandes, aguardo sua ajuda. A paz do Senhor Jesus .

  11. Já que devemos considerar a graça superior a lei em relação aos dízimos ,então porque só damos os dizimos em dinheiro se naquela epóca as pessoas davam os dizimos de tudo que tinham , inclusive animais e filhos? Então quer dizer que só devemos dar dinheiro? E o cominho, o coentro e a hortelã? Se é pra fazer então façamos direito.

    1. A paz minha irmã, cominho , coentro e hortelã; vc cultiva esses alimentos?
      vc vive de lavoura?
      vc recebe esses itens de salário?

      Sem comentários.

  12. Professor Jeferson cadê seu amor ao próximo ? É dessa maneira que vç trata as pessoas? Quem vç pensa que é?Dá o dizimo mas não ama o próximo, dá o dizimo mas omite a misericordia, Deus não precisa de dinheiro, quem precisa são os preguiçosos que não querem viver do seu próprio sustento e preferem viver da obra.Acham que porque o Apostolo Paulo disse isso é porque devemos fazer igual, não.Para o homem é honrroso trabalhar.Viver as custas de fiéis é muito feio.E os dízimos são para a “obra do Senhor”, missões,assistência social, para arrumar o templo e não para sustentar ninguém.É por isso que muitas pessoas resistem em dar os dízimos.muitas vezes os dízimos não são aplicados na casa do Senhor e sim na casa do pastor.

    1. Preciso concordar com vc. todos precisam trabalhar e viver do seu trabalho. Acaso os pastores não tem trabalho demasiadamente arduo e muito mais duradouro do que o nosso que só cumprimos com o horario de expediente? Acaso o banco q sentamos na igreja não precisa ser limpo por alguem> Acaso a agua q bebemos no templo e a luz de que usifruimos não precisam ser pagas? Acaso os pastores precisam mendigar para sustentar suas familias, já que trabalham tão arduamente na obra? Pelo amor de Deus. Onde está o teu tesouro ai está o seu coração… o obreiro é digno do seu salario. Eu devo honrar o meu pastor, com gratidão pelas noites qu ele passa intercendendo pela minha vida e por meus problemas. Quero honrar sua familia que muitas vezes fica sem sua companhia pq ele vem socorrer suas ovelhas abrindo mão do convivio com sua familia. Qtos almoços de domingo essa familia pastoral não fez sozinha pq o pái estava socorrendo uma ovelha? Pelo amor de Deus façam me o favor, os mesquinhos e deturpadores da Palavra háo de prestar conta disso diante de Deus.

    2. José Reginaldo de Sousa Miguel

      vdd, está igual os fariseus para serem vistos pelos homens como justos davam os dízimos de tudo, até das coisas menos importante para Deus ( o endro, cominho, hortelã) mas os preceitos mas importante da lei não faziam o amor e a misericórdia. devemos lê Mateus 23:23 e entender que quando Jesus citou esse verso a lei mosaica ainda estava em vigência pois ele ( jesus ) ainda não tinha morrido e um testamento só tem valor enquanto vive testador, leia: hebreus 9:15-17 a Nova Aliança só passou a existir depois da morte de Cristo. ele deixou isto claro pela ocasião da Santa ceia quando disse este cálice é a nova aliança no meu sangue. 1coríntios 11:25.

  13. Quando analisamos as passagens na Biblia que faz referncia ao dizimo, em momento nenhum vemos a menção de moedas, e sim de grãos.Por que sera que não nos e ensinado, que devemos levar mantimento para a igreja, se a finalidade do dizimo e para sustento da mesma?Concordo que a igreja necessita de dinheiro para suas obrigações, mais o que temos visto na atualidade e pastores se enriquecendo sem medida, e por outro lado irmãos que quase passam fome.E o que a igreja tem feito para acolher esses membros?Sera que e justo pastores extremamente ricos e irmãos vivendo na miseria? E detalhe, enriquecimento as custas da fe dos membros.Que evangelho e esse de injustiças e desigualdade?Sera que esse evangelho que Paula pregava na igreja primitiva? E diga-se de passagem que Paulo em momento nenhum menciona a palavra dizimo.Pelo contrario o mesmo trabalhava para nao honerar os membros da igreja, e se o dizimo fosse praticado pelo mesmo com essa finalidade que e aplicado hoje, sera que o mesmo teria que trabalhar?

  14. minha palavra é a seguinte: o comentário do amigo reverendo é um festival de distorções bíblicas:
    1º lugar: no evento da crucificação toda lei caiu e começou o tempo da graça!
    2º o uso do versiculo de mateus 23:23 não vale porque foi antes da crucificação, poranto jesus não validou o dizimo com este versiculo e sim ilustrou apenas a hipocrisia.
    3º o dizimo que abraão praticou antes da lei não vale. porque foi voluntário deus não não o ordenou a dar dizimos. e outra se fosse usar o exemplo como prática teríamos que fazer circuncisão também pois abraão circunidou-se antes da lei.
    4º na questao de contribuir a graça vai alem da lei sim e muito além pois as pessoas vendiam propriedades e colocavam aos pés dos apóstolos uns davam tudo que tinham. porém nada era obrigado, era tudo de livre vontade.
    5º pelo amor de deus malaquias 3 irmãos é da lei a lei caiu!

    1. Que tipo de igrejas são essas que vocês falam? As igrejas que eu as conheço, e que vocês acabam generalizando de desonestas etc, Tem conselho fiscal, tem tesoureiro, tem uma mesa administrativa em suma tem administração dos recursos financeiros e o pastor recebe seu provento de acordo com a realidade da igreja local, ou seja, de acordo com o que foi acertado para ele poder contribuir com seus serviços de pastoreio do seu rebanho sem as muitas preocupações com as coisas secundárias (“Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, antes seu prazer é satisfazer aquele que o arregimentou” – Paulo a Timóteo). Portanto, o provento pastoral, que entre outras coisas é para a manutenção de sua casa, recebe dos administradores da igreja.

      Um esclarecimento, dízimos e ofertas de cereais como alguns querem que aconteça hoje em dia nas igrejas, só se a comunidade fosse inteiramente agrícola e de atividade pastoril como eram os israelitas. É estudar um pouco de história dos Hebreus não faz mal a ninguém!

      Cuidado com o radicalismo exacerbado, pois ele já causou muitas atrocidades e desgraças no mundo. Optem pelo equilíbrio nas colcações!

  15. Interessante a Lei ter caído. Então quer dizer que como Levítico 18 é Lei, as pessoas não precisam se preocupar, e podem ter relações sexuais com animais.
    A obra na cruz nos libertou não para descumprir a Lei, mas para que consigamos cumpri-la. É isso que Paulo nos mostra em suas cartas, principalmente em Romanos.
    A observação bíblica deve ser cautelosa e sempre em oração, para que possamos entender o deve ser usado e o que não é mais necessario, como o sacrificio de animais para perdão dos pecados.

    Em Cristo,
    Pedro Henrique

  16. Tem um hino da cantora Josyane que gosto muito. O título dele é “Abra os meus olhos”. Eu canto ele o tempo todo, e com muita sinceridade em meu coração. Creio que Deus tem recebido o meu louvor, pois ele abriu os meus olhos faz tempo!

  17. sou disimista adesde que me converti meus dizimos sempre em dia certinho mais minhas conta sempre no vermelho. o disimo e dado 10% do lucro da empresa mais a empresa sempre no vermelho devo pro banco impostos pro governo aieu pergunto se eu sou dizimista porque o devorador esta sobre minha finança.
    sempre busco resposta e numca obtive,
    e ai pastor como fica a mkinha situação

    1. Pr. Wagner creio quem vive de acordo com o evangelho, contribui com o reino do Senhor, quer seja a título de dízimo ou oferta.

      O que tem ocorrido em grande escala é justificar a entrega de dízimo/oferta de acordo com o texto de Malaquias: que o cristão será vitimado pelo devorador caso não entregue o que não lhe pertence.

      Nesse contexto a entrega e feita pelo fato de se sentir coagido e não com alegria e voluntariedade como orienta a palavra.

      Respondendo a questão do Leonar:

      Lenoar a sua dificuldade financeira não tem nada a ver com o fato das suas contribuições estarem em dia, mesmo porque não existe devorador na vida de quem se entregou a Jesus. Ele já levou sobre si nossas dores, enfermidades tudo na cruz inclusive o devorador. Creia nisso meu irmão. Talvez você esteja precisando de um planejamento e consultoria na área financeira para uma melhor administração.

      1. Há outros princípios que devem ser administrados quando às finanças, dar o dízimo é apenas um deles. Gastar mais do que ganha, ser fiador, investimentos errados, suprir vaidades, etc., são causadores de diversos problemas em nossas finanças. Recomendo que procure alguém que professe a mesma fé que o irmão crê e seja uma referência como empresário, isto o ajudará bastante. Esteja pronto para ouvir e tomar decisões importantes.

  18. Rev. Hernandes, graça e paz. Suas palavras muito têm me ajudado na minha caminhada. O problema do ser humano hojé é que ele só quer ouvir e praticar o que lhe interessa. Há pessoas que realmente dão o dízimo porque tem o interesse somente na vida financeira mas nas outras áreas de sua vida vivem no pecado e depois querem cobrar do pastor a resposta dos seus problemas.Há realmente pastores que se favorecem da imaturidade de muitos cristãos, mas esses têm que estudar e viver a palavra de Deus para conseguir diferenciar os lobos dos cordeiros. Ao senhor Jesus seja toda honra e glória. amém.

  19. Prezado Reveredo Hernandes,
    Bom dia!
    O senhor precisa falar no seu culto aos sábados sobre o dízimo. As pessoas estão cegas acham que quando Deus, nosso Pai, fala que Ele retribuirá, pensam imediatamente no retorno financeiro. Sem dúvida, haverá o retorno financeiro (Se Ele não dá muito mais é porque sabe que não sabemos gastar como convem), mas há o retorno pessoal imediato, puxa, ninguém percebe! A fartura invade nosso lar, a saúde se renova, a paz espiritual, enfim tudo, mas tudo mesmo é dado pelo Nosso Pai. Deus é um PAI MARAVILHOSO, AMOROSO. Fale prezado Reverendo, sobre o dízimo como alerta. Obrigada por sua atenção, Sonia.

  20. Quem falou que o dizimo é da lei, o primeiro dizimista foi abrãão muito antes da lei, e quem falou que era só alimentos,porque a biblia diz que abrãão deu dizimo de tudo, ou seja abrãão vinha da guerra entregou o dizimo de todo o despojo:prata, ouro, vestes, e outras coisas mais. o dizimo meus amigos é pra aquele quem tem fé,se você não tem fé não destrua a dos outros não.
    Se abrãã deu o dizimo a melquesideque ele era sacerdote de DEUS altissimos, que não tinha genealogia não tinha principio de dias e nem fim da vida, sacerdote eterno,( isto é uma comparação melquisedeque é igual a Jesus, pois Jesus é nosso sumo sacerdote da nosso tempo) então convém nós devolver o dizimo, isto é se é que vc tem fé. ora se você tem medo de mexer no seu bouço. então você ama mais o seu dinheiro que DEUS. o dizimo é para manuntençao da casa do SENHOR, e para alimentação dos seus sacerdotes. porque a tribo de levi que era os sacerdotes, não tinhã herança na terra, pois a herança deles era o própio DEUS. Hoje precisamos alimentar os milhões e milhões de pastores das nossas igrejas, precisamos enviar missionarios, e pagar as despesas das nossas Igrejas. LEIA SOBRE OS DIZIMOS NO NOVO TESTAMENTO LIVRO DE HEBREUS CAP 7.
    PR VAGNER ARAUJO .

    1. Irmao primeiro vc fala do Dizimo de Abraao como modelo antes da lei certo para defender a tese que nao era da lei ok?
      se o dizimo de abraao era antes da lei e tem que ser defendido como doutrina entao o irmao tem que defender a circuncisao que foi antes da lei tb. o irmao é circuncidado? abraao praticou a circuncisao antes da lei! vale pra vc a circuncisao? irmao o problema e que o povo crente está viciado em doutrina de homens! jesus morreu na cruz e rasgou o véu nem o sábado que uma coisa que está nos mandamentos de pedra subsiste mais amigo quanto mais dizimo! e em referencia a hebreus 7 o irmao fez uma salada de frutas com a biblia pois o irmao diz que o dizimo e pra os sacerdotes fazendo comparação com os levitas só que no texto de hebreus 7
      paulo fala que a ordem levitica foi sucedida por ordem de melquisedeque. e no caso de melquisedue que aceitou dizimo de abraao foi espontaneo nao existe relato de abraao dizimando em outra passagem biblica somente nesta e outra o dizimo de abraao nao foi de sua renda e sim de despojos (sobra de guerra) e foi espontaneo nao foi ordem de Deus.

  21. Caros irmãos e colegas, pelo que entendi nos comentários, a controvérsia maior está no fato da entrega, devolução ao pagamento dos dízimos, ser compulsório ou não, certo?
    Acredito então, que a maioria entende que de alguma forma devemos devolver o dízimo, certo?
    E a Palavra de Deus nos esclarece que o SENHOR é o dono de tudo, terra, ouro, prata e etc…. certo?
    E que nós (os eleitos) somos mordómos dessa criação toda, certo?
    E que não somos então, donos de “nossos rendimentos”, certo?
    E que devemos levar cativo todo o entendimento à obediência de Cristo; (2 Coríntios 10:5) – certo?
    E que recebemos todo mês nosso ganho, certo?
    E que se o SENHOR não tivesse nos dado um trabalho, não teríamos o que receber e devolver, certo?
    E que o prolabore ou o desconto do INSS sai todo mês, certo?
    E que devemos entregar compulsório o não nosso dízimo com alegria de coração, certo?

    Então, eu faço isso todo mês com alegria, porque eu recebo por mês e não por ano, se fosse por ano ou qdo. eu tivesse o desejo ou a igreja estivesse precisando teria que computar todo o “meu ganho” para devolver e me sinto muito alegre em fazer isso todo mês.

    Lembrem-se do exemplo de Ananias e Safira. Eles não tinham motivos para vender ou devolver nada para ninguém e qdo. isso fizeram, mentindo, esconderam uma parte.

    Deus não precisa de nada “nosso” Ele é dono de tudo.
    Devolvendo ou não Ele continuará Dono de tudo e nós, servos fiéis ou infiéis.

    Conclusão:
    Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam.
    1 Coríntios 10:23

    Dizimando estaremos obedecendo a Deus.
    Não dizimando estaremos desobedecendo a Deus.

    Qdo. dizimar faça com alegria de coração com gratidão em poder devolver somente 10 por cento.

  22. Reverendo Hernendes, muito obrigado pelos esclarecimentos! Não tenho dúvidas que devo ser dizimista fiel, assim como Deus tem sido para com a minha casa. Lamento que ainda existam muitos homens cegos e loucos, por isso lhe peço para que continue sempre sendo o homem comprometido com a palavra de Deus e continue usando esses e outros espaços para trazer luz ao povo. Devemos orar uns pelos outros para que caiam as escamas de nossos olhos e Deus aumente a nossa fé para que, também, possamos ver além…

  23. Paz irmãos, em primeiro lugar gostaria de explicar que o dízimo nunca foi dinheiro para os cofres das igrejas. Os dízimos aos levitas era exatamente dez por cento das colheitas dos grãos, dos frutos das árvores e dos animais que nasciam em um determinado período. Alimento destinado a suprir as necessidades dos levitas que não tinham parte nem herança na terra prometida.
    A palavra não deixa dúvida quanto ao dízimo da lei de Moisés, o qual nunca foi oferecido da forma que está sendo feito, porque o dízimo era consagrado ao Senhor. É profundamente lamentável o que está acontecendo, hoje o dízimo virou uma brincadeira, uma verdadeira farra nas igrejas, porque o dízimo não era dinheiro, mas sim, dez por cento da produtividade, para suprir as necessidades dos levitas, mas hoje não existe mais a personalidade representativa do levita entre nós.

    Então alguém poderá apontar para Malaquias 3.10 para justificar que fora ordenado ao dízimo, ser levado para casa do tesouro. Isso não muda nada, a finalidade do dízimo continua sendo a mesma, ou seja, para produzir o sustento para os levitas.

    No Evangelho de Cristo, “Ele” nos ensina que não precisamos mais pagar dízimo para garantir as necessidades cotidiana de coisas materiais (alimento, vestimenta, etc.), a prioridade hoje é buscar primeiramente o Reino de Deus e sua justiça e as demais coisas nos serão acrescentadas (Mateus 6.25 a 33). E para receber a graça e as bênçãos do Senhor não precisamos pagar mais nada (Mateus 10.7 a 10). É “Ele”, quem nos dá a vida, a respiração, e todas as coisas (Atos 17.25). Esta verdade sempre foi omissa pelos pregadores.

    Números 18.21, 24, 26 – O pagamento do dízimo teve ordenança, fazendo parte do contexto da lei do Antigo Testamento, e tinha caráter de caridade, pois a sua principal finalidade era suprir as necessidades dos Levitas que não tinham parte nem herança na terra prometida, e também dos estrangeiros, órfãos e viúvas.
    Deuteronômio 14.29 – Então virá o levita (pois nem parte nem herança tem contigo), e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva que estão dentro das tuas portas, e comerão, e fartar-se-ão; para que o Senhor teu Deus te abençoe em toda a obra das tuas mãos que fizeres.
    Está na palavra, o Dízimo foi criado por Deus, com a finalidade exclusiva de fazer caridade aos necessitados, hoje é empregado com outros fins, diverso daquele que o Senhor mandou.

    Mas, ainda que os dirigentes das igrejas revertessem toda a renda dos dízimos e ofertas em obras sociais, ainda não estavam em conformidade com a palavra do Senhor, pois alem do dízimo ter sido abolido (Hebreus 7.5-12), a caridade ou amor ao próximo, é algo muito profundo, é individual e intransferível, é entre você e Deus (Mateus 6.1 a 4).

  24. Quando o amor ao dinheiro está acima do próprio DEUS, não existirão palavras ou atitudes que convençam as pessoas a fazerem um ato de fé tão lindo, maravilhoso, importante, salutar e profético como entregar o dízimo. Acredito que cada um tem que avaliar a sua fé e os seus objetivos como “Cristãos”. Graças a Deus meu coração foi convertido e a entrega do meu dízimo é feito com alegria. A Igreja não é uma empresa que visa ao lucro, por isso quem a sustenta é Deus. E para isso, precisamos devolver a parte que Ele destina às igrejas os 10%. Essa entrega é um teste da nossa obediência a Deus. As nossas ofertas são espontâneas, mas sempre com o coração alegre. Que triste ler tantos comentários pejorativos de pessoas que estão com o coração no deus Dinheiro, infelizmente! O mais chato é usar o espaço para contaminar outras pessoas a fazerem parte da desobediência e falta de fé. É bem simples: não acredita no dízimo não entregue. Mas não contamine quem é obediente. A entrega do meu Dízimo e de ofertas não é para mim um caminho de barganha com Deus, apenas um ato prazeroso e que certamente creio estar ajudando a palavra do Senhor alcançar almas perdidas, necessitadas, desorientadas, etc. Seja pela Igreja, internet, rádio, televisão, revistas, jornais… e diga-se de passagem: tudo isso tem um custo. Abram os olhos enquanto é tempo!

  25. Creio que os pastores e instituições religiosas, movidos pelo medo, tradições e pela falta de fé, não entendem, ou, entendem e não querem, de, alguma forma, pregar a verdade, que o imposto dízimo não existe mais. Isso não vai fazer com que a palavra de Deus deixe de ser pregada, nem vai fazer com que bíblias sejam doadas, nem vai fazer com que os Pastores deixem de receber seus salários. A Igreja é uma instituição permanente e eterna, pensar que os templos vão fechar as portas por conta de dízimo é falta de fé. Creio que os santos sustentarão suas congregações, seus templos religiosos. É importante frisar que as ofertas podem ser maiores que os dízimos, e, também, que Igreja não são bancos e Pastores não devem ter suas vidas pautadas em luxo com salários exorbitantes, devem ter o suficiente para manter sua família de uma forma confortável. O que vejo são Templos enormes, festas enorme e pouca doação de remédio, construção de escola, construção de hospitais…

  26. Pingback: As razões dos não-dizimistas | Estudos Novo Tempo

  27. E o pior é que eles deixam de ser abençoados pela sua infidelidade, pela sua desobediência e nem percebem. Em suas palavras percebe-se rancor, ira, falta de amor. Amam tanto o seu dinheiro…
    De onde eles acham que vêm os recursos para o pagamento da energia elétrica, da água, dos funcionários que limpam a igreja? Se um dia chegarem à igreja e não houver água, luz ou limpeza, certamente reclamarão. Não dá para entender.

  28. na verdade nos nao podemos servir a dois senhores como esta escrito no livro de mateus 6:24 e quando tratamos de dizimos e tambem ofertas é onde demonstramos a quem nós servimos pois quem serve a Deus não ve nenhum problema em devolver o seu dizimo ao Senhor pois temos amor em ajudar no crescimento se sua genuina obra mas quando o coração do homem esta no dinheiro e ele não ama verdadeiramente a Deus então fica inventando desculpas esfarrapadas para nao devolver os seus dizimos. mas para esses eu deixo um recado na verdade não compramos salvação” se eu estiver erredo por ffavor me corrijam” mais ficaram de fora do Reino de Deus os cães, feiticeiros, idolatras mentirosos e os LADRÕES e segundo Malaquias 3:8 aquele que não devolve o dizimo ou não é fiel rouba a Deus. e que é que rouba se não o LADRÂO? então é hora de vigiar

  29. irmãos, muito bem colocado por alguém quando disse:Errais não conhecendo as escrituras” vão ler Bíblia, pastores busquem a VERDADE, PROVEM ONDE JESUS DIZ QUE ELE NÃO VEIO CUMPRIR A LEI. Será de bom proveito os que são contra o dízimo ler outra pastoral do PASTOR Hernandes ‘De volta ao evangelho” de repente pode surgir algum efeito nos corações. Pastor Hernandes parabéns pela coragem.É lindo ver como a verdade Biblica mexe com as pessoas e muda coracões.

  30. Meu pastor não é rico. Recebe o salário estipulado pela administração da igreja. O justo para manter sua família pela dedicação exclusiva à obra. Os irmãos que precisam são socorridos com o que é arrecadado pelo dízimo e ofertas. Pagamos a energia com dinheiro, não com grãos. Tanta discussão por causa do apego ao dinheiro.


  31. Adriana:

    Já que devemos considerar a graça superior a lei em relação aos dízimos ,então porque só damos os dizimos em dinheiro se naquela epóca as pessoas davam os dizimos de tudo que tinham , inclusive animais e filhos? Então quer dizer que só devemos dar dinheiro? E o cominho, o coentro e a hortelã? Se é pra fazer então façamos direito.

  32. Sim e possivel manter a igreja somente com ofertas e doacoes,manter o pastor,ajudar o proximo e os necessitados na igreja.O problema e que ninguem entendeu na e outros querem que permanece suas proprias razoes e pior usando textos da bilblia,e tem uns ate por falta de inteligencia mesmo, que diz rouba aquele que nao devolve.?????rsrs nem ha coerencia nisso.Isso e resultado da falta de amor e fe.

  33. Hoje na graça devemos contribuir, e fazê lo com alegria, liberalidade e fé, veja bem o que eu disse:contribuir, ofertar, dar, mas não dar dízimos, pois,valor pré fixado não seria por fé e sim por obrigação!

  34. Não sou contra, porém penso que 10% é demasiado para uma população que se mata de pagar impostos, a igreja que adote um sistema financeiro que a sustente sem sobrecarregar os irmãos.

    O que ocorre é que muitos líderes ainda afirmam que as pessoas tem que pagar do bruto do salário, é um verdadeiro ultraje.

  35. O problema é que tem muitas igrejas se preocupando mais com o dinheiro do que com as pessoas. A obra de Deus não depende de dinheiro. Algum profeta ou cristão deixou de realizar a obra de Deus por causa da falta de dinheiro? As ofertas voluntárias é o correto dentro do ensinamento neotestamentário. Existem igrejas que sobrevivem só com ofertas. É o caso da CCB, dos TJ’s e até Centros Espíritas sobrevivem sem o dízimo. É para se pensar…

  36. Onde esta a verdade?Sera se eu olhasse com minha otica e pensamentos, desejos,certamente iria querer o dizimo,talvez ,nao queira dar dinheiro nenhum,ou dar aquilo que acho necessario.Sera que DEUS iria esconder a VERDADE?Como chegar a um bom equilibrio,a verdade esta na Biblia,porem cada um conduz a informaçao conforme seu coraçao.Melhor se esvaziar e esperar DEUS mostrar a VERDADE.A imposiçao nao SALVA,existe uma liberdade no evangelho,com tudo ser prudente,voce nao vai ficar rico,por dar dinheiro para igreja,nem pobre ,neste seculo vivemos inumeras pressoes,e o DINHEIRO tem falado mais alto,porque o AMOR vai esfriar?DIVERGENCIAS NA DOUTRINA É O QUE MAIS TEM NAS DENOMINAÇAES E DISPUTAS.

  37. Devemos entender que primeiramente, somos Gentios (povo que não é Judeu). O apóstolo designado para pregar aos gentios não foi Paulo? Se você observar que a mensagem dele para nós, nunca falou em Dízimos, mas citou que as ofertas seriam segundo o propósito do seu coração. O texto de Malaquias fala de quem rouba o dízimo, mas esse texto não é para nós e sim para a nação judaica daquela época. O Dízimo existiu antes da Lei, mas nunca foi dinheiro e também foi de forma espontânea, sem obrigação alguma.Só que tem um detalhe: Abraão deu dízimo uma só vez, não tinha um carnê. Outra coisa: Jesus veio para cumprir a Lei, inclusive foi dizimista. Agora, vivemos sobre a Graça e não da Lei. Na Graça você pode dar o que Deus colocar no seu coração,mas com alegria! Graça e Paz!

  38. E incrível como o evangelho da conveniência vem mudando a igreja de Deus.
    Antigamente a pregação do evangelho da verdade conscientizava os crentes a darem os seus dízimos para o sustento da obra de Deus em todos os níveis necessários, mais hoje a pregação do evangelho da conveniência diz que ta errado e os crentes não tem mais a obrigação de trazerem o dízimos a casa do Senhor. Então temos que fazer uma pergunta ao crentes do evangelho da conveniência: Como pagaremos as contas do conforto que temos em nossa congregação?, como enviaremos os missionários, pagaremos os nossos pastores por tempo integral,e etc.
    Eu penso que se continuarmos pensando assim o futuro da igreja e mendigar ou então comer na mão do estado [ governo ]para pagar seus compromissos.
    Amados irmãos, arranquemos a ingratidão de nossos corações, se ta ou não na Bíblia o dar o dizimo isso não importa na verdade temos que pensar como o Salmista no capitulo 116.12 esse gesto e maior que a lei ou mandamento, que tem um coração grato não espera ta na bíblia ou não ele dar o dízimos ponto final.

  39. David não construiu o Templo, mas o seu ouro particular, foi deixado para este grande empreendimento. David até se questiona: Se tudo é de Deus, como doarei algo? Quando da visita dos “reis a Jesus” por ocasião do seu nascimento doou, ouro, incenso e mirra, que deu para o sustento da família enquanto sua estadia no Egito.

  40. Quem deve determinar se o dízimo é bíblico ou não é a própria Bíblia e não a história, embora é claro a história tenha a sua importância. Que o dízimo está na Bíblia, isto é fato. Foi praticado antes da Lei, no período da lei e em nenhum momento parece que Jesus a tenha revogado. A questão é, se é válido para nós hoje? Mesmo que creiamos que o dízimo não seja válido para nós hoje, claramente se vê nas Escrituras o princípio da contribuição e da proporcionalidade. Se entendo que sou mordomo e que tenho uma dívida de gratidão, logo meu coração contribuirá para além do dízimo de acordo obviamente com o que recebo. É óbvio que existem charlatões que se aproveitam da boa fé das pessoas. Mas, o Rev. Hernandes Dias é um homem de Deus. Disso eu não tenho dúvida. E dizer qualquer outra coisa dele como alguns fizeram em alguns comentários, é no mínimo imprudente.

  41. Todos de todas igrejas defenderão o pagamento dos dízimos. Para muitos é um meio de vida. Ninguém abre mão de receita. É de simples compreensão. Quando se trata de dinheiro todos querem uma parte: impostos federal, estadual e municipal além das taxas, emolumentos, honorários, custas processuais e etc

  42. Vc deve estar fazendo isso então, né?? Deve estar dizimando alimentos, etc.aos pobres.. e deve estar “pregando o evangelho” sem alforge,etc. Deve estar. A hipocrisia encontra nos críticos o seu melhor esconderijo.

  43. Salvador Ferreira dos Santos

    Com todo o respeito que tenho pelo senhor, pastor Hernandez, analisando bem seus argumentos em favor dos dízimos, não encontrei nenhuma motivação convincente para uma pessoa ser dizimista. Pelo contrário, encontrei em suas palavras uma intenção de pré julgamento de alguém que o senhor nunca viu na vida quando afirma que os que são contrários a essa doutrina ” ainda não tiveram um encontro pessoal com Cristo”.
    Mesmo com toda a sua experiência no ministério, o que se passa no coraçao de alguém em relaçao a comunhão com Cristo, só Deus e capaz de saber. Uma afirmação como essa é, no minimo, pretenciosa para manter um sistema de arrecadação que não tem respaldo bíblico no Novo Testamento. Também coloca em duvida a certeza de alguém na fé no Filho de Deus e quer servi-lo sem esses fardos pessados que são impostos por uma denominação criadas por homens.
    O senhor ainda argumenta que se dependesse dessas pessoas, ou seja, aqueles que não são dizimistas, “não haveria templos, pastores, missionários, biblias e assistência social”. A igreja de Cristo precisa somente de Cristo. O interessante é que pregam que pra se “devolver o dízimo ” a pessoa precisa ter fé. Esse mesmo argumento pode ser usado em relaçao a manutenção da igreja também sem ter que oprimir as pessoas com a obrigatoriedade do dízimo.

  44. Pra defender com tanta força ,só deveria ser pastor,mas depois de Cristo não tem mais lei só amor livre espontânea devolver o dízimo por amor não obrigação , salvação não depende de dízimo mas sim da graça de Cristo na cruz o ladrão na cruz nunca devolveu o dízimo e foi salvo e era ladrão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *